Resenha: Proibido




Essa resenha eu escrevi há alguns anos quando colaborava com o falecido Cantar em Verso e, mesmo que eu ainda não tenha relido o livro, Proibido é um dos primeiros livros que me tirou da zona de conforto. Na época ele era bem hypado e até hoje vejo algumas pessoas comentando sobre ele e do medo de ler ele, então por isso que decidi reposta-la. Antes de começar o resenha vou falar pra quem quiser ler esse livro: é preciso (de certa forma) abrir um a mente antes de iniciar a leitura, afinal trata-se de um romance não muito comum na nossa sociedade: dois irmãos que se apaixonam. Admito que estava um pouco confusa com a sinopse divulgada pela editora e apenas quando comecei a ler o livro que entendi, realmente, o que se passa com/entre os personagens. Eu imaginava que eles iriam se conhecer, sem saber que são irmãos, e aí sim se apaixonar; Porém não é assim que a coisa toda acontece e é por isso que a história se torna tão perturbadora e ao mesmo tempo extremamente triste.

A contrário do que eu imaginava Lochan e Maya, de fato, moram juntos e fazem parte de uma família totalmente desestruturada. O pai os abandonou há cerca de 5 anos, quando Lochan tinha 12 anos. A mãe é o tipo ausente, sempre dando a desculpa de que precisa trabalhar muito para sustenta-los, quando na realidade ela só quer saber de sua própria vida. Hoje em dia, mesmo achando a mãe uma pessoa extremamente problemática provavelmente se eu relesse esse livro veria um lado dela diferente: da mulher que teve vários filhos e foi abandonada por um homem. Parece até estranho falar isso, e claro que não muda o fato de ela ser egoísta e não amar seus próprios filhos, mas provavelmente esse tipo de coisa mexe com a cabeça de uma pessoa e que a leva a fazer coisas que nós não compreendemos.

Lochan é o mais velho, com 17 anos e Maya tem 16. A diferença entre eles é de apenas treze meses e esse já é um fator que influencia para convivência entre os dois ser diferenciada. Durante a narrativa percebemos que eles nunca, de fato, se trataram ou se viram como irmãos e sim como melhores amigos e após o abandono de seus pais esse sentimento apenas se fortaleceu até sair do controle. Eles são os responsáveis pela criação e educação dos seus irmãos mais novos e também por dar amor, carinho e atenção, ou seja, eles fazem o papel de pai e mãe dentro daquele ambiente familiar. A única coisa que a mãe faz é dar o dinheiro para as compras do alimento, roupas e ainda assim ela acha que não tem essa obrigação. Se dependesse dela o Lochan largaria escola pra sustentar a família. Eles só não procuraram por ajuda, pois temem que a família seja separada.
Só com Maya posso realmente ser eu mesmo. Nós carregamos esse fardo juntos e ela está sempre ao meu lado, sempre ao meu lado. Não quero precisar dela, depender dela, mas preciso e dependo, não resta a menor dúvida.
Lochan

Acho que fica evidente desde o primeiro capítulo que Lochan tem problema como ansiedade e, talvez, depressão. Logo de inicio ele nos informa sobre a sua dificuldade de falar com as pessoas, se relacionar com qualquer um que não seja da sua família e participar de assuntos em sala de aula. Frequentemente tem ataques de pânico, se automutila e sofre bullying. Maya já é um pouquinho mais sociável, porém só mantem as suas amizades apenas no ambiente escolar. O que me deixou mais triste e até mesmo abalada com esse livro é perceber que essa história de amor só aconteceu pois ambos vivem nessa situação de abandono e veem um ao outro como algo bom e concreto, algo seguro, algo até mesmo puro. Em determinado momento da história eles até se questionam sobre como a vida e seu relacionamento seria diferente caso o pai não os tivesse abandonado e a mãe não os deixassem por conta própria.
Não aguento pensar que posso ter perdido nossa intimidade, nossa amizade, nosso vínculo de confiança. Ele sempre foi tão mais do que apenas um irmão. Ele é minha alma gêmea, meu oxigênio, a razão pela qual espero com ansiedade o momento de acordar todos os dias. Sempre soube que o amava mais do que a qualquer pessoa no mundo (...) Não somos doentios. Somos apenas um irmão e uma irmã que por acaso também são melhores amigos um do outro.
Maya

Lochan me conquistou do inicio ao fim. É evidente que esse garoto tem uma paixão, uma enorme devoção pela sua família; Ele faz questão de nos mostrar em todos os momentos, em todos os capítulos que narra. Se fosse em qualquer outro livro o leitor se apaixonaria por ele e teria a certeza de que ele é o par ideal para uma garota. Ele seria o cara que a garota se apaixonaria, afinal ele é inteligente, educado (mesmo com sua timidez) e ele cuida dos seus irmãos extremamente bem e você pensaria “ele seria um bom marido, um ótimo pai”. Sim, ele é o meu personagem preferido na obra e eu fico triste de pensar tudo o que ele sofreu sendo tão jovem.

De fato, é uma história extremamente emocionante mas eu não vou mentir dizendo que chorei, pois isso não aconteceu, mas houve um momento especifico que eu fiquei extremamente abalada e chocada com o que aconteceu. E acho que até fiquei surpresa em como um ato tão comum pôde me deixar tão triste, pois foi a partir desse momento que eu cheguei à exata conclusão que é um caminho sem volta para os personagens. Tudo que já está ruim só vai desmoronar mais e mais e mais. Nunca aconteceu comigo, mas eu tive vontade de fechar o livro e joga-lo pela janela.

Já vi muitas pessoas falando que não querem ler esse livro por causa do tema que ele aborda, mas se em qualquer momento da sua vida teve curiosidade de ler então eu digo: LEIA. A leitura é de extrema impotência para nos tirar da zona de conforto e tenho certeza que essa história irá mexer com você.


 

Postar um comentário

7 Comentários

  1. Oi!!

    Olha, eu devo falar que eu vi muito o hype desse livro e até hoje ele aprece na minha timeline mas eu não tenho coragem de ler, principalmente porque muitas coisas que o livro aborda vão muito contra coisas que eu acredito na vida sabe?! Então eu não leio porque eu sei que vou ficar com raiva da história HAHAHAHAHAHAH
    Adorei saber sua opinião e sua foto ficou belissima!!

    ResponderExcluir
  2. Oi Silviane, sua linda, tudo bem?
    Nossa, esse livro me pegou tão forte que sempre que lembrava da historia lá estava eu chorando novamente. Aquele final me destruiu. E por algumas semanas o livro ainda estava me afetando. Eu sei que tem muita coisa complicada na história, mas só consigo ver os dois e o amor deles. Sua resenha ficou ótima.
    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com/


    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Olá, Sil

    Esse livro me destruiu quando o li! Realmente rola muito receio por parte das pessoas, mas a autora não romantizar o tema. Tenho vontade de reler, mas não sei se tenho coragem. :(

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  4. Li esse livro há uns dois anos atrás e me lembro que na época, depois de terminar a leitura dele, fiquei uns cinco dias pensando na história, inclusive, pensar nela ainda me deixa abalada. Concordo que não é um romance fácil e é mesmo perturbador, mas eu acabei achando o final extremamente triste, por que eu acho que a relação de amor entre os irmãos é realmente uma questão psicológica devido a vida que levam.
    Amei sua resenha, super bem feita. E é verdade, esse livro nos tira da zona de conforto, também acho válida a leitura dele.
    Tô seguindo o blog *-*
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  5. Você me fez sentir vontade reler essa preciosidade. Na época que o li, sofri muito, quase desidratei, aí uma amiga me pediu para ler e como não sou muito de emprestar, pensei: vou dar que é melhor(no bom sentido)
    Só pra ela sofrer rs
    E hoje, com a cabeça mais aberta, sinto muita vontade reler e sentir tudo novamente!
    Beijo

    Angela Cunha/O Vazio na Flor

    ResponderExcluir
  6. Esse livro divide opiniões e eu fico do lado de quem foi dilacerada pela leitura e ainda assim, amou a experiência. Infelizmente eu tomei um spoiler do final, mas ainda assim, chorei igual criancinha quando a história se concluiu.
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Nossa, fiquei com a minha curiosidade bem aguçada com a premissa dessa obra, confesso que já quero saber dessa história na íntegra, pois deve ser muito impactante e surpreendente.Anotada a dica na minha lista de desejados.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita! ♥ Se gostou do post deixe seu comentário com suas impressões sobre o texto.

Caso você tenha um blog não esqueça de deixar seu link que eu irei retribuir sua visita.

IMPORTANTE
Os comentários publicados nesse blog são de inteira responsabilidade dos seus autores e não refletem a opinião da blogueira.

Contato: silvianecasemiro@gmail.com