Resenha: Boo

28/12/2016


Com essa capa super fofa eu já me apaixonei de cara por esse livro, mas como dizer o quanto eu amei após concluir a leitura? Sabe aquele livro que te surpreende mas que não te deixa com raiva e nem com aquela sensação de desespero como alguns fazem? Bom, Boo é mais ou menos assim. Durante toda a leitura eu me senti curiosa para saber o que houve com Boo e Johnny e mesmo que ao longo da história várias coisas são reveladas o autor sempre conseguiu inserir mais um elemento para me deixar mais curiosa. Estranho falando assim, eu sei.

Ele é um garoto de 13 anos que morreu inesperadamente em frente ao seu armário na escola enquanto decorava a tabela periódica. Após sua morte ele acorda em um tipo de céu onde tem crianças de 13 anos e americanos. Neste local totalmente estranho e com alguns mistérios fora de lógica que só um menino que era considerado "nerd" pode achar alguma graça ele irá descobrir a beleza de ter amigos, o amadurecimento e principalmente aquilo que nós adultos sabemos tão bem: nem sempre a verdade é absoluta. Gostei de Boo pois mesmo morrendo tão cedo e mesmo que sua vida não tenha sido fácil antes de sua morte ele ainda tem um certo senso de humor e não se deixou abalar pelo que houve, mesmo após saber de toda a verdade.


O livro é escrito como se fosse uma carta de Boo aos seus pais, com ele expressando em diversos momentos que o que mais queria é que a carta, de fato, chegasse nas mãos deles. Ao final da leitura eu fiquei pensando o que sera que eles achariam dessa carta, sabendo desde o inicio o que aconteceu de verdade com o filho e vendo toda a confusão do garoto nas coisas que ele contou que aconteceu na sua pós-vida.

Apesar de ter adorado Boo eu também adorei Johnny. Sua determinação, seu jeito de lidar com Boo mesmo antes de eles estarem no "céu". A amizade dos dois começa bem de repente, mas conforme a história vai se desenrolando podemos ver que é algo que já poderia ter acontecido mesmo antes da morte deles. e essa é uma das coisas mais legais. Ambos se completam e mesmo no pior momento eles se ajudam, se apoiam e são capazes de fazer qualquer coisa um pelo outro. Na contra-capa diz que o livro trata bastante sobre bullying, mas eu vi muito mais como valorização da amizade e pequenas coisas do que esse aspecto negativo.
— Por que você sempre pensa o pior das pessoas?
— Porque as pessoas são o pior. — Esther diz.

Bom, o livro é maravilhoso e bem curtinho. Por ser um livro para o publico jovem a leitura flui muito fácil e como eu disse o autor sempre coloca elementos que deixam o leitor curioso, então ele acaba prendendo a atenção para sempre mais. Recomendo.

Uma pseudo-retrospectiva literária

21/12/2016

Eu sei que dei uma boa sumida do blog nos últimos meses, mas é que desde que consegui um emprego as coisas ficaram corridas para mim e eu confesso que dei uma boa relaxada. Mas com o fim do ano chegando e com as novas promessas de ano novo eu vou tentar me organizar melhor e conseguir voltar ao ritmo normal do blog no próximo mês. Enquanto isso vou fazer uma pseudo-retrospectiva das leituras de 2016 até a data em que esse post esta sendo feito (17/12).



Lidos
Esse ano li cerca de cerca de 66 livros, mas eu acredito que pode ter sido um pouco mais (5 no máximo) pois eu sempre marco alguma coisa errada no Skoob na hora de organizar as coisas. No inicio eu estava em um ritmo frenético, até achei que conseguiria chegar nos 100 mas não foi desta vez.

Mais Amados
Claro que sempre temos os favoritos e em 2016 meus favoritos foram esses lindos:
Ps.: Ainda Amo Você
Mil Pedaços de Você e Dez Mil Céus Sobre Você
Nunca Jamais
• Um Mundo Sem Príncipes
Caixa de Pássaros
Vida Após a Morte

Mais Odiados
Eu sou uma chata para livros, eu admito, mas eu dei bastante sorte de ter lido livros bem legais e que me agradaram então esse ano pouca coisa posso dizer que odiei.
• Morte em Dezembro
• Línguas de Fogo
• Louca Por Você

Releituras
Eu entrei no projeto Relendo e Resenhando mas ele foi totalmente falho. Entretanto eu reli livros esse ano, foram poucos (vou contar agora quantos foram) e valeu a pena relembrar algumas histórias.
Harry Potter e a Pedra Filosofal
• As Brumas de Avalon: A Senhora da Magia
Os Homens que Não Amavam as Mulheres

Nacionais
Esse, definitivamente, foi o ano que mais li livros nacionais e nem todos foram só por causa de parceria.
Horror em GotasKamaleonComo se Livrar de um Popstar • Não Olhe! e Não Fuja! • A Ilha dos Dissidentes • Morte em Dezembro • Estrela • Línguas de Fogo e Tempestade de AreiaEspelho dos Olhos • Querido Jaime • Insônia • Alma Menina • Dezesseis — A Estrada da MorteLouca por Você • Flor de Cerejeira • Alameda dos Pesadelos • Azeitona • Canibal Vegetariano

E por falar em parceria o blog conseguiu parceria de ação com a Record, então recebi uns livros bem legais deles (ainda não resenhei todos) e parceria de um ano com a Rocco, que obviamente me deixou extremamente feliz. *-*

——————————————————— ♥ ——————————————————— 

Tá bom, acho que é mais ou menos isso. Não quero falar sobre casais, personagens e outras coisas porque isso eu falo nas resenhas desses livros e para saber vocês podem clicar no titulo e ver o que eu achei tanto da obra quanto dos personagens.

Resenha: Vida e Morte

14/12/2016


Estou me sentindo bastante estranha aqui, com 25 anos, sentada na frente do meu notebook velho e quebrado para escrever essa resenha. Por qual motivo? Bom, eu li Crepúsculo pela primeira vez há mais ou menos nove anos e óbvio que me apaixonei pela saga. Foi a primeira que eu li e apesar de hoje em dia saber reconhecer seus defeitos ela ainda tem um lugar muito especial no meu coração, pois foi com ela que eu comecei a me interessar de verdade pela leitura. Então agora, tantos anos depois, eu tive a chance de reler essa história que tanto me marcou por um outro ângulo. de inicio não gostei da troca de gêneros mas não é que a coisa deu certo? Tia Steph me surpreendeu.

Não vou dizer que favoritei o livro e que dei cinco estrelas, pois óbviamente as mesmas coisas que me incomodaram em Crepúsculo também me incomodaram em Vida e Morte; entretanto vivenciar essa história de amor por uma nova perspectiva me fez odiar menos a Bella. Eu sempre me incomodei com ela por ser tanto a garota frágil, mas o que a própria Stephanie diz em uma carta aos leitores é verdade: Bella é daquele jeito simplesmente por ser humana. O mesmo acontece com Beau, o protagonista de Vida e Morte. Ele precisa de Edythe para salva-lo quando é necessário. A questão amorosa ainda é incomoda, pelo modo como eles se apaixonam e talvez por eu ser uma velha cri cri com assuntos amorosos eu acabo sempre querendo que os personagens queiram mais antes de se declararem apaixonados e tudo mais. Só que funciona, principalmente se for o publico de Crepúsculo e/ou um publico adolescente.


Bom, tia Steph prometeu que abordaria melhor o dom de Alice, que neste livro é Archie, mas eu realmente não senti que isso foi abordado de uma forma como deveria. Foi bem superficial, como foi no primeiro livro da saga original. Assim como toda a família Cullen. Em alguns aspectos a história teve alteração, e nem digo isso do final em si, mas da história de personagens que nem se quer apareceram neste livro. De qualquer maneira, não havia muito o que ela pudesse fazer em um livro que apenas o gênero dos personagens foi alterado. A ideia em si não é mudar a história que encantou muitos leitores e sim dar uma nova perspectiva.

A edição é super linda maaas tem muitos erros. Justamente por ter a troca de gênero entre um livro e outro e o texto, muitas vezes, ser idêntico ao original escapou da pessoa responsável pela revisão dar uma conferida nos "ele" e "ela" da história, que diversas vezes estavam trocados. Mas não é nada que seja incomodo e talvez na próxima tiragem esteja arrumadinho.

Um livro para quem é fã da saga mais amada (e odiada) dos últimos anos. E olha, será que eu já quero filme??? rs

Novidades Rocco de Novembro e Dezembro

05/12/2016


Essas são as últimas novidades do ano da editora Rocco. As resenhas vão ficar por conta da fofa da Nathalia do blog Pobre Leitora que também colabora comigo e eu com ela e etc. ;3 ♥

Pré Venda: A Noiva Devota — Mari Scotti

02/12/2016


Oi, oi gente! Final de ano e ta tudo corrido, né? Mas prometo que logo volto.
Hoje vim falar rapidinho dessa novidade linda da Mari Scotti.

A Noiva Devota
Família Hallinson #2