Drácula (Bram Stoker)

Qualquer fã de terror já se deparou em algum momento com Drácula, seja o filme, série ou referencias em outras obras. Eu sou uma dessas e confesso que nunca senti tentada a ler o livro original até comprar a coleção da Martin Claret que contém os livros O Médico e o Monstro e Frankenstein. Então aproveitei para colocar na minha lista de 2021 para conhecer essa história que conquistou muitas gerações e é uma referencia na literatura de terror.

Eu não esperava encontrar aqui uma história narrada em forma de diários e cartas. Esse não é um elemento narrativo que eu gosto muito, apesar de já ter lido boas histórias assim. Mesmo com muitos detalhes do que acontece na mansão do Conde Drácula e do que sucede posteriormente ainda gostaria de uma história linear narrada em terceira pessoa. Claro, estou basicamente exigindo que o livro seja do jeito que eu gostaria, ou esperasse, né? Mas as cartas e diários dão a impressão de deixar alguns detalhes de fora e, a maioria das vezes, colocar muito sentimentalismo dos personagens para com o remetente ou a si mesmo (no caso dos diários).
— Bem-vindo a minha casa. Entre por livre e espontânea vontade. Vá em segurança e deixe algo da felicidade.
Jonathan é um jovem assistente de advogado que precisa viajar para a Transilvânia e auxiliar um cliente de seu empregador que irá se mudar em breve para Londres. Esse cliente é o próprio Conde Drácula acaba aprisionando o jovem por algumas semanas e o deixa para morrer após sua mudança. O inicio do livro, quando Jonathan está na casa do Conde com certeza é uma das partes mais assustadoras da história; Mesmo eu conhecendo um pouco da história de Drácula e sabendo o que ele é, ao ver a incerteza do personagem e o medo que ele sente das coisas que vê naquela casa parece que eu estava sabendo da existência do conde pela primeira vez. Para mim o livro poderia se estender um pouco mais nessa parte, pois quando o Conde passa a viver em Londres e procurar formas de se alimentar lá a trama ficou muito morna e me fez questionar o motivo do livro ser tão aclamado no aspecto de terror ainda hoje.

As próximas cartas são da noiva de Jonathan, Mina, sua amiga Lucy e alguns de seus pretendentes a história passa a ser muito mais uma investigação sobre quem, ou o que, o Conde Drácula é. A presença de Van Helsing é uma boa adição na história, pois ele já tem pleno conhecimento da lenda que envolve o vampiro e como pode destrui-lo. Então aqui ficam algumas comunicações mais chatas, como Lucy contando para sua amiga sobre seus pretendentes e posteriormente esses homens todos reunidos para tentar matar o Conde. Além de conversas que em alguns momentos parece não levar a história para lugar algum. Entendo que faz parte da característica de cartas e diários, que as vezes o assunto pode ir até coisas irrelevantes, mas isso deixa faz com que o livro perca toda a ambientação de terror que deveria ter.

Acho que uma das coisas que mais espero em um livro de terror é o final e aqui não foi diferente. Eu acreditei que o encontro com a criatura seria épico, de dar medo e fazer com que o leitor se sentisse aflito, mas a jornada foi tão grande que o ápice não fez jus a ela. Cena de duas, três, páginas que são esquecíveis. Então ao contrário do esperado, infelizmente, Drácula é uma história bem morda.

🧛🏻‍♂️

Título: Drácula • Autor: Bram Stoker • Tradução: Maria Luísa Lago Bittencourt • Editora: Martin Claret

COMPRE O LIVRO AQUI | ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG

PARTICIPE DO TOP COMENTARISTA

CONVERSATION

4 Comments:

  1. Silviane!
    Ah! Uma pena que tenha achado a história morna.
    Já eu adoro livros com escrita epistolar, justamente porque mostra o sentimento das personagens e de forma crua.
    A sensação de suspense, a meu ver, talvez seja até melhor do que o ápice no final...
    cheirinhos
    Rudy

    ResponderExcluir
  2. Eu amo histórias de vampiros, mas como você, nunca tinha lido o vampiro dos vampiros. Imaginava que seria algo mais lento, pois em Frankenstein foi assim também. Aliás, só a nível de curiosidade, a história de Drácula e Frankenstein "nasceram" na mesma noite, numa roda de conversa. =)
    Por isso imaginava que tivesse uma linguagem bem semelhante e arrastada. Mesmo assim, eu estou com o livro do Drácula para ler, mas ainda não saiu da estante... rs
    Que pena que a leitura não te foi agradável, especialmente no final, que eu também crio mil expectativas. =/ Já vou ler sem esperar muita coisa então.
    Bjks!

    Mundinho da Hanna
    Pinterest | Instagram | Skoob

    ResponderExcluir
  3. Olá,

    Eu gosto muito da obra, mas para quem espera um terror intenso realmente acaba se frustrando um pouquinho.
    Vendo sua opinião bateu uma vontade de ler.


    Bjs e uma ótima noite!
    Diário dos Livros
    Conheça o Instagram

    ResponderExcluir
  4. ola
    Vejo esse livro sendo tão comentado mas nunca senti vontade de ler ,não gosto de livros com essa tematica de vampiro e e some se isso o fato de ser narrado em primeira pessoa .
    .

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! ♥ Se gostou do post deixe seu comentário com suas impressões sobre o texto.

Caso você tenha um blog não esqueça de deixar seu link que eu irei retribuir sua visita.

IMPORTANTE
Os comentários publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores e não refletem a opinião da blogueira.

Contato: silvianecasemiro@gmail.com