Hábitos de leitura



Desde que passei a me reconhecer como uma leitura na sociedade muitas vezes vi pessoas incrédulas em como tenho coragem de ler um livro, ou em como eu sou inteligente por ler livros, e outras frases que provavelmente todas as leitoras que lêem esse blog já devem ter ouvido. O que essas pessoas, infelizmente, não sabem é que a leitura não é só um sinônimo de coragem e inteligente, mas é um prazer e que nós fazemos isso para ter essa sensação tão gostosa que é a de ler e conhecer diferentes lugares, pessoas, culturas, e até mesmo para conhecer histórias reais, pessoas reais, e etc.

Nem sempre eu fui uma leitora, apesar de gostar de livros desde a pré-adolescência. Eu nunca tive incentivo dentro de casa, pois a minha família via os livros como algo caro — o que não deixa de ser verdade quando você deve escolher entre gastar R$50,00 em um livro para uma criança da casa ou R$50,00 em mantimentos para alimentar quatro ou cinco pessoas. Então quando descobri a biblioteca da escola tudo mudou, pois passei a ler e gostar de ler, mas o processo não foi muito rápido mesmo nessa idade. Hoje em dia eu sei que preciso ler nas horas que estou mais desperta, sei que posso estabelecer uma meta diária de leitura para manter um ritmo e ler tudo (ou quase tudo) que quero, mas nessa época eu não podia nem pensar em fazer isso pois mais seria uma obrigação que outra coisa. Por isso que, apesar de achar eficiente, acho problemático querer estabelecer metas para as pessoas que estão começando a gostar da leitura na vida adulta.

Hoje gosto de estabelecer metas diárias de leitura, que vão de segunda a sexta. A minha ideia principal é ler um livro por semana, portanto sempre que pego um livro novo divido o número de páginas pelo número de dias em que pretendo finalizar a leitura para ter uma ideia do que tenho que ler diariamente. Não coloco os finais de semana na contagem pois, geralmente, são dias que gosto de pensar em vida social e dormir, então nem sempre consigo ler e se leio conto como um extra. Para controlar o prazo eu estou usando uma agenda, onde todos os dias marco o quanto li para saber se bati a meta ou passei dela. Quando passo da meta não significa que no dia seguinte eu irei ler menos, a quantidade é sempre a mesma independente do dia anterior, e a vantagem é que posso acabar o livro mais cedo do que esperava e poder ler mais coisas depois.

Atualmente estou tentando usar um bujo para marcar todo o inicio de mês o que irei ler, pois como tenho leituras coletivas e livros de parceria preciso conseguir focar na meta para dar conta de tudo no prazo correto. Claro que nada disso é certeiro, pois não é uma ciência exata. Às vezes uma leitura flui tão bem que termino em três dias e às vezes é tão denso que acaba se estendendo um pouco mais, nem sempre vai dar certo mas a ideia é somente conseguir controlar para as coisas não saírem tão fora de controle, sabe?

Minha meta esse ano é ler 50 livros, em Janeiro já consegui ler 5. Sim, se eu conseguir manter esse número mensal vou conseguir bater a meta com tranquilidade, mas eu sei que terão meses que não conseguirei ler tantos títulos, então não vou aumentar a meta e sim focar no que preciso ler de urgente por causa de compromissos que firmei, seja com as LCs ou com os parceiros. A única obrigação que tenho é de não parar de ler, nem que seja alguns minutos por dia (mesmo sem bater a meta de páginas, a de tempo também pode ser uma opção).

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Eu não estipulei uma meta de livros este ano, mas sempre tento tirar um momento para ler. Manter o hábito de leitura é essencial.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir