Resenha: Julieta Imortal

Com o objetivo de eliminar livros não lidos da minha estante resolvi pegar aleatória um e eis que o sorteado foi Julieta Imortal, lançado há alguns anos pela Novo Conceito. Sempre gostei da capa desse livro e acabei comprando os dois em uma promoção, provavelmente numa Black Friday da vida, mas deixe ele abandonado por mais de um ano na minha estante. rs Nada melhor do que um romance para tentar sair da ressaca literária que estou há algum tempo, certo?

A história  não é exatamente uma releitura do clássico Romeu e Julieta já que nesta narrativa o grande casal que muitos leitores amam são na verdade inimigos mortais. Julieta trabalha para os Embaixadores da Luz, que lutam pelo amor das almas gêmeas, e Romeu trabalha para os Mercenários que querem acabar com o amor das almas gêmeas através de assassinato. E foi exatamente isso que aconteceu com o casal cerca de 700 anos atrás: Romeu matou Julieta para vender sua alma aos Mercenários em troca do que acredita ser a vida eterna.



O livro já começa com a alma de Julieta entrando no corpo de Ariel, uma menina que sofreu um acidente com óleo quente quando criança e desde então tem dificuldade para se relacionar com as pessoas, sua própria mãe e, claro, não tem amor próprio; e Romeu no corpo de Dylan, um menino razoavelmente popular na escola que havia feito uma aposta com um colega de que conseguiria ficar com Ariel. Os corpos já são inimigos, assim como agora as almas. É difícil falar sobre a personalidade de Julieta. Ela é construída sim ao longo da narrativa mas no geral as coisas no livro acontecem tão rápido que não acho conseguirei focar nas personalidades como sempre faço nas minhas resenhas. Uma reclamação recorrente sobre alguns livros é o quanto os autores deixam a história se levar para tudo se resolver tão rapidamente no final e é justamente o que não acontece nesta obra. Nunca havia lido nada da Stacey Jay mas se ela segue esse ritmo em seus outros livros, então parabéns!

A história foi se construindo com base na missão de Julieta (unir duas almas gêmeas) e em suas falhas na missão, principalmente com Romeu tentando sabota-la e com o sumiço da Enfermeira (uma especie de supervisora dos Embaixadores que sempre da instruções a ela) e o mais importante: pela própria Julieta se apaixonando pela alma gêmea que ela precisa unir. Parece que a partir daí a coisa fica medonha, mas não... Lembre-se que o livro tem apenas 237 páginas, então não há tempo para a autora focar no romance de Julieta e Ben, com floreios, cenas de romance e brigas entre os outros personagens. Tudo gira em torno exatamente da missão, mesmo que ela praticamente tenha estragado tudo, e no objetivo de Romeu de acabar de vez com essa maldição que os dois enfrentam há tantos séculos.
Os maiores mentirosos sempre contam a verdade quando querem.

Ao contrário do que parece Romeu não é um ser odiável (só um pouco). Ele passou por algumas coisas até chegar o ponto de vender sua alma os Mercenários e sacrificar seu amor proibido por Julieta ao ponto de mata-la. E mesmo ao longo desses anos sendo um Mercenário ele sofreu ao seu modo pelo que tinha que fazer e chega um ponto da história que você simplesmente torce para que as coisas se resolvam para ele no final. Eu estou curiosa para ler o segundo livro, que é narrado inteiramente por ele, para saber o que mais a autora pode dizer sobre ele para me surpreender.

Postar um comentário

1 Comentários

  1. Oi Sil, td bem?
    Eu tenho esse livro na minha estante há aaaaaanos, até hj n li! rs
    Ótima resenha, fiquei curiosa!
    Bjs
    http://acolecionadoradehistorias.blogspot.com

    ResponderExcluir