Resenha: A Libélula no Âmbar


Não indicado para quem tem coração fraco. Brincadeira!, mas talvez não muito. O fato é que A Libélula no Âmbar deixa o leitor tenso a maior parte da leitura. Primeiro pela curiosidade de saber o que aconteceu para Claire voltar ao seu tempo e segundo (sabendo que terão outros livros) o que a fara voltar. Depois que li o primeiro livro da série fiquei muito ansiosa com o seu final, depois do que aconteceu com Jamie e a esperança de mudança e vida feliz ao casal; entretanto não teria graça ler um livro de 944 só com coisas felizes, certo? É perceptível ao leitor todo o cuidado que Diana teve ao escrever seus livros, criando situações onde os personagens precisam tomar decisões certeiras e rápidas, além de intrigas, amor e muitos detalhes seja em ambientes, vestimenta ou até mesmo cheiro. Pode-se até mesmo culpar o tamanho do livro por esses detalhes.

O principal objetivo de Claire e Jamie é tentar impedir a guerra que irá acabar com os clãs das Terras Altas, incluindo familiares e amigos do casal. Infelizmente, mesmo Claire sendo do futuro, não é de tanta ajuda com detalhes históricos já que ela nunca prestou muita atenção nisso quando Frank (seu marido do século XX) falava sobre o assunto; Mas de qualquer maneira é interessante acreditar que as coisas podem ser diferentes e ao mesmo tempo saber que não poderão ser, já que como em qualquer obra que envolve viagem ao tempo nós vemos que as consequências para as mudanças podem ser devastadoras.

O que eu senti um pouco de falta neste volume foi a presença de personagens secundários marcantes. De fato, ao meu ver, tem dois personagens que acabaram agradando-me bastante e que tiveram um certo destaque na trama, entretanto com taaaantas pessoas novas foi um pouco estranho algumas delas ficarem tão apagadas mesmo com a sua importância para a história em si. Se o livro fosse menor eu até entenderia, mas neste caso não é uma desculpa. Acho que pode até ser que a autora não quis fazer com que os leitores se apegasse aos demais personagens, já que em qualquer momento alguém pode morrer ou simplesmente deixar de aparecer na história devido a alguma mudança ou coisa do gênero.

A relação entre o casal esta cada vez melhor. Na leitura do primeiro livro fiquei bastante incomodada algumas vezes com os costumes de Jamie, que por sua vez refletem o costume da época, mas agora ele está muito melhor sabendo lidar com Claire e ela sabendo lidar com ele, ambos se respeitando acima de tudo sem impor a vontade/desejo do outro. Eu acho que nunca li um livro (e nem assisti uma série) em que o casal tem uma química tão maravilhosa quanto esses dois. Eles não são só aquele tipo de casal que você torce por eles, mas que você pode aprender com eles, entende? Ambos tem maturidade necessária e o desejo de fazer o relacionamento (e tudo aquilo que eles se propõem a fazer) dar certo. Eu acredito que são casais assim que faltam na literatura.

Apesar de ter amado o obra não darei cinco estrelas, pois em alguns momentos (são poucos) a autora ficou repetindo algumas coisas do primeiro volume (talvez isso pode ser bom para quem leu há muito tempo e não lembra dos detalhes) e depois mais próximo ao final ela repetia algumas coisas deste mesmo volume (alguns detalhes que poderiam ser perdidos por alguém mais desatento). E com um livro tão longo as descrições em alguns momentos passam a ser mais chatas, dando uma leve vontade de deixar o livro por uns três dias de lado e ir fazer outras coisas (eu acabei fazendo isso quando cheguei na metade do volume).

Leitura mais do que obrigatório para os fãs da série (de tv também). ♥

Share this:

Postar um comentário



 
Copyright © @kzmirobooks. Designed by OddThemes