Resenha: Ela Disse

Livro sobre reportagem do #MeToo

Terminei a leitura deste livro por volta de 1:00h do dia 4/01/2019 — justamente dois antes de darem inicio ao julgamento de Harvey Weinstein, produtor de hollywood que foi acusado por cerca de 80 mulheres de abuso e assédio sexual. Havia um sentimento de ódio em mim, um sentimento de incapacidade e de coragem ao mesmo tempo. Muitas vezes vemos mulheres acusando homens de assédio e/ou abuso e nos sentimos orgulhosas da coragem delas, entretanto nunca sabemos como foi para ela o caminho até a denuncia. Com Ela Disse essa perspectiva muda ao sabermos que essa mulher precisou de muito mais coragem para fazer aquela denuncia.

O livro é um relato das jornalistas Jodi Kantor e Megan Twohey sobre como foi o processo até a matéria do NYT, em outubro de 2017, com a denuncia dos assédios de Harvey Weinstein. Para quem ama jornalismo o livro é um prato cheio, com vários detalhes da investigação assim como algumas "regras" de jornalismo que eu, particularmente, não conhecia. Ele não é um livro pesado, por mais que as histórias ali sejam pesadas. Mesmo nas partes que há relatos das vitimas da forma como foram contadas as jornalistas ainda há uma certa leveza para não nos fazer passar mal com tanta barbaridade. É claro que essas histórias podem ser um gatilho para algumas leitoras e não estou falando em forma de meme e sim de verdade, pois com certeza se alguém que estiver lendo já tiver passado por aquilo ou algo semelhante irá ter reações negativas.
"Faz tempo que nós mulheres falamos sobre Harvey entre nós mesmas, e já é mais do
que hora de ter essa conversa publicamente”. Naquela noite, tinham uma nova versão do artigo, com o nome de Ashley Judd.

É incrível a determinação delas em fazer essa matéria acontecer. Ao longo das entrevistas e busca por novas testemunhas elas se depararam com muitas dificuldades, principalmente pelo fato de ter que fazer com a máxima descrição para que ele não descobrisse a respeito da matéria e acabasse botando tudo a perder com o seu poder de influencia e dinheiro; e o pior de tudo eram os vários acordos de confidencialidade feitos ao longo das décadas com várias mulheres que, em alguns casos, foram incentivadas por seus advogados a simplesmente aceitar o acordo e a indenização e seguir com a vida. Por muitos anos simplesmente a menção do nome Harvey Weinstein desmotivava as mulheres com suas denuncias e poucas que tiveram coragem foram retaliadas por isso ao longo de vários anos (só ler um pouco da história de Rose McGowan).

O livro ainda cita uma investigação a respeito de Trump, que ocorreu antes, e de um juiz da Suprema Corte americana, que ocorreu após as denuncias do NYT e o movimento #MeToo. Essas outras duas investigações, apesar de não ter relação direta com a principal contada no livro, é um paralelo que podemos usar como comparativo entre repercussão e como é importante as pessoas denunciarem o abuso o quanto antes. Outra questão importante que o livro acaba trazendo em sua conclusão é a respeito do #MeToo em si e como ele pode afetar as mulheres que não estão na vida "glamurosa" de Hollywood, onde seus abusadores são protegidos pelo anonimato e a necessidade da mulher em simplesmente ter um emprego.
Mas era o que todo mundo na sala, e mais pessoas fora dela, agora compreendiam: se a história não fosse contada, nada mudaria. Problemas que não são vistos não podem ser enfrentados. No nosso mundo jornalístico, a matéria era o fim, o resultado, o produto final.

Eu não poderia iniciar meu ano lendo um livro melhor e que me mostrasse tantas coisas que ignoro no meu dia a dia, mas que podem acontecer comigo a qualquer momento. Infelizmente nenhuma mulher está salva de assediadores e abusadores e é importante saber que temos sim o poder de denunciar esses predadores, pois quando isso é feito estamos também ajudando outras mulheres a não passarem por isso. Este livro é uma leitura necessária e atual.

📚

Título: Ela Disse — Os bastidores da reportagem que impulsionou o #MeToo (She Said)
Autoras: Jodi Kantor e Megan Twohey • Editora: Companhia das Letras
Tradução: Denise Bottmann, Isa Mara Lando, Julia Romeu e Débora Landsberg

Esta resenha foi postada originalmente no blog Roendo Livros

Postar um comentário

6 Comentários

  1. Olá, Silviane.
    Já estou anotando aqui para uma futura leitura. Eu li Coragem da Rose e amei. Fiquei chocada em algumas partes também. É tanta sujeira por baixo do pano. E livros como esse incentivam outras pessoas a denunciar para que pare de acontecer.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Oi, Sil!
    Nossa, uau! Que livroooo!
    Não conhecia, mas quero muito ler, ainda mais que sou jornalista.
    E que bom que apesar do tema seríssimo, as autoras fizeram de um jeito leve, claro que com gatilhos, por causa do tema, mas gostoso de ler.
    Dica anotada!

    Beijoooos

    Teca Machado
    Casos, Acasos e Livros

    ResponderExcluir
  3. Olá Silvane,
    Não conhecia o livro mas já me interessei. Também não conhecia o caso (sim, sou super desatualizada) mas é impressionante o nível que precisa chegar para um caso assim ser levado a sério.

    Beijo!
    www.amorpelaspaginas.com

    ResponderExcluir
  4. Thanks and keep sharing great content.

    Hijab-style - Puffer Jacket Trend

    ResponderExcluir
  5. Olá...
    Que resenha mais maravilhosa! Amei toda a sua abordagem sobre o assunto e, é claro, já deixei anotadinho aqui pra ler futuramente!
    Enfim, fiquei com muita vontade de ler esse livro, os fatores que compõe o enredo parece tornar a leitura sublime... Gostei bastante de seus comentários!
    Dica anotada!
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Oie, tudo bem?
    Pela sua resenha, deve ser um ótimo livro, já fiquei mega curioso para conferir, obrigado pela dica!
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! ♥ Se gostou do post deixe seu comentário com suas impressões sobre o texto.

Caso você tenha um blog não esqueça de deixar seu link que eu irei retribuir sua visita.

IMPORTANTE
Os comentários publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores e não refletem a opinião da blogueira.

Contato: silvianecasemiro@gmail.com