"Os Sete Maridos de Evelyn Hugo" é um dos livros mais importantes que você terá a oportunidade de ler

 


Se tem um livro que o bookstan não larga do osso é Os Sete Maridos de Evelyn Hugo, e eu como gosto de ser contrária a tudo levei um ano para resolver ler e tirar minhas próprias conclusões. Não gosto muito de hypes, então acho que essa é a minha defesa para ter fugido por meses. Algumas fugas não duram para sempre, então juntando a minha ressaca literária e preguiça de ler qualquer livro de não ficção fora da faculdade decidi ler esse e, claramente, foi a melhor decisão que tomei nos últimos meses. Então pode me chamar de presunçosa quando eu falo que esse é o livro mais importante que você terá a oportunidade de ler, mas acredito mesmo que Evelyn Hugo é um livro que nos fará refletir sobre o machismo, lgbtqi+, fama, dinheiro e família como nunca pensamos antes (pelo menos não com todos esses elementos juntos). Isso desconsiderando o fato de termos uma personagem latina como protagonista, e que obviamente deixa todas as suas origens de lado em busca de um sonho. 

Evelyn Hugo é uma famosa atriz de Hollywood, que ganhou fama em meados dos anos 50 com alguns papeis pequenos e na adaptação do clássico Mulherzinhas. Ela sonhava com a fama desde pequena, então na primeira oportunidade, ainda com 16 anos, casou com um homem e partiu para Flórida em busca do que queria sem tardar a conquistar, já que mesmo adolescente ela era determinada e persuasiva, sem falar que era dedicada em aprender tudo sobre atuação e principalmente sobre o meio hollywoodiano. 

Quando surge uma oportunidade para mudar sua vida, esteja pronta para fazer o que for preciso.

Uma das coisas mais notórias a respeito de Evelyn Hugo é sobre os seus 7 casamentos e os motivos que a levaram a ter tantos maridos, tantos relacionamentos fracassados ao longo de sua vida, e o motivo é justamente uma das melhores coisas do livro e de sua história. Eu acho que a essa altura todos já devem ter lido algum spoiler ou outro sobre o livro, então não vou considerar isso como uma grande novidade: Evelyn Hugo é bissexual que passou a vida inteira apaixonada por uma mulher (que também é atriz) e nunca pode revelar ao mundo e seus fãs esse amor. Ambas, de certa forma, viveram por esse amor, mas como havia tanto a perder sempre foi tudo escondido. Evelyn usava os homens a seu favor, seja para esconder seu segredo, ou para subir na escala de fama, e por esse amor ela nunca amou de verdade nenhum de seus maridos (com exceção de Cameron, que era seu melhor amigo e que, inclusive, tem um plot muito bom dele). A história é contata pelo ponto de vista de Monique, uma jornalista que foi convidada por Evelyn a entrevista-la e escrever sua biografia (a única autorizada pela própria Evelyn e que terá toda a verdade a respeito da estrela).


Eu nunca li um livro onde a protagonista é latina (eu acho) e mesmo que a autora tenha escrito Evelyn envergonhada de suas origens, tentando esconder quem é e de onde veio, ainda assim é interessante ver por esse aspecto. Acho que a autora não tem, de fato, lugar de falar em respeito as pessoas latinas que vivem nos EUA, por exemplo, mas ela soube como colocar essa pessoa num lugar importante na história sem estereótipos e retratando algo que é comum a essas pessoas: O sonho americano. 

O ponto alto fica na pauta lgbtqi+, já que como dito Evelyn é bi e se apaixona por outra mulher, que é lésbica. As duas precisam esconder isso, pela fama acima de tudo, e pelo medo do que pode acontecer se revelarem sua sexualidade ao mundo. Lembrando que no século passado haviam "experiências" de reversão de "opção sexual", e até poderia ser considerada uma "pratica" criminosa (e infelizmente ainda é em alguns países em pleno século XXI). Eu queria dizer que amo esse romance do livro, mas ele é sofrimento atrás de sofrimento. Quero dizer que eu amo as duas, entretanto me dói ver como elas sofreram ao longo dos anos até conseguirem ficar juntas, e mesmo assim vivendo uma mentira e isoladas do mundo por anos. Ninguém deveria ter que esconder quem é e quem ama, mas como bem sabemos isso ainda é comum e tem pessoas que nunca vão ser plenamente felizes (como foi com elas). Então foi bom ler essa perspectiva em um ambiente hollywoodiano, ainda mais com todos os podres que a indústria cinematografia carrega de longos e longos anos. 

Sobre Monique: Para mim é uma personagem indiferente dentro do livro. A autora tentou dar um arco para ela, principalmente no que diz respeito a seu pai, entretanto para mim não foi o suficiente para a personagem ser realmente relevante dentro da proposta do livro. Acho que se a narrativa tivesse dado a ideia de que era uma biografia tudo teria sido muito mais interessante, até porque ainda sendo vendido como um livro de ficção eu vejo algumas pessoas ainda achando que Evelyn Hugo foi real, então a ideia de enganar os leitores é boa.

📚
Título: Os Sete Maridos de Evelyn Hugo (The Seven Husbands of Evelyn Hugo) • Autora: Taylor Jenkins Reid
Editora: Paralela • Tradução: Alexandre Boide

Postar um comentário

1 Comentários

  1. OLA
    Que bom que passada a resistencia inicial em ler esse livro ,por causa da hype,foi recompensada .porque como voce diz ela foi uma das melhores tramas que voce já leu .
    não tenho aquela vontade de ler ,acho que já vi tanta resenha do livro que parece que já sei da estoria .
    não digo que não lerei mas tambem não tenho prioridade fazer a leitura .

    ResponderExcluir