5 autoras que você deve conhecer

 

Símbolo feminista

Hoje é o Dia Internacional da Mulher e eu não poderia deixar essa data passar em branco aqui no blog. Não vou ficar me atentando a história deste dia, pois é algo que está disponível é váaarios sites na internet e provavelmente muitos outros blogs vão falar sobre isso hoje. Então eu decidi indicar para vocês 5 autoras que são importantes para o feminismo, seja na ficção ou fora dela. 

As autoras listadas aqui são autoras que eu já conheço e já li pelo menos alguma obra e uma delas é uma autora que eu ainda quero muito conhecer. Bora lá.

+ leia: Livros para começar a entender o feminismo


Virginia Woolf 


Atualmente é considerada uma das maiores escritoras do século XX, grande romancista e ensaísta, bem como figura de destaque na história da literatura, como feminista e modernista. Nascida em 1882, sofreu fortes traumas na adolescência em razão da morte de sua mãe e da meia-irmã, que a deixaram vulnerável a colapsos nervosos pelo resto da vida. Em 1941, temendo novo surto de doença mental, cometeu suicídio, afogando-se. [fonte: Companhia das Letras]


Autora de Orlando, Mrs Dalloway e Um Teto Todo Seu, em sua escrita ela, já no inicio do século XX, falava sobre o papel da mulher na sociedade e o tratamento que os homens nos dão. Também falava em seus livros sobre a vida cotidiana, a guerra e até problemas mentais.

Na minha lista de leitura estão Mrs. Dalloway e Orlando e eu já li o livro de ensaios Profissão para Mulheres e outros artigos feministas.


Charlotte Perkins Gilman


Foi uma feminista, socióloga e escritora norte-americana, que escreveu contos, poesia e livros de não ficção. Suas conquistas foram excepcionais para uma mulher de sua época, e seus conceitos não ortodoxos e estilo de vida serviram de modelo para gerações futuras de feministas. [fonte: Grupo Editorial Record]


Durante seus anos de casada sofreu com depressão profunda e acredita-se que essa foi a inspiração para um de seus contos mais famoso: O Papel de Parede Amarelo. No inicio de século XX escreveu diversos artigos feministas, incluindo para a Constituição de Atlanta em 1916. Para conhecer um pouco mais da autora vale dar uma lida no artigo da Wikipédia sobre ela.

Já pude ler O Papel de Parede Amarelo e Herland: Terra das Mulheres está na minha lista de leitura.

Conceição Evaristo


Maria da Conceição Evaristo de Brito nasceu em Belo Horizonte em 1946 é romancista, contista e poeta. Nasceu em uma comunidade no alto da Avenida Afonso Pena. Trabalhou como empregada doméstica até 1971, quando concluiu os estudos secundários no Instituto de Educação de Minas Gerais. Em em 1973 mudou para o Rio de Janeiro, pois foi aprovada para o magistério. Estudou na Universidade Federal do Rio de Janeiro e formou-se em Letras. Ingressou no mestrado em Literatura Brasileira da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC/RJ) onde defendeu, em 1996, a dissertação Literatura Negra: uma poética da nossa afro-brasilidade. [fonte: Itaú Cultural]


Até o momento li Olhos D'Agua, mas quero ler outros livros dela principalmente por falar do feminismo negro, que vocês sabem que eu gosto.

Margaret Atwood


Nasceu em Ottawa, Canadá, em 1939. Graduou-se em Artes pela Universidade de Toronto e foi professora de Literatura Inglesa. Já escreveu mais de 40 obras de diversos gêneros, incluindo ficção, poesia e ensaios críticos. [Fonte: Editora Morro Branco]


Acho que ela dispensa comentários, né? Nos últimos cinco anos tem sido extremamente aclamada pelo sucesso de O Conto da Aia na adaptação, por esse sucesso inclusive escreveu a continuação, Os Testamentos, da obra. Já li os dois livros e, com certeza, são um dos meus favoritos da vida. Ainda quero ler Vulgo Grace.

Sylvia Plath


Nasceu em Boston, EUA, em 1932. Teve uma passagem melancólica por Nova York, tentou o suicídio por mais de uma vez, casou em 1956 com o poeta inglês Ted Hughes, foi com ele para  Cambridge, Inglaterra. Teve dois filhos. Descasou em 1962, escreveu seus poemas capitais, publicados postumamente no volume Ariel (1965), sua obra mais importante. Dois anos antes, em 1960, lançara o seu primeiro livro, Colossus. Em 11 de fevereiro de 1963, Sylvia Plath aos 30 anos de idade cometia suicídio inspirando gás na cozinha de sua residência. [Fonte]


O suicídio fez dela, que era apenas uma jovem de 30 anos, um mito. Não entre os académicos ou os intelectuais, mas entre as feministas inglesas e americanas do final dos anos 60. A sua poesia tornou-se secundária ao que foi a sua vida conjugal com o famoso poeta Ted Hughes, as traições, os maus tratos, a solidão, os desencontros fizeram dela a bandeira perfeita da luta feminista: a bela, jovem e promissora poetisa mata-se devido à infidelidade conjugal. E assim, Sylvia Plath começou a ser lida não como a talentosa que era — e é — mas como uma vítima. [Fonte]

Quero muito ler suas obras, pois sua vida gera curiosidade. A Redoma de Vidro e Ariel são seus livros mais famosos.

Qual autora você acha que faltou nessa lista?


📚

ASSINE A NEWSLETTER DO BLOG

Postar um comentário

8 Comentários

  1. Adorei a postagem!
    Da sua lista quero muito ler Margareth Atwood, mas já conheço por causa da série.
    E Virginia Wolff tenho amigas que amam, então quero conhecer.
    Vi que sua leitura atual é O Morro dos Ventos Uivantes. Quero ver sua resenha, porque é uma das minha próximas leituras.

    Beijooooos

    Teca Machado
    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Silviane, sua linda, tudo bem?
    Eu livro Redoma, não sei se conhece que cita a autora Sylvia Plath, por isso sempre tive vontade de ler alguma obra dela, muito triste o que aconteceu. E não sabia que Virginia Woolf tinha tido mesmo fim. Mas algumas histórias são felizes e e servem de inspiração como a de Conceição Evaristo. Adorei sua postagem, poder conhecer essas mulheres que contribuíram tanto para a literatura.
    beijinhos.
    cila.

    ResponderExcluir
  3. Oi Silviane!

    Eu preciso muito ler algo da Viginia, eu tenho um livro dela mas dizem que ela é muito arrebatadora no que escreve e eu sei que eu vou chorar e sofrer ai tô enrolando HAHAHAHAH A Sylvia eu amo, adoro tudo que ela escreveu, é muito dolorido e bonito, gosto de coisas assim. E a Margaret é excepcional em tudo que faz né?! Adorei suas indicações!

    ResponderExcluir
  4. Oi Sil!!

    Achei seu post um completo arraso, das autoras citadas eu só não conhecia a Charlotte e ainda que conheça as outras ainda não li nenhuma obra das autoras, mas, sem dúvidas eu farei a leitura delas, principalmente da Margaret e da Conceição. Amiga fiquei meio espantado com indce de suicídio entra as autoras.

    Beijos!
    Eita Já Li

    ResponderExcluir
  5. Conheço todas as autoras citadas e acho que a produção delas é de extrema importância, fico feliz de ver postagens como essa, por parecer para alguns repetitivas, mas para mim, repetitivo é o número de casos de violência contra a mulher e feminicidio. Que o mundo seja tomado por produções de mulheres

    ResponderExcluir
  6. Nossa, ótimas recomendações de autoras. Algumas eu não conhecia e já anotei aqui para futura pesquisa. Eu já tentei ler A Redoma de Vidro e não consegui emplacar a leitura. Vou tentar novamente em algum momento.
    Bjs
    Lucy - Por essas páginas

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Adorei a lista e não li algumas das autoras citadas, mas sempre tive curiosidade como a Virginia Woolf. Uma autora que poderia estar na listagem e indico para todos é Octavia Butler! Acho maravilhoso o catálogo dela e tudo que envolve suas histórias. Ótima postagem!
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá, tudo bem? Que post maravilhoso, para tudo que preciso conhecer algumas dessas, inclusive já encomendei algumas leituras de Silvia, já li um livro de Virgínia, mas quero ler mais obras dela. Adorei suas dicas!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! ♥ Se gostou do post deixe seu comentário com suas impressões sobre o texto.

Caso você tenha um blog não esqueça de deixar seu link que eu irei retribuir sua visita.

IMPORTANTE
Os comentários publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores e não refletem a opinião da blogueira.

Contato: silvianecasemiro@gmail.com