Resenha: A Escola do Bem e do Mal

26/10/2016

Eu sempre comento nos blogs por aí que não sou fã de contos de fadas, princesas da Disney e etc; No máximo acho uma releitura interessante mas nunca parei realmente para ler. Apesar de ter visto a breve semelhança quando li a tal resenha (que não lembro de qual blog era, sorry) eu não achei que a carga de ~romance disney, conto de fadas disney e etc~ seria tão forte. Isso não me desanimou com a leitura e até fiquei mais motivada em ler mais e, quem sabe, começar a me interessar mais por esse mundo que tanto encanta as blogueiras.

O conto de fadas de Sophie e Agatha me pegou de uma forma que eu estou querendo logo ler o segundo livro. O final me deixou de boca aberta e com os olhos tremendo (oi? kk). Ambas as garotas vivem em uma vila que acredita ser amaldiçoada. A cada quatro anos dois adolescentes são sequestrados e eles acreditam que essas crianças são levadas para a Escola do Bem e do Mal, onde que é bom se torna o horei/heroína (príncipe/princesa) de um conto de fadas e o mau se tornara o bruxo/bruxa desta história. Sophie sempre acreditou ser a princesa perfeita para um conto de fadas, linda e loira, sempre tentando fazer atos de bondade para que o Diretor da Escola a escolha e quando se vê na Escola do Mal ela simplesmente não acredita no mal entendido que aconteceu ali. Ela não pode ficar na Escola do Mal onde tem tantas garotas feias, meninos estranhos e lições apenas sobre coisas ruins e o pior de tudo: Agatha foi levada para a Escola do Bem. Justo Agatha que é uma garota feia, que só se veste de preto, mora em um cemitério e não tem nenhuma amiga além de Sophie (que acreditava estar fazendo um grande bem a humanidade sendo amiga de Agatha).


Sophie é uma personagem que me deixou bastante balançada. Ela é extremamente manipuladora e sabe muito bem se fazer de boazinha quando quer. Conseguiu me enganar muito bem, pois diversas vezes eu acreditei em suas palavras, promessas e até atitudes. Como leitora eu fiquei bastante decepcionada comigo mesma por ter sido tão inocente e com o tempo eu fui percebendo que era praticamente a mesma coisa de Agatha sentiu e vivenciou. Esta, por outro lado, irrita o leitor com tanta inocência. Apesar da aparência e algumas atitudes, Agatha é definitivamente uma garota do bem e isso fica muito perceptível de acordo com as primeiras páginas do livro.

É uma pena que o livro seja em terceira pessoa, pois senti bastante necessidade de saber exatamente o que se passava na cabeça das personagens e fiquei com essa carência durante a leitura. Parece que os sentimentos mais profundos das personagens não foram abordados e por isso algumas atitudes de ambas nos capítulos finais me deixaram com uma certa duvida em relação a veracidade de seus sentimentos. Outro detalhe que me incomodou apenas no inicio da leitura foi que o autor não separa a narração de uma para outra com aqueles espaços de respiro; Alguns vezes de uma linha para outra ele mudava a personagem e isso me deixou um pouco confusa, mas ao longo da leitura foi bastante fácil me habituar.
Agatha deu um suspiro, afastando-se. “Digamos que eu encolha até o seu nível de inteligência e finja que acredito nisso tudo. Por que eu iria para a escola de vilões? Por que todos elegeriam a mim como a Soberana do Mal?”
“Ninguém disse que você é má, Agatha”, Sophie suspirou. “Você é apenas diferente.”
(...)
“Tudo bem. Então, eu sou um pouquinho diferente”, Agatha encarou-a. “E daí?”
Sophie hesitou. “Bem, é que nos contos de fadas o diferente geralmente acaba sendo o... hum... mal.”

Se tem uma coisa que eu gosto nas histórias são os personagens e nem sempre os personagens principais tem toda a luz para eles, com este livro não foi diferente. Apesar de ser um pouco machista Tedros foi um personagem que me cativou bastante e eu espero que nos próximos volumes ele tenha um papel maior na história não apenas como sendo o tal príncipe encantado. As supostas vilãs Hester, Dot e Anadil também acabaram me conquistando mesmo com a personalidades delas oscilando bastante durante o decorrer da história.

Apesar de parecer clichê o autor aborda o famoso tema de julgar as pessoas pelas aparências. Nem tudo é o que parece e mesmo isso sendo bastante obvio desde o inicio do livro é muito gostoso acompanhar a aventura das duas meninas na escola. O final me deixou bastante feliz e curiosa com o segundo volume, mesmo que não tenha sido algo que deixa o leitor desesperado. É uma pena que este livro não tenha tantos fãs pois ele é ótimo e, claro, para quem ama contos de fadas cai como uma luva.
“Estou longe de casa, perdi minha única amiga, todos aqui me detestam, e tudo o que eu quero é encontrar algum tipo de final feliz”, disse Agatha, vermelha. “Mas você não pode nem me dizer a verdade. Meu final não tem a ver com o Bem que eu faça, ou com o que está dentro de mim. Tem a ver com a minha aparência.” Cuspe voou de sua boca. “Eu nunca tive uma chance.”

[repostado 02/11 por motivos de: pessoa burra apagou o post anterior sem querer] 

O que eu quero ver 7ª temporada de The Walking Dead

21/10/2016


Antes de começar esse post eu preciso dizer que: pode conter spoiler das HQS de TWD. São coisas que vi na HQ e que quero que aconteça na nova temporada (não necessariamente que vai acontecer). Então, estejam avisados para não reclamar depois que clicar no "leia mais".

A morte do Glenn
Eu sei, eu sei. Eu também adoro o Glenn, porém não consigo imaginar outro personagem morrendo no lugar dele na série e principalmente um personagem que cause tanto impacto (a não ser que seja o Daryl, né). Quando eu li a edição em que ele morre fiquei muuuito mal mesmo e imagino como será vendo isso na tv no próximo domingo. 

Um bate papo entre Negan e Carl
Carl chega em um ponto em que decide ele mesmo ir acabar com Negan, mas obviamente não da muito certo. Ao invés de Negan fazer algum mal ao garoto eles mostra o local onde esta sua comunidade e mostra como as pessoas vivem lá, além de ter uma conversa com o menino. Eu considero, pelo menos até o ponto em que li da HQ, um detalhe muito importante para o desenvolvimento do garoto que como os fãs podem perceber tem melhorado ao longo das temporadas, mesmo que ele ainda seja infantil (e convenhamos, ele é uma criança ainda).

Shiva
Bom, pelo menos uma das coisas que eu quero eu posso dizer que esta confirmada, né? Eu sempre imaginei como seria a Shiva na série e só pelo trailer eu já fiquei OMG!!

A Guerra
Porque né, já que os zumbis quase não aparecem na série que seja pra ter guerra entre esses seresumaninhos. 

Maggie sendo uma líder
A 6ª temporada deu alguns indícios de que eles tem grandes planos para a Maggie e eu espero que realmente aconteça de ela se tornar líder de Hilltop (sem o Glenn kkk).

Bom, é mais ou menos isso que eu quero ver da temporada nova e se uma ou duas coisas acontecer eu já vou ficar feliz. 

Resenha: Placebo Junkies

19/10/2016


Depois que comecei a trabalhar nenhum livro me prendeu de uma forma que eu fiquei "omg preciso terminar logo essa história" até que comecei a ler Placebo Junkies e simplesmente senti a necessidade de devora-lo. A premissa, eu confesso, pode não atrair qualquer pessoa mas quando o leitor da uma chance eu posso garantir que irá se surpreender ao longo da leitura.

Audie é uma adolescente americana do tipo clichê se você esta falando sobre uma história com adolescente desestruturada. Para ganhar dinheiro ela "vende" seu corpo. Não, obviamente eu não estou dizendo que ela se prostitui e sim que ela é cobaia para testes farmacêuticos. Durante toda a história ela conta um pouco sobre como é ter essa profissão e o que isso tira das pessoas, seja a longo prazo ou não. Audie é uma personagem que até o leitor entende-la de verdade causa bastante confusão. Eu acho que por mais que estivesse gostando da leitura e achando bem interessante a forma como a autora escolheu tratar do assunto eu ainda não estava compreendendo a personagem da maneira como eu deveria compreender, sabe o que eu quero dizer? O que realmente me fez gostar do livro no final foi a surpresa de, finalmente, entender a personagem e as pessoas ao seu redor da forma como elas realmente são.


Acha que o que eu estou escrevendo esta confuso? Pois imagine ler um livro inteiro narrado por uma personagem que esta sempre com algum remédio diferente nas veias. É difícil saber quando ela esta exagerando com algum sentimento, ou se ela realmente pouco se importa; até mesmo sobre sua atenção e pessoas com quem ela conversa. Tudo fica um pouco confuso e cada detalhe é importante para compreende-la.

Apesar do tema do livro ele se trata muito mais de um romance do que qualquer outra coisa. E eu não estou dizendo que é aquele tipo de livro YA em que existe o drama adolescente do amor. Muito pelo contrário, o livro esta tão longe disso que é difícil explicar sem dar spoiler. Mas Audie tem Dylan, um adolescente que ela conheceu no hospital em um dos experimentos. Eles tem um bom relacionamento e ela planeja uma grande viagem para eles, na verdade sua maior desculpa para continuar "nessa vida" é o dinheiro para a viagem com Dylan. O relacionamento deles é todo lindinho e gosto da forma como eles combinam um com o outro e claro no quanto esse relacionamento é importante para o desenvolvimento da personagem sendo ele positivo ou negativo, dependendo do seu ponto de vista como leitora.
Somos pessoas com cadeiras vazias em nossos funerais.

É um livro bom de ser lido, que pode te despertar curiosidade para dois assuntos diferentes (sendo um deles bem óbvio pela premissa do livro) que são vistos com maus olhos pela sociedade mesmo nos dias de hoje. No final do livro a autora conta como foi a inspiração para a obra e achei muito legal, pois é uma realidade diferente da que vivemos mesmo que seja algo comum (ou seja: nós é que não prestamos atenção).

Lançamentos de Outubro da Rocco

17/10/2016


Outubro chegou e com eles várias novidades da mais nova editora parceira do blog — inclusive em breve sai as primeiras resenhas {♥}. Este mês a Rocco está com uns lançamentos muito OMG, então eu quero saber todos os livros que vocês querem ler ou que querem resenha aqui no blog, ok? ;)

Oliver Dalrympleé o típico “looser” americano: aos 13 anos, magro e pálido como um fantasma, está mais interessado em biologia e química do que em esportes e vida social. Um dia, enquanto se recupera de um dos frequentes episódios de bullyingde que é vítima recitando a tabela periódica em frente a seu armário, ele desfalece para sempre. E é aí que sua verdadeira vida começa. O “céu” onde Oliver acorda depois do que acredita ter sido uma parada cardíaca em função de um problema congênito chama-se Cidade e é povoado por pessoas que morreram aos 13 anos, como ele e seu colega de escola Johnny Henzel, que chega dias depois de Booà Cidade, trazendo notícias perturbadoras sobre a causa da morte deles. Notícias que mudam para sempre a percepção de Oliver Boosobre sua personalidade e seu lugar no mundo.

Resenha: O Quarto Dia

14/10/2016


Para quem teve a oportunidade de ler Os Três provavelmente se sentem com um pé atrás ao iniciar a leitura de O Quarto Dia. Um livro que pode parecer uma sequencia do outro mas que, apesar de se passar no mesmo universo não chega a ser uma continuação, já que este possui outros personagens e se passam alguns anos depois. Felizmente (para alguns) a Sarah Lotz tem uma mão diferente para escrever seus livros. Acho que posso afirmar que ela é o tipo de autora que quer sim confundir seus leitores e também faze-los olhar suas obras de diversas perspectivas, criando até mesmo teorias com o que aconteceu na história. E fazer o que se algumas pessoas, infelizmente, estão apenas acostumadas a ler livros fáceis, com final redondinho e tudo explicado? não, isso não é uma critica ao hábito de leitura de ninguém, mas vamos combinar que só porque você não entendeu o final do livro não significa que ele seja ruim, okay? rs

Eu cheguei a ficar um pouco confusa ao iniciar a leitura e perceber que a linha do tempo usada pela autora é diferente da proposta na sinopse pela editora, então realmente tentar explicar mais ou menos a história acabaria sendo um spoiler para os leitores. Acho que o mais próximo que posso dizer é que iremos saber exatamente o que aconteceu no navio nos dias em que ele ficou desaparecido. E sim, eu digo exatamente, da forma como aconteceu sob a perspectiva de vários personagens. Eu não consegui escolher um favorito durante a narrativa, portanto não vou nem citar nomes no texto. Não achei que todos os personagens escolhidos para protagonizar a história tenham sido realmente interessantes de se acompanhar, mas neste caso pode ser que eu tenha interpretado sua participação de forma errada, já que eu não acredito que informações aleatórias foram inseridas na história. Veja bem, eu sou uma leitora que acredita na escrita da Sarah e que tudo o que ela colocou na obra tenha sido intencional e com um propósito.

E não, não acredito que a Sarah tenha errado a mão na obra e que o final tenha ficado confuso ou algo do tipo. Não acho que a história se perdeu no momento mais importante, muito pelo contrário. É óbvio que a intenção da autora ao escrever a obra foi deixar o final aberto a interpretações, que vai de cada leitor. Então acho que ninguém precisa ter vergonha de dizer que não entendeu e sim pensar um pouco sobre tudo o que a obra te mostrou e criar teorias. Além de tudo o livro cumpre com o que promete no quesito suspense e um pouquiiinho de horror, além de ser uma leitura bem fácil de ser feita. Por mais que seja narrado em terceira pessoa e possua tantos personagens não da para ficar perdido durante a leitura e cada capitulo acaba deixando o leitor mais curioso para o próximo.

O único aspecto realmente negativo desde livro é ver que tantos leitores não gostaram dele por este ter uma proposta diferente e ai acabo que não tenho com quem conversar. A única que me entende é a Sammy e já teorizamos sobre ele praticamente de todas as formas possíveis que agora deve estar na hora de ouvir umas teorias novas. haha! De todo o mais o livro vale muito a pena então se tiver a oportunidade de pegar para ler abra a sua mente e só leia.
— (...) Você não viu nada. Isso foi só o aperitivo. O prato principal vai ferrar com a po**a da sua cabeça.

Resenha: Canibal Vegetariano

12/10/2016


Eu não tinha a minima ideia de quem é Gabriel Pardal até pegar este livro nas mãos e agora posso dizer que me tornei fã (ou pelo menos uma seguidora que da curtidas em todas as publicações). A verdade é que eu sempre torci o nariz para livros que contém somente ilustrações e frases com reflexões e tal, mas quando você se torna blogueira acaba deixando de lado alguns preconceitos para conhecer coisas novas, certo? E muitas vezes vale a pena — que é justamente esse caso.

ai você vira a página e papum, se identifica na hora. rs — foto: silviane
Eu me identifiquei muito com as ilustrações que falam sobre sentimento, seja amor, ódio, ou até um foda-se. Entretanto outras, como a dos cachorrinhos, ou do casal que está correndo me fizeram pensar sobre outras coisas que diz respeito aos seres humanos e o tipo de vida que levamos. São textos bem pequenos e rápido de ler, acho que terminei a leitura em menos de uma hora e ainda porque às vezes ficava minutos em uma mesma página relendo ou vendo a ilustração por ter gostado bastante.

A diagramação do livro tá linda. A editora usou um papel (que eu não sei o nome, mas cheguei a confundir com o couché) que valorizou bastante a arte do autor. Só é uma pena, por exemplo, não poder sentir a textura daquelas que são feitas a lápis, mas isso é só um detalhe que não influencia em nada no conteúdo da obra em si (eu que gosto desse tipo de besteira mesmo).

foto: silviane
Para quem não conhece o trabalho do autor dê uma olhada no Instagram @canibal.vegetariano que tem algumas bem legais, inclusive várias que estão no livro e outras que são novas (será que tera um novo livro daqui algum tempo?).

Promoção: 4 anos de LiteRata

09/10/2016

Hoje o blog completa 4 anos de existência e durante esse tempo fiz várias amizades na blogosfera, amigos que tenho certeza que posso contar sempre que precisar de uma forcinha por aqui. Logo, eles não poderiam deixar de participar da festa. Sendo assim convidei os especiais para fazermos um sorteio bem bacana para presentear os protagonistas dessa história, e sabe quem eles são? Isso mesmo, vocês!

O sorteio foi dividido em três kits que é para não assustar ninguém com o tamanho do formulário, participem e divirtam-se, mas não esqueçam das regras hein!

Cadê meu Fone? #6

07/10/2016


Ooi, amigos e amigas e gente bonita que não abandona esse meu blog ♥
Hoje a playlist vai ser muuuito amorzinho e especial porque ela é nostálgica e cheia de amor. HOJE, dia 7 de Outubro faz um mês que eu fui num festival muito lindo e maravilhoso que me deixou apaixonada chamado Maximus. Eu fui nesse evento somente para ver Bullet for my Valentine, que é uma banda que eu amo de paixão (acho que vocês já devem saber a essa altura da vida, né? kk) e tive a chance de ver (mais ou menos) outras bandas que eu já conhecia e até curtia (um pouco de nada). Então para matar um pouquinho a saudade desse evento que me deixou tão feliz eu vou mostrar à vocês um pouco das bandas legais que tocaram lá. ;)

logo oficial do evento

Hollywood Undead - Everywhere I Go

A primeira banda que eu queria ver é Hollywood Undead, porém eu não consegui ver o show deles por vários motivos e justamente na hora que entrei no recinto foi quando acabou UAHOSIHAUSHAI DEI AZAR SIM OU CLARO? Mas foi um show bem curto e logo eles voltam para o Brasil (eu espero, né) ai eu vou no show deles. Pelo menos eu tive uma recompensa quando fui no backstage (Ps: Nem sou fã da banda, então não sei qual o nome dele mas a cara eu reconheci e pedi a foto MORRENDO de vergonha). ;D


Black Stone Cherry - Lonely Train

A segunda banda que eu queria ver e não consegui ver (meu deus!!) foi Black Stone Cherry. Eu conheci eles lá em meados de 2008/2009 com o primeiro álbum lançado pela banda e na época fiquei muito viciada. Não curti muito os outros trabalhos da banda mas sempre tive curiosidade de ver um show deles. Consegui ver umas duas ou três músicas da apresentação deles no evento e tava curtindo bastante, mas como tive que ir fazer algo no backstage ai não rolou de ver inteiro (inclusive perdi essa música, que é a unica da setlist que eu conheço).

Disturbed - Stricken

Quando eu comecei a usar internet e conhecer bandas novas Disturbed foi uma das primeiras. Apesar de eu não gostar deles e nunca, de fato, ter gostado, o show deles foi bem legal e ouvir duas músicas da época em que eu os conheci foi bem legal além dos diversos covers que eles fizeram.

Marilyn Manson - mOBSCENE

Todo mundo, com certeza, acha ele um pouco estranho mas hoje em dia ele parece mais um tiozão do rock mas nem por isso deixou de fazer um show daora. Sentei no fundão e fiquei olhando a apresentação do MM com aquela sensação de nostalgia total, porque assim como com outras bandas que eu quis ver/vi no evento eu conheço há muitos anos (esta musica, por exemplo, é de meados de 2003[!!!!!]) e eu tive a oportunidade de ver o show.

Rammstein - Du Hast

E a banda principal da noite: R+. Assim como a maioria (eu falei que só fui por causa do bfmv no evento) eu não sou fã, mas conheço há alguns anos e ouvi algumas músicas. O show deles foi simplesmente incrivel e o melhor da noite, a maior prova de eles estavam ali para ser a apresentação principal e fechar o evento com chave de ouro. Não foi apenas uma apresentação de uma banda e sim todo um espetáculo, com pirotecnia, efeitos, roupas... Simplesmente maravilhoso. Eu tenho certeza que se eu fosse fã dessa banda teria chorado o show inteiro, porque pelo menos arrepiada eu ficava a cada música.

Bullet For My Valentine - The Poison

E claro que eu não ia deixar de colocar um vídeo do BFMV aqui, né?? Aff! O show deles, para mim, foi incrivellindomaravilhoso desse jeito mesmo tudo junto e falado bem rápido. ♥ Eu amo demais essa banda, acompanho desde meados de 2006 e pensa no orgulho que a criança aqui sentiu depois de ler comentários elogiando a apresentação deles lá? E apesar de ter músicas novas eu escolhi essa live veeeelha da música The Poison pois eles tocaram essa música no evento e me deixou simplesmente de boca aberta e loka. Sendo uma fã das antigas eu fiquei mega feliz quando eles começaram a tocar essa música. Infelizmente eles não tocaram as músicas que eu pedi para eles tocarem (eu pedi sim) mas fiquei feliz com a surpresa. ♥ E claro que eu perder os shows que eu citei lá em cima valeu a pena, pois eu tive a oportunidade de mais uma vez ver a banda de perto, tirar foto, abraçar e sentir o cheiro. ♥
será que eu tava feliz e sendo abraçada discretamente????
Bom, eu só sei que estou MEGA ansiosa para a próxima edição do Maximus Festival, que já tem data marcada graças a deus??????? ♥ Dia 20 de Maio estarei lá, mesmo que não venha bandas que eu seja muuuito fã, pois apesar dos shows o evento tem outras coisas muito legais e eu já fiquei fã do evento.

Resenha: Fique com alguém que não tenha dúvidas

05/10/2016


Todo mundo aqui sabe que eu não sou uma leitora de livros de não-ficção, porém todas as regras tem suas exceções e às vezes algum titulo me chama a atenção. Bom, foi o que aconteceu com Fique com alguém que não tenha dúvidas. Eu sou uma pessoa que adora um drama romântico, coisas do coração, sobre ser trouxa e etc então dizer que esse livro é minha cara é pouco. Sem falar no fato de que um choque de realidade nunca é demais para alguém que tá sempre se ferrando nas questões do coração. E é realmente para isso que o livro serve: dar um choque nas garotas (e até garotos, porque não?) que parecem sempre se envolver com a pessoa errada e/ou passar pelas piores situações quando o assunto é relacionamento. E o pior de tudo: tentar justificar os erros dos outros.

foto: silviane — estilhaçando livros
A vantagem do livro sobre outros de não-ficção e auto-ajuda (pode chamar de autoajuda esse livro?) é que ele é curto e direto. Todas as coisas que Marina quis falar foi sem rodeios e sem medo de magoar (hahaha). Como eu disse anteriormente um choque de realidade e para chocar as pessoas (não aquele choque do tipo 'aiii meu deus nossa' e etc mas só pra te fazer cair na real) é necessário ser direta. Não adianta colocar sal na ferida e depois querer assoprar, entende? É preciso fazer com que os leitores sintam a dor para realmente mudar suas atitudes. Se funcionou comigo? Bom, em partes. Mudar do dia para noite algumas coisas realmente não acontecem, mas a evolução é constante e com certeza alguns conselhos eu irei seguir para poder ficar bem comigo mesma antes de querer ficar bem com alguém.
A Disney nos ensinou que não importa o que os homens façam com a gente , eles sempre têm boas intenções por trás de seus atos horrendos. (...) Os adultos nos ensinaram que agressão é amor disfarçado. Que negligência é sinal de um amor tão forte que não cabe nem em demonstrações afetuosas.

A autora exemplifica as situações de acordo com experiencias que ela mesma vivenciou e assim fica muito mais fácil compreender o tipo de pessoas com quem nos relacionamos e as que podemos nos relacionar. Eu não passei por todas aquelas experiencias (e espero não passar), mas aquelas que de alguma forma fizeram parte ou fazem parte da minha realidade me deixou bem próxima do que o livro quer passar e com o que aprendi pude concordar cem por cento com o que ela dizia.

O livro, apesar de ter alguns momentos até engraçado é trafico pensando para analisar que muitas pessoas (não apenas mulheres) passar por aquelas situações diariamente e aceitam como se fosse algo totalmente normal e aceitável. O pior ainda é pensar que a maioria vai continuar vivendo essa realidade pois não consegue enxergar o quanto um relacionamento ruim te deixa tão mal por dentro. É uma leitura que vale a pena e que qualquer leitor(a) poderá se identificar.
Fique com alguém que apesar de saber que consegue viver sem você, escolhe viver com você.

Sorteio: Aniversário do blog Amores e Livros

02/10/2016

Oi Pessoal, tudo bem???
Hoje é dia de festa aqui no Amores e Livros. O mês inteiro foi de comemoração, mas hoje é o dia do nosso aniversário de 6 anos, e com o passar do tempo muita coisa mudou por aqui - mas uma coisa segue igual e só aumenta, que é o nosso amor pelos livros.
Então, podem aguardar que vai ter postagem com texto especial, vai ter layout novo e... mais promoções!!!!