Resenha: Todas as suas (im)perfeições


É um fato que, pelo menos, uma vez ao ano preciso ler algo da CoHo. Ela é uma autora que tem a capacidade de me tirar de qualquer zona de conforto literária que eu esteja, qualquer ressaca literária, e sempre, sempre, sempre me faz sofrer com suas personagens. Muito me surpreende eu ficar assim com Quinn, que tem o desejo de engravidar, que todos os meses sofre quando sua menstruação desce. Eu nunca penso em filhos e definitivamente maternidade não é algo que eu quero para mim, então eu tinha tudo para não sentir empatia nenhuma por essa mulher que estava usando o seu marido para apenas um fim. Mas como não se solidarizar com ela? Quinn esta representando neste livro todas as mulheres que sonham em ter filhos e não podem, todas as mulheres que estão sofrendo neste momento pois sabem que nunca irão poder gerar uma criança sua e mesmo eu não querendo ter filhos, tipo nunca, eu sofri com ela em todos os momentos, pois eu tenho opção e ela nunca terá.


O livro é narrado em duas linhas do tempo: Antes, onde temos Quinn noiva de um cara muito rico, mas alheia as suas traições até conhecer Graham no corredor do apto de seu noivo e o Agora, onde Quinn já esta casada com Graham há 7 anos e sabe, há pelo menos uns 5, que sua chance de ter uma família com sua alma gêmea é nula. Não é a primeira vez que CoHo nos mostra situações diferentes de uma mesma personagem e ela sempre consegue faze isso tão bem que, mesmo quem pode estar lendo distraidamente e não perceber que são duas linhas do tempo no livro percebe a mudança drástica de comportamento, atitudes, e até nas próprias falas. Quinn, mesmo após descobrir a traição do tal ex-noivo lá, ainda tinha uma coisa dentro de si que não a abalava; Seus diálogos eram alegres e sempre havia o lado positivo de tudo. A Quinn do Agora é amarga, ressentida consigo mesma, e não demonstra mais nenhum sentimento pelo seu esposo, mesmo que o ame muito. É muito fácil odiar ela quando não nos colocamos em seu lugar, pois ela é uma personagem que nos incomoda ao ler, que nos faz querer deixar o livro de lado e ler algo mais feliz, mas sabemos que não podemos abandona-la naquele estado, sabe?

Graham é aquele personagem perfeito (eu amo os homens perfeitos que a CoHo cria). Quando descobriu a traição de sua namorada com o ex-noivo de Quinn tudo que conseguiu fazer foi ser gentil com ela, foi ajuda-la a passar por aquilo como se ele mesmo não estivesse sofrendo. Graham é tão altruísta que eu sentia raiva me perguntando o porque de ele não ser um cuzão como tantos homens que vemos por ai, mas como ele seria amando tanto Quinn? Ele sempre acreditou, desde o Antes, que eles são alma gêmeas, que todas as coisas fizeram com que ele se encontrasse exatamente naquele momento no corredor e depois de alguns meses em um restaurante. É tudo tão lindo que eu até renovo minha fé nessas coincidências. Tudo o que ele quer é fazer Quinn feliz e se sente arrasado ao vê-la nesta situação. Suas tentativas de agrada-la, de demonstrar seu amor acabam comigo todas as vezes, pois é impossível ele fazer algo para amenizar a dor dela quando só há um objetivo. Mesmo no momento em que ele vacilou eu não consegui odia-lo, pois existem causas e consequências para tudo e naquela situação toda ninguém é culpado de nada a não ser a própria natureza.


Este livro é tão sensível ao mostrar o relacionamento deles antes do casamento e como tudo era tão lindo e perfeito, mas ao ver como tudo ficou ao passado essa leitura mexeu muito comigo e nunca vou deixar de gostar desses personagens que tanto me ensinaram em poucas páginas. Prometi a mim mesma, como leitora, de que nunca deixarei de me colocar no lugar das personagens antes de julga-las por suas atitudes, pois tem coisas que só quem tá na pele sabe como é, só quem ta na pele pode explicar seus rancores.

Título: Todas as suas (im)Perfeições (All Your Perfects) • Autora: Collen Hoover
Editora: Galera Record • Tradução: Adriana Fidalgo

Share this:

12 comentários :

  1. Um dos livros que mais desejo nos últimos tempos. Sou fã demais do trabalho da autora e ela realmente tem o dom de nos tirar da zona de conforto ou do marasmo.
    A maternidade, a perda,a dor...o falhar. Tudo aqui reunido num enredo que sei que irei sofrer ao ler!!!! Beijo

    Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir
  2. Oi! Menina, é um dos livros que eu quero muito ler. Eu vi uma resenha semelhante a sua, e fiquei mega interessada porque imagino que seja um livro que quebre nosso coração, nos mostre as fraquezas do amor e que reconstrua nossa fé nele também. Eu adoro tramas com casais que passam por problemas ou famílias. É meu favorito!
    Beijo
    https://www.capitulotreze.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Olá que saber sobre suas considerações positivas sobre o livro, o recebi na semana passada e agora to mais tranquila para iniciar minha leitura <3

    ResponderExcluir
  4. Ainda não li nada da autora, mas todos falam desse envolvimento emocional que as obras dela fazem com o leitor. Confesso que não tenho o hábito de ler dramas, mas quero sim ler algo dela, ter essa experiencia tão fala por vc.
    Assim como você também não me vejo sendo mãe, mas penso que a empatia com as personagens acontece de forma natural já que somos homanas e nos sensibilizamos com a dor do outro.
    Na universidade lembro que estudando sociologia a professora falou que só podemos avaliar o comportamento de determinado grupo se nos imaginarmos vivendo e sentindo como ele, não podemos avaliar diante de nossos padrões, mas no padrão daquele que está sendo analisado enfim o seu aprendizado com essa leitura está bem nessa vibe né!? Amei conferir suas impressões. Parabéns pela leitura e resenha.

    ResponderExcluir
  5. Eu nunca li nada dessa autora e sempre encontro elogios sobre as suas histórias e escrita. Mas pela sua resenha deu pra sentir a carga emocional e o quanto essa leitura é envolvente
    Já quero ler


    Sai da Minha Lente

    ResponderExcluir
  6. Quero muito ler esse livro, dizem que é o melhor da autora! Espero ler em breve, pois fiquei mega curiosa com a sua resenha ♥

    ResponderExcluir
  7. Oi Silviane.

    Eu ainda não tive a chance de ler um livro dessa autora, mas tenho muita vontade. Acho que vou conhecer a escrita dela por esse livro. Sua resenha conseguiu despertar minha curiosidade.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Oi, esse me parece ser um livro bem forte, é realmente bom quando conseguimos enxergar a situação pelos olhos do personagem e assim podemos entendê-lo melhor, amei conferir sua resenha.

    ResponderExcluir
  9. Esse livro me despedaçou tanto que eu nem sei dizer :( O que eu mais admiro na CoHo é a forma como ela consegue tocar lá no fundo da alma e abordar assuntos importantes. A gente precisa mesmo nos colocar no lugar da personagem para entender o porquê ela tomou determinadas atitudes, mas nesse livro, achei totalmente compreensível.

    Beijos,
    Blog PS Amo Leitura

    ResponderExcluir
  10. Como vc, amo ler livros da CoHo e me emociono de mais com elas, mesmo quando não concordo com toda a condução da história. Eu amo a capa desse livro e sua resenha me deu a certeza de que é o tipo de história que vou amar ler!

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Antes de mais nada tenho que dizer que não consigo gostar das histórias da Colleen, comecei a achar repetitivas e parei de ler os livros dela. Pela sua resenha dá pra perceber que neste tem todos os elementos que tem nos outros, então acho que o livro não é para mim.

    Debyh
    Eu Insisto

    ResponderExcluir
  12. Oi, tudo bem? Semana passada li várias críticas sobre essa obra da Colleen e percebi o quanto a história é intensa. Não apenas por ser a marca da autora mas pelos relacionamentos em si. Manter um casamento não é fácil ainda mais quando as pessoas querem algo diferente ou então não conseguem alcançar aquilo que tanto desejam. Imagino o quanto deve ter sido doloroso para a protagonista passar por tudo isso. Imagina sendo de verdade. Muito triste. Um abraço, Érika =^.^=

    ResponderExcluir



 
Copyright © @kzmirobooks. Designed by OddThemes