Faça uma Maratona: Little Fires Everywhere


Recentemente eu assisti a série baseada no livro Pequenos Incêndios por Toda Parte, da Celeste Ng e posso dizer que AMEI muito. Hoje vou dar para você 4 motivos para maratonar essa série incrível.

Anos 90

A série se passa no final dos anos 90 e eu como essa a melhor época claro que adorei; Mas mais importante do que isso a série nos da uma ideia da vida escolar dos jovens nos anos 90 (padrão americano, claro) e em todas as mudanças que estavam acontecendo já naquela época. O pensamento critico, a hipocrisia, a ideia da popularidade sendo desmistificada, mas ao mesmo tempo reafirmando o bullying com as pessoas que são diferentes.

Racismo

A forma como o racismo era abordado nos anos 90 é um pouco diferente de como o vemos hoje em dia, mas isso não muda o fato do racismo vedado que existia e ainda existe nos dias atuais. Elena é uma mulher branca de classe média alta e dedicou sua vida a seus filhos, há nessa quase que uma síndrome de salvadora da pátria e ela acaba "ajudando" uma mulher negra e sua filha adolescente a se estabilizarem naquela comunidade. Eu, particularmente, em vários momentos senti como se Elena não fosse uma racista e sim que ela realmente é uma pessoa boa, e talvez essa impressão esteja correta nos primeiros dois episódios (ou seja somente a minha visão de pessoa branca), mas com o decorrer de trama fica óbvio que ela tem sérios problemas com pessoas negras por mais que queira mascarar isso. Sabe aquela história do "eu não sou racista, mas..."? É bem assim que Elena age e isso reflete até mesmo na criação de seus filhos, que por mais que tentem ser melhores que seus pais eles ainda fazem parte daquela sociedade rica e branca.


Drama Familiar

Apesar de não ter muita paciência para ler dramas familiares eu adoro uma boa série com eles e Little Fires Everywhere tem um ótimo drama principalmente envolvendo "mãe". De um lado temos uma afamilia rica e grande e do outro família nômade com somente duas pessoas. Pearl sempre sonho em ter um lugar para se estabelecer com sua mãe e nunca entendeu muito bem o motivo de elas precisarem tanto se mudar de tempos em tempos, da mesma forma que os filhos de Elena buscam sempre pela aprovação da mãe e ser a imagem da perfeição (com exceção de Izzy). Eu amo a maneira como essas meninas passam a se dar melhor com a mãe da outra do que a própria, pois cada um tem sua própria personalidade e desejo, e a vivencia familiar e social que as moldam e ao mesmo tempo as cegam para apreciar o que tem e também ter a liberdade de questionar o que não tem. 

Atuações e diálogos

Uma das melhores coisas da série são as atuações. Particularmente não achei que ninguém ali deixou a desejar, até mesmo os antagonistas e os personagens que tiveram pouco tempo de tela. Obviamente as melhores são Kerry Washington e Reese Witherspoon e eu amava vê-las atuando juntas, principalmente quando havia algum atrito entre elas e várias questões importantes eram envolvidas nos diálogos. Inclusive diálogos são uma das coisas mais importantes da trama toda, afinal são neles que percebemos todos os erros, acertos, preconceitos e ignorância dos personagens, assim como entendemos suas motivações.

Little Fires Everywhere está disponivel no Brasil pela Amazon Prime Video e se você ainda não é assinante aproveite que tem 30 dias gráticas (clique aqui).

Em Little Fires Everywhere, um encontro entre duas famílias completamente diferentes vai afetar a vida de todos. A dona de casa perfeita Elena Richardson (Reese Witherspoon) aluga a casa de hóspedes à Mia Warren (Kerry Washington), uma artista solteira e enigmática que se muda para Shaker Heights com sua filha adolescente. Em pouco tempo, as duas se tornam mais do que meras inquilinas: todos os quatro filhos da família Richardson se encantam com as novas moradoras de Shaker. Porém, Mia carrega um passado misterioso e um desprezo pelo status quo que ameaça desestruturar uma comunidade tão cuidadosamente ordenada

Postar um comentário

0 Comentários