Mostrando postagens com marcador Filmes e Series. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Filmes e Series. Mostrar todas as postagens

Série: Slasher — 2ª Temporada: Guilty Party

dezembro 20, 2017

A segunda temporada de Slasher recebeu o titulo português de Os Culpados, mas eu gosto mais de Guilty Party pois combina exatamente com o que houve com os tais culpados que se refere o titulo br. E a temporada já começa com referencia: acampamento de verão. Não, nenhuma criança morreu afogada ou algo do gênero, o que aconteceu de verdade foi que um grupo de monitores de um acampamento foram pregar uma peça em outra monitora como forma de aviso e vingança por ela ser uma pessoa tão desprezível. E bom, essa brincadeira acabou em tragédia e esse grupo de amigos acabaram vivendo com esse segredo por anos até decidirem voltar ao local do acampamento para, de fato, enterrar o corpo. Hoje em dia o local é a morada de uma comunidade de pessoas que buscam a paz longe da sociedade. E ai que começa acontecer toda a m!@#$.

Eu não gostei muito dessa temporada. Tem episódios que eu vi até fazendo outras coisas para ver se passava mais rápido. Assim como a primeira temporada ela tem mortes em praticamente todos os episódios e quando não tem uma morte tem algo bem horrível acontecendo, como uma tortura e neste caso a tortura pode ou não ser do assassino serial. Sim, as pessoas acabaram enlouquecendo a torturando e matando umas as outras mesmo com um serial killer ali ameaçando a todos. Ela mostrou o limite que pode chegar as pessoas em situação de estres e trauma e esse é um bom ponto para a trama.


As atuações continuam medianas e duas pessoas do elenco da primeira temporada retornaram nesta e foi bom ver um rosto conhecido. E apesar de esse não ser um ponto forte na série foi interessante ver o quanto os produtores dispensaram alguns clichês. Acho que o maior exemplo que pode ser dado é que a mocinha fofinha, virginal que sempre é aquela que sobrevive acaba morrendo de cara no primeiro episódio. Aquela que parecia ser a mais fdp é a que no final descobrimos ser a mais amigável, sensível e que, sim, acaba sobrevivendo. São pequenas surpresas que deixaram a trama um pouco melhor.

Não sei se a série foi confirmada para uma terceira temporada e provavelmente irei assistir mesmo que essas duas não tenha sido 10/10.

Filme: Jogos Mortais: Jigsaw

dezembro 15, 2017
google imagens

Aaaaaaah! Fui assistir essa lindeza há alguns dias com meu amigo e que filme foi esse? Eu sempre adorei a franquia, mas tem alguns filmes que foram ficando chatos e até mesmo massantes. Então eu não estava esperando muito deste novo longa, até achava que uma nova continuação seria inutil e só faria com que a galera odiasse os filmes. Mas obviamente eu estava enganada. Jogos Mortais: Jigsaw é um dos melhores filmes da franquia (só não sei capaz de opinar pela ordem do meu preferido e do menos preferido).

Este é, de longe, o filme mais leve de toda a franquia. O horror não está tão presente, assim como aquele montarel de sangue. Claro que tem ainda, afinal isso é uma marca registrada de Jogos Mortais e das armadilhas de John. Mas a trama ficou mais focada na investigação e nos personagens que estão no jogo. Parece algo mais maduro, sem apelar para sangue e o mórbido como foi feito anteriormente.


Após ver o filme eu li algumas criticas e fiquei um pouco decepcionada com os comentários. Eles esperam gore, horror, nojeira mas quando algum filme trás isso a reclamação fica por conta de problemas em roteiro. Eu não tô dizendo que o filme é perfeito, pois está longe disso, mas ele é muito mais feito para os fãs do que outra coisa. Ele tem todos os elementos que vimos anteriormente, incluindo um plot twistão da porra!

Então recomendo assistir sim o filme, aproveitar o que ele tem de melhor e reviver essa paixãozinha por essa franquia que, com certeza, marcou os anos 2000.

Série: Dark — 1ª Temporada

dezembro 06, 2017

Dark é a primeira série alemã da Netflix e teve a sua estréia no dia 1ª de Dezembro. Ela é ambientada em uma pequena cidade da Alemanha onde o o suicídio de um homem e o desaparecimento de um menino geram eventos estranhos. A série tem esse ambiente escuro (sem trocadilhos com a tradução do nome) que da a impressão de ser uma série de terror, mas asstindo ao trailer podemos perceber que ela tem muito mais relação com ficção cientifica do que terror propriamente dito. Isso não significa que ela não tenha uma grande carga de suspense, já que a maior parte de seus episódios são cheios disso e nenhum — acredite se quiser — nenhum alivio cômico.

Quando eu comecei assistir Dark não sabia muito bem do que se tratava. Até tinha assistido ao trailer, mas quando vi estava no canal da Netflix americana e por isso sem legenda e por ser uma série alemã obviamente eu não entendi nada. Mas ela me conquistou na hora. Gostei da fotografia, que da a impressão de ser uma série de terror. Dos atores, mesmo sem conhecer nenhum deles a intensidade com que eles falavam me chamou muito a atenção. Fiquei esperando sim ansiosamente até a estreia e claro que passei o final de semana maratonando. A série foi uma grande surpresa para mim que resolvi assistir nessas condições citadas anteriormente.
Não é só o passado que influencia o futuro. O futuro também influencia o passado. 

A série tem muitos personagens, então no inicio pode ser um pouco difícil conseguir lembrar de todos e relacionar seus familiares. Tem três linhas do tempo diferentes, então é preciso prestar muita atenção para não deixar passar os detalhes importantes que fazem diferença para o entendimento.  Sim, ela é uma série um pouco complicada de entender. Por uns dois ou três episódios eu fiquei completamente perdida no que estava acontecendo mas achei incrível da parte dos produtores não deixar tudo tão complicado para o expectador. Ao longo dos episódios eles começam explicar muito bem o que está acontecendo para não deixar duvidas. Claro que existem questões a serem debatidas em uma segunda temporada (que eu espero muito que tenha), mas de modo geral foi muito legal a forma como eles conduziram a série até a season finale.

Percebam que eu nem estou falando sobre personagens e enredo; mas é porque eu acho que qualquer coisa que eu digo possa ser spoiler e essa é uma série que qualquer spoiler pode estragar completamente a experiencia. É muito bom assistir aos episódios e ter aquela reação de surpresa, entende? Foi exatamente assim que eu fiquei e por isso não conseguia parar de assistir. rs



Vi alguns sites comentando que Dark é a nova Stranger Things e isso pode gerar alguma confusão e até expectativa. Na minha opinião a comparação é válida no sentido de qualidade e até mesmo gênero, já que Stranger Things também é uma ficção cientifica com mistério, né? Mas a ambientação é muito diferente, assim como a história. Acredito sim que os fãs de ST vão gostar também de Dark, mas se você for assistir esperando algo semelhante então pode desconstruir esse pensamento. As duas séries são excelentes mas são diferentes entre si.

Assista ao trailer | Assista a série

Série: Slasher — 1ª Temporada: O Carrasco

novembro 22, 2017

Se tem uma coisa que eu adoro desde criança são filmes de slasher (minha franquia favorita é Pânico). E quando ouvi falar sobre essa série, ainda em 2016, coloquei na listinha para ver quando desse. Bom, atualmente ela está disponível na querida Netflix e em uma madrugada tediosa eu resolvi maratonar para ver se é legal. Bom, é claro que a série sendo parte do subgênero de terror slasher ela não seria boa. Não estou falando isso como uma coisa ruim, entende? Mas se for analisar filmes que se encaixam nesse gênero eles não são exemplos de grandes produções e principalmente atuação.

A série se passa em uma cidade chamada Waterbury onde no halloween de 1988 um casal foi brutalmente assassinado. A mulher estava gravida da ocasião e o assassino, que já é revelado no primeiro episódio, tira o bebê da barriga da mulher. Claro, então, que a protagonista da história é este bebê, nos dias atuais. Já adulta e casada Sarah retorna para a cidade para tentar colocar uma pedra em seu passado e superar a dor de sua história. E obviamente não preciso falar que após a chegada dela na cidade uma onda de assassinatos começam a acontecer, todas baseadas no sete pecados capitais (inclusive, será isso é uma referencia ao filme de David Fincher?).

Sarah é interpretada pela atriz Katie McGrath que me faz pensar de como essa moça conseguiu ser escalada para outras séries ao longo da sua vida. Quer dizer, eu não esperava tanta coisa assim da série e tal, mas quem já viu pelo menos um filme desse genero sabe o quanto as protagonistas choram, correm e tenta parecer duronas na sua jornada mas a atriz não convenceu um segundo. Sua expressão parecia sempre a mesma e seus choros não tinham uma lagrima. É, eu sei, é uma merda isso mas no geral todo o elenco é bem fraco.


Apesar dos clichês, cenas de beco, facadas a série ainda economizou no horror, evitando exibir mortes com muito sangue e coisas nojentas. O foco, inclusive, ficou muito mais na trama dos assassinatos do que nas mortes em si, mesmo que em todos os episódios tenham tido pelo menos uma morte (e eu amei isso, porque é justamente o que eu espero em uma série desse gênero).

É um programa que entrete o expectador, pelo menos se ele gosta de algo desse gênero. Não é uma super produção, mas acaba prendendo a atenção pela curiosidade de saber quem é que está por trás do assassinatos. Eu nunca consigo acertar e gosto de ser surpreendida.

Slasher é produzida em forma de antologia (cada temporada conta uma história), então a primeira temporada foi concluída e ela tem o titulo de O Carrasco. A segunda temporada está disponível e seu titulo é Os Culpados. Não sei se o elenco permaneceu o mesmo, mas vou assistir de qualquer maneira e esperando que tenha melhorado nos aspectos falhos da primeira.

Assista na Netflix.

Série: Stranger Things — 2ª Temporada

novembro 10, 2017

Eis que a espera acabou e, finalmente, no dia 27 de outubro a segunda temporada de Stranger Things ficou disponível para os fãs que não aguentavam mais esperar. E como eu sou super apressada, louca e desocupada eu assisti tudo em um único dia. Sim, não consegui parar e maratonei mesmo. <3

Já quero deixar claro por aqui que achei a segunda temporada maravilhosa. Na primeira nós temos o inicio de tudo, com o desaparecimento de Will e o aparecimento de Eleven, esta que conquistou todos os fãs da série logo de cara. Millie Bobby Brown da um show de atuação com tão pouca idade, mesmo que na primeira temporada a personagem não tenha tido tantas falas (mas quem é bom é bom, né amores). Já na segunda temporada a personagem não tem tanto destaque, mas isso não tira a importancia da Eleven em nenhum momento e podemos ver o quanto ela esta diferente, não exatamente um amadurecimento no inicio mas após um certo episódio ela da uma baita mudada e ai sim vemos uma Eleven mais madura, sabendo balancear o que realmente é importante para si, fazendo suas próprias escolhas sem deixar que nada ou alguém a impeça de ser quem é (claro que dentro dos limites que lhe é possível).


Mas a melhor coisa desta temporada é que o destaque não ficou somente na Eleven. Afinal, a série não é somente ela, certo? Temos um elenco infantil, adolescente e adulto maravilhoso nessa série e todos devem ser aproveitados, com seus arcos. O melhor personagem que podemos ver é Will. O que não vimos dele na primeira temporada vimos agora e com uma intensidade incrível. Noah Schnapp se mostrou um excelente ator, sério... Eu fico impressionada de ver essas crianças atuando dessa forma. Ele leva o seu personagem a sério, cada cena que exige muito dele é perceptível o quanto ele se doa e até sofre com o Will (e olha que ele sofre bastante ao longo da temporada). Gostaria de falar sobre uma passagem em especifico, mas como fica bem no final da temporada seria spoiler e não quero estragar o post, mas para quem assisti provavelmente vai concordar comigo que nos dois ultimos episódios ele está incrível.

A temporada nos apresenta também alguns personagens novos. A mais querida é Max, uma menina nova na cidade que acaba despertando o interesse de Lucas e Dustin e aos poucos vai entrando no grupo. No inicio Mike não gosta muito da ideia de uma garota "substituir" Eleven, mas é evidente que as duas são totalmente diferentes em relação a personalidade. O ótimo da série é que demonstra que meninas (e até mulheres) podem ser fortes e independentes. Vi que alguns fãs não gostaram muito por Eleven ter sentido um leve ciumes de Max, mas eu não encaro aquilo como um ciumes porque ela acha que a menina pode ter algo com Mike e sim porque ela acaba ficando de fora do grupo por ter que se esconder. Ao meu ver isso é normal para qualquer pessoa. Acho que elas vão se tornar grandes amigas na terceira temporada.

Enfim, poderia falar sobre o arco de cada personagem e grupo que se formou, mas ficaria um textão muito mais do que já está. Vou terminar só querendo influenciar quem ainda não assistiu nem a primeira temporada... porque olha, essa é uma série que vale a pena e que esta tomando forma muito maior no sentido de criar sua própria identidade. Não é só mais uma produção inspirada nos anos 80 e obras dos anos 80. Agora é uma produção que sim, teve esse pontapé inicial, mas que vai acabar tomando seu próprio caminho.

Colocando séries em dia!

agosto 28, 2017


Oi, oi seres humanos que tem séries atrasadas, tudo bem com você? :P
Agora que estou oficialmente desempregada e tirando umas férinhas vou tentar colocar o maior núnero de séries em dia até começar uma nova. Eu sei que é uma missão quase impossível, ainda mais com a Netflix sempre colocando algo novo por lá maaas tem muitas que da para colocar em dia sim e vou listar aqui as 5 principais séries que preciso colocar em dia o quanto antes.

Supernatural
Eu sei que essa série deu desgosto pra muita gente, e confesso que por um tempo me deu desgosto também. Mas eu me sinto fiel a SPN porque foi a segunda série que acompanhei na minha vida, logo que descolei computador e internet eu ficava horas baixando um episódio e isso tem cerca de onze anos. Não vou conseguir abandonar eles, então vou colocar em dia a 11ª e 12ª temporada o quanto antes.
American Gods
Essa série é nova e eu não deveria trata-la como prioridade, porém como eu gostei bastante do que vi até agora (apesar de ser uma loser quando o assunto é mitologia) eu coloquei ela no topo da lista.

American Horror Story
Eu acho que eu perdi duas temporadas de AHS, e como eu gostei de algumas coisas que li sobre a nova temporada que estreia em setembro eu vou colocar em dia as outras né.

The Strain

Eu até comecei assistir a 3ª temporada de The Strain, mas eu estava achando ela muito ZzZZz e dei uma abandonada. Ai anunciaram que a 4ª temporada será a última e como falta tão pouco para a conclusão da para fazer um esforço, né.

The Mentalist

Essa é antiiiiga e eu até já vi spoiler do final, mas como eu acompanhei ela por muito tempo eu preciso terminar de ver e faltam poucos episódios.

Para saber o que eu ando assistindo me segue no TV ShowTime.

Filme: Antes que eu Vá

julho 03, 2017
Adaptação literária é sempre um assunto polemico e geralmente desagrada a todos. Há alguns anos eu li Antes que eu Vá e gostei bastante do livro. Escrevi uma baita de uma resenha para a semana Fale! que a editora Valentina havia promovido e fiquei aguardando a adaptação que já havia sido anunciada naquela época. Como demorou algum tempo até sair o filme eu confesso que me esqueci de muitos detalhes que tem no livro e que possam ter faltado no filme, mas independente disso eu achei a adaptação bem bacana.

Todos os principais elementos mostrados no livro estavam ali. O dia de Sam repetindo várias e várias vezes, e ali sendo mostrado que foram realmente muitas vezes a cada vez que ela acordava. Deu aquela impressão de loop infinito tipo aquele final do episódio de Natal de Black Mirror, sabe?







google imagens
Gostei bastante da atuação da Zoey. Eu não vi muitos filmes com ela, mas é muito bom quando você vê uma atriz fazendo você se esquecer dos outros filmes que ela fez, entende? Eu realmente só a via ali como Sam e não como aquela lá de Academia de Vampiros. Alguns atores não conseguem sair de outro personagem e carregam o tipo para sempre, mas nesse caso ela realmente incorporou Sam da melhor forma. A única coisa chata é que eu amei a Sam do livro e não gostei muito da Sam do filme. Acho que estando fora da cabeça da personagem e vendo mais suas atitudes fica mais difícil de entende-la e simpatizar com ele logo de cara. Ela foi conquistando aos poucos mas não chegou a ser aquela coisa de personagem favorita. Alias, no filme não tem realmente nenhum personagem que seja muito bom ou marcante.

A adaptação tá bem legal e vale a pena dar uma conferida, mas realmente recomendo a leitura do livro que é excelente. O filme ele conta a história como ela é, mas é tudo bem cru no meu ponto de vista.


 
Copyright © @kzmirobooks. Designed by OddThemes