Resenha: O Diário de Jack, O Estripador


Eu não sou a pessoa mais ligada na história do famoso serial killer Jack, O Estripador, mas quando vi esse livro fiquei muito curiosa por se tratar de um diário, ou seja, eu teria a oportunidade de ler as palavras do próprio. É claro que a identidade do assassino mais famoso da história ainda é um mistério, e provavelmente continuará sendo por muito tempo, mas um dos suspeitos tem uma história bem louca e uma mente perturbada.

Ao contrário do que eu achei o livro não é somente o diário de um dos suspeitos de ser Jack, o comerciante de algodão James Maybrick. Ele conta com toda uma história a respeito de Jim, de sua família, e principalmente sobre os vários estudos que foram feitos no diário desde que ele foi entregue a Shirley Harrison. Confesso que eu demorei um pouco mais do que gostaria para ler este livro, pois o texto em si é bem denso e com diversas informações sobre as analises laboratoriais, depoimentos de pessoas, analise do próprio James e detalhes sobre os assassinatos (que muitas vezes nos deixa horrorizadas, mesmo nos dias atuais.


Independente da minha dificuldade de leitura eu gostei muito da obra. Mesmo acreditando fielmente de que o diário não é uma farsa a autora colocou todos os pontos de vista possíveis com os resultados e comentários feito a respeito do livro e do relógio, que teoricamente, pertenceu a James.

Deixando de lado a ideia de que James pode ou não ser Jack e o diário sendo real ou não a história da Família Maybrick é extremamente conturbada. E uma pessoa me chamou muito atenção nessa história toda: Florie, a esposa de James. Ela era anos e anos mais nova do que ele, mas aceitou se casar com este homem para acabar vivendo uma vida infeliz. Sim, era uma outra época, mas mesmo nesses tempos Florie se mostrou ser um pouco além de seu tempo. Ela queria se separar, mas não podia por causa dos filhos; Florie tinha um amante e segundo relatos do diário James se excitava com a ideia de outro homem transando com sua esposa; No final de tudo Florie foi acusada de matar James envenenado (segundo o diário ele era viciado em arsênico) e ela sofreu tanto, por tantos anos na prisão. Perdeu o afeto de seus filhos e só teve próxima de si sua mãe. É impossível não ler este livro e não se sentir triste por esta mulher.


Se você gosta de livros de história, investigação e biografia então pega essa dica. O livro tem essa mistura de gêneros e tenho certeza que para quem adora o tema serial killer é uma leitura obrigatória, afinal esse é um dos mais famosos e mais antigos que temos conhecimento. Acho que a leitura será prazerosa, mas é bom alternar com outras coisas mais leves pois ele é bem tenso em alguns pontos.


Título: O Diário de Jack, O Estripador (The Diary of Jack the Ripper - The Chilling Confessions of James Maybrick) Autora: Shirley Harrison • Editora: Universo dos Livros • Tradução: Felipe CF Vieira
Livro cedido em parceria com a editora
Para comprar o livro na Amazon e ajudar o blog só clicar aqui

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Sou maluca pela história e pelo mistério que envolve Jack até os dias de hoje. E sei lá, parece que a cada novo livro lançado, mais segredos são revelados.
    Ainda não tinha lido nada a respeito deste livro e mesmo sendo assim como uma biografia dele e da família, quero sim, conferir!!!!
    Beijo

    Rubro Rosa/O Vazio na flor

    ResponderExcluir