Resenha Dupla: A Herdeira & A Coroa

29/06/2016


A resenha não contém spoilers de nenhum dos dois livros!

Então que após um longo tempo (okay, não tão longo assim) eu li os dois novos livros da série A Seleção. Já começo sendo honesta dizendo que por mais que eu adorei a Kiera eu achei toda essa ideia de mais dois livros bem absurdas. Para mim, até então, A Seleção era a clássica com a America e tava tudo muito lindo, obrigada. Após o primeiro livro sair e eu me deparar com váaarios comentários negativos sobre Eadlyn eu fiquei com muito receio de acabar lendo e odiar, mais do que provavelmente eu odiaria com o meu pré-julgamento anterior. E mesmo após algumas colegas blogueiras comentarem sobre A Coroa de forma não positiva eu acabei por decidir que seria agora ou nunca que leria esses dois. E bom, como li em sequencia sei que não conseguiria escrever as minhas impressões de forma separada, então por isso a decisão de fazer uma resenha dupla. Volto a repetir: A resenha não terá spoilers.

Foto: Da Imaginação à Escrita

A minha maior preocupação com a leitura era Eadlyn. Vi todos dizendo o quanto ela é uma garota detestável, mimada, egoísta e arrogante (além de outras coisas) e só pelas resenhas eu já a odiava. Então iniciei a leitura com um pé suuuper atrás em relação a protagonista. De fato encontrei uma personagem com essas caracteristicas, entretanto eu não as considerei uma falha tão grave já que tudo o que eu conseguia ver nessa menina é que ele tem caracteristicas bem humanas, com todos seus defeitos e acredite se quiser: qualidades. Tudo o que ela é os créditos eu atribuo aos pais, que a criaram sempre exaltando a sua importância como futura rainha e justamente por ser a futura rainha que, muitas vezes, ela acabou criando uma barreira entre ela e outras pessoas que não fazem parte do circulo de amizade de sua família. É bem evidente isso pelos comentários ao longo dos dois livros sobre o que o povo acha dela. A princesa tem uma mudança bem significativa no decorrer dos livros. Ela entende a importância do seu futuro cargo e principalmente a importância que ela tem para seu país. Então sim: Eu gostei dela desde o inicio e queria pega-la no colo e protege-la de todos os comentários negativos que li sobre ela (vocês julgaram a garota da mesma forma que o povo fazia com ela no livro, mas o pior é saber que os leitores sabiam muito mais da garota do que o povo e ainda assim a julgaram daquela forma).

A seleção de Eadlyn não serviu apenas para distrair o povo e evitar rebeliões e encontrar aquele deve ser marido; Muito mais do que isso ele serviu para faze-la enxergar, de fato, que existe todo um mundo lá fora que ela não conhece com os próprios olhos. Pessoas com quem ela, provavelmente, nunca teria a oportunidade de ter algum contato. Pessoas que mostraram a ela que nada é fácil e que por mais que as conquistas de seus pais tenham sido benéficas ainda não eram perfeitas.
— (...) Só acho que você precisa encarar isso com a mente aberta. Você é uma das pessoas mais isoladas do país, mas isso não quer dizer que deva ficar na defensiva o tempo inteiro. Você precisa viver um romance pelo menos uma vez na vida.

A Herdeira

Esta duologia não se diferenciou muito da trilogia original, focando bastante no romance e nos Selecionados. A autora criou situações que poderiam deixar a Princesa em risco, mas eu achei que elas foram um pouco forçadas... É sempre mais difícil quando tem um grande numero de pretendentes arrumar desculpa para elimina-los e acho que Kiera não se empenhou muito nessas cenas. Também teve o fato de que ela colocou pouco esforço na personagem para conhecer seus pretendentes (é de conhecimento geral que Eadlyn não queria uma seleção e como a própria sinopse diz ela acaba mudando de ideia no percurso) após perceber que a ideia não é tão ruim de fato. Por mais que no inicio eu tenha tido, de cara, dois favoritos eu senti vontade de conhecer um pouco mais de outros garotos que tiveram o nome citado em algum momento na obra.

Por mais que, mais uma vez, Kiera tenha corrido com a conclusão do livro eu posso afirmar que eu fiquei relativamente contente com a decisão final de Eadlyn. Eu sei que não fiz resenha da trilogia original mas sempre comentei por ai que achei o final de A Escolha muito nonsense e corrido, por mais que tenham acontecido coisas tristes foi um final muito fácil de ser feito e mais uma vez Kiera foi por esse caminho. Ela tem a mão de deixar tudo muito simples para seus personagens terem o final feliz que eles merecem e, tá... okay, okay, mas eu sou uma leitora que gosta de mais emoção. E sim, eu ter ficado feliz se deve principalmente ao fato de a garota ter escolhido o cara com quem eu queria que ela ficasse (sei que disse que tinha dois favs, mas ao longo da leitura o garoto em questão me conquistou muuuito); mas infelizmente não posso especificar a minha "raiva" do quanto foi fácil para ela devido aos últimos acontecimentos com os cinco jovens restantes. Entretanto eu não posso negar que Kiera deu a dica para os leitores desde o dia em que Eadlyn sorteou os nomes no Jornal Oficial (bom, eu peguei a dica).
— Você tem que abraçar a ideia de imperfeição, mesmo na coisa que é mais perfeita para você.

A Coroa

Eu sei que acabei focando o meu texto apenas em Eadlyn e deixando de lado alguns personagens como os pretendentes. Mas acho melhor não citar nomes e falar sobre eles pois tenho certeza que não conseguiria falar de modo neutro e acabaria entregando para vocês. Quanto a Família Real a única coisa que é sempre evidenciada ao leitor é o quanto eles se amam e se apoiam. Dos irmãos da Princesa o único que ganha mais destaque na narrativa é o gêmeo Ahren. De todo o mais a história foca mesmo na importância e poder de Eadlyn, sempre salientando que ela é uma mulher e que esse tipo de coisa é inédito em Illéa.

Filme: Rua Cloverfield, 10

27/06/2016

Então fui tomada pela curiosidade e decidi assistir Rua Cloverfield, 10; após tantos comentários e criticas que acabei vendo por ai ao longo do último mês (um pouco mais, não lembro quando estreou). Provavelmente eu sou uma das poucas pessoas que não tem o mérito de dizer que assistiu Cloverfield - Monstro então não fiquem esperando que eu vá ser dessas que ara teorias ou comparações sobre o universo de um e outro e etc etc.

De fato esse é um daqueles filmes que qualquer coisa que eu falar poderá acabar sendo um spoiler, mesmo que você não perceba em um primeiro momento. Mas juro que irei me esforçar ao máximo para não soltar nenhum (eu sou boa nisso). Até porque, geralmente, eu pouco falo sobre a história do filme. E bom, o filme é isso que você provavelmente viu por ai seja em trailer ou em comentários em blogs, sites e tudo mais: Uma garota que sofre o acidente de carro e quando acorda está em um abrigo subterrâneo com dois homens, e um deles (o mais assustador) lhe diz que ar do lado de fora está contaminado. Mas só isso? Sim. Todo o restante da trama se desenvolve com base nessa premissa e no medo de Michelle (a tal garota) desses homens, principalmente de Howard (que é um homem com algumas atitudes estranhas e que pode botar medo em qualquer pessoa).

O principal mérito do filme fica por conta do suspense em que ele carrega, pelo menos até o último ato. Todos os medos que Michelle sentiu ao longo da história eu acabei sentindo também. É bem estranho isso, não sei se acontece isso com todos os expectadores ou com todas as mulheres que assistem ao filme mas eu acabei ficando muito desconfortável ao longo do filme principalmente me imaginando na situação da moça. A curiosidade para saber o que é verdade e o que é mentira é o que mais prendeu a minha atenção e todas as surpresas que o filme vai revelando cada cena. Sabe quando você acha que tá vendo o filme de boa e entendendo tudo e de repente fica whaaaaaaaaat?, pois saiba que é mais ou menos isso que acontece com este filme. Eu não acho que nenhuma pessoa que o tenha assistido tenha achado óbvio as revelações ao longo da trama. Talvez o final, mas este é um caso a parte.

Imagem retirada do Google
O filme não é confuso e tem um final bastante satisfatório. Para quem não gosta de finais abertos pode ficar tranquilo que não é o caso deste filme; Confesso que esse era meu receio quando fui assistir. Mesmo eu gostando deste aspecto eu senti que com este filme eu acabaria ficando perdida ou sem entender muita coisa, mas não foi o caso. Outro ponto positivo, na minha opinião mais do que a própria fotografia, foi a trilha sonora. Aquela primeira cena do filme me deixou com uma prévia do que viria no restante do filme, com uma sensação de angustia e desespero. Vale a pena assistir.

Série: iZombie - 2ª Temporada

24/06/2016

Olar! Resolvi falar hoje um pouco sobre a segunda temporada de iZombie mesmo não tendo falado sobre a primeira aqui (quando assisti acho que ainda não tinha o blog). Não vai ter spoiler da primeira temporada e de nenhum episódio da segunda. Vou só falar minhas impressões e o que eu espero da terceira temporada. Podem ler sem preocupação.

Eu quase desisti de iZombie. Quando comecei assistir; Achei a série bem bobinha e tive a impressão de que ela não abordaria nada de interessante, que seria apenas uma série policial com o diferencial que sua protagonista é uma zumbi. Ainda bem que eu insisti mais um pouco e vi que estava um relativamente enganada sobre isso. Não que a série não seja uma série policial com uma zumbi, porque é; Mas também é divertida e não trás aquela carga dramática que a maioria das séries do gênero levam ao expectador.

foto: google imagens
O que a primeira temporada teve de introdutória a segunda ganhou de narrativa. Agora, além do problema de ter que se acostumar com a vida de uma zumbi e suas relações com família e amigos, Liv precisa se preocupar com problemas maiores envolvendo toda a comunidade zumbi de Seattle. Reflexo disso é que a maioria dos casos resolvidos na temporada tinham alguma relação com Blaine, Max Ranger e o novo vilão: Sr Boss. Entretanto o pecado nesta temporada ficou na relação entre Liv e sua família (mãe e irmão) que não terminou muito bem na temporada anterior e começou pior ainda nesta. Achei estranho eles não abordarem isso, mas espero que façam na próxima. Mas o que pecou com o relacionamento familiar acertou no relacionamento com os amigos. Liv conseguiu resolver todas as suas pendencias com Major e Peyton.

Assim como toda série com vários episódios durante a temporada em algum momento a coisa ficou estagnada, poucas coisas significantes aconteceram de verdade; Mas como eu assisti todos os eps de uma só vez a sensação não durou muito tempo, entretanto imagino que para quem acompanhou semanalmente deveria esperar mais surpresas e ação durante alguns episódios em que o foco eram apenas diversão ou um mistério que não segurava por muito tempo a curiosidade.

amo todos e irei protege-los ♥
Não da para falar muito o que eu quero/espero da terceira temporada sem dar spoiler, mas estou bem ansiosa para ela depois daquele final. Ele não chegou a ser tipo o mais surpreendente de todos, mas é algo que qualquer pessoa que curte zumbis espera e como a série, até então, não tinha esse aspecto vai ser algo bem diferente. 

Para quem não sabe se deve ou não assistir, bom eu preciso dizer que sim: assista izombie. No inicio pode ser um pouco chatinha, mas as coisas vão se desenvolvendo ao longo da primeira temporada e quando chega na segunda... ♥. Enfim, dica para o final de semana. Beijos.

Resenha: Vida após a morte

22/06/2016

De fato eu não sou uma leitora de não-ficção e muito menos de biografias, entretanto quando a história de alguém me desperta curiosidade eu sinto a necessidade de ler o que essa pessoa tem a dizer. Foi assim que aconteceu com Damien Echols. Conheci seu caso com o filme Devil's Knot (protagonizado por Reese Witherspoon e Colin Firth) em meados de 2015 e pela curiosidade que o filme me despertou eu acabei lendo sobre a história e assistindo a quatro documentários que contam sobre o caso. Fiquei fascinada e horrorizada com tudo o que ele passou junto com seus dois amigos.

Eu não sou uma pessoa conhecida pela minha sensibilidade, acho que até pelo contrário. Mas me vi algumas vezes extremamente emocionada lendo os relatos dele. O livro não conta, exatamente, sobre o caso West Memphis Three (os três de West Memphis). As passagens que Damien relata sobre o caso ficam mais para o final do livro e ele apenas narra como foi para ele aqueles dias que antecederam sua prisão e um pouco do julgamento. O livro é muito mais focado na vida dele antes do fatídico evento. E bom, o que eu posso dizer é que é triste. Muito triste.

Damien desde criança não teve uma vida fácil. Ele reforça diversas vezes o quanto sua família era pobre a ponto de eles passarem frio dentro da própria casa no inverno pois não tinham aquecedor (usavam o forno em uma tentativa falha de aquecer a casa), além de morar em locais duvidosos. Nunca se sentiu amado, nunca sentiu que tinha um lugar para chamar de lar. Quando se tornou adolescente seu único refugio eram os livros e a música — e ele nunca iria imaginar que seria justamente isso que usariam contra ele no tribunal. O livro também conta como ele conheceu sua esposa, Lori Davis, além de falar sobre acontecimentos que o marcaram dentro da prisão, a repercussão de seu caso com algumas pessoas famosas e principalmente sobre religião e o sistema carcerário americano.

Fotos anexadas no livro. Damien com a esposa e ao lado Damien ao lado do cantor Marilyn Manson e ao lado de Johnny Depp (um dos artistas que apoiou publicamente o trio e se tornou amigo pessoal de Damien).

O que mais me chateia na história dele é a forma como a justiça de seu país tratou o caso. O julgamento não foi feito através de provas e evidencias e sim pela aparência. Como Damien se vestia perante a sociedade (algo como hoje nós conhecemos como gótico), as músicas que ele gostava de ouvir (heavy metal) e os livros que ele gostava de ler (ele é um grande fã de Stephen King, além de naquela época gostar muito de ler livros sobre wicca). Ele era acusado de ser líder de culto satânico somente por suas caracteristicas e gostos (algo que, alias, nunca foi provado).

Como deu para perceber eu faço parte das pessoas que apoiam e acreditam na inocência do trio, mas acho que neste caso cada um deveria tirar suas próprias conclusões assistindo ao documentário. Eu sinto que poderia falar tanta coisa sobre Damien no post, mas seria um textão para ninguém já que pouquíssimas pessoas se interessam por esse tipo de história. A única garantia que posso dar é de que o livro vale a pena ser lido, principalmente nas passagens em que o autor anexa textos que ele escreveu nos seus anos no corredor da morte e algumas cartas que escrevia para Lori. Tem passagens bem emocionantes que da aquela vontade de chorar e outras que podem deixar as pessoas em choque — principalmente aquelas pessoas que babam ovo para os EUA e acha que este é um país perfeito e etc.

quotes
— (...) não é bom ficar pensando nessas coisas. Ou eu desperdiço minha energia me concentrando naquilo que não posso mudar ou conservo minha energia e uso em pequenas coisas que posso mudar.
A maior parte das pessoas no mundo exterior olha diferente para você se descobrirem que você já esteve preso. 
Um penteado ruim, um guarda-roupas preto, 'poesia' adolescente cheia de angústia e uma queda por bandas de cabeludos - isso é suficiente para que você seja mandado para a prisão. Mais ainda, para o corredor da morte.

Para quem Netflix fica a dica o documentário West of Memphis que da um resumão sobre o caso. 

Filme: The DUFF

20/06/2016

Se tem uma coisa que eu posso chamar de guilty pleasure são esses filmes clichês adolescentes sobre bullying e romance inesperado. Eu gosto desse tipo desde que era criança e via os filmes teens dos anos noventa na Sessão da Tarde, entretanto conforme os anos foram passando acabei ficando enjoada deles, apesar de ainda adorar aqueles dos anos 90. A impressão é de que a maioria são todos iguais e são e nunca tem nada diferente para mostrar ao público e não mostram, mas eis que resolvi assistir ao tão falado The Duff em um final de semana qualquer na Netflix e me surpreendi. Não que ele seja o diferentão, cheio de novidades e tudo mais. Ele muito me lembrou Ela é Demais e, definitivamente, a atuação de Mae Whitman é inspirada em Amanda Bynes, portanto da para ver algumas nuances de Ela é o Cara.

foto: google imagens

É um filme divertido e que pode tirar algumas risadas do expectador. Ele não é uma comédia teen que foca no bullying, apesar de estar presente. A definição de DUFF é Designated Ugly Fat Friend (amigo(a) designado(a) gordo(a) e feio(a) em tradução livre) e Bianca é a DUFF do seu grupo de amigas. O que a história tenta mostrar é que qualquer pessoa pode ser a DUFF de um grupo, independente de ser a feia ou a gorda ou a estranha ou a perigótica ou sei lá mais o que. Até a garota mais linda pode ser a DUFF. Entretanto, não saindo do clichê dos filmes teens a desajustada é Bianca (até da para perceber quem é ela na foto acima, certo?). Suas amigas não a usam como DUFF e mesmo assim após Wesley (o cara popular do colégio) falar que ela é a DUFF a garota começa a ficar paranoica com a definição e deseja mudar sua postura. Ela passa por umas situações engraçadas e que diverte o expectador e bom esse é um aspecto positivo do filme. Talvez ele não queira ser diferente dos filmes teens dos anos 90 ou qualquer outro na high school, mas somente mostrar novos conceitos e novas formas de bullying usando todos os clichês já conhecidos.

Okay, baseando-se nisso da para sacar que o filme tem aquela formula: Garota feia, garota feia quer mudar, garota feia se apaixona pelo popular, garota feia percebe que não deve mudar, garota feia tem final feliz. E okay, eu não vou negar e nem admitir isso aqui; O importante é que essa formula da certo. Talvez o unico pecado verdadeiro do filme sejam as atuações. Não gosto de Bella Thorne mas não posso negar que ela combina com o papel e acho ela muito... falsa nas atuações. Não sei a palavra correta, mas tem algo nessa atriz que me da aflição. E como disse acima Mae Whitman parece que se inspirou totalmente em Amanda Bynes para fazer o papel (eu não sei se ela é assim sempre) o que me incomodou bastante, pois eu amo as atuações de Amanda na época em que ela era sã. Eu não quero outra Amanda dos filmes teens, eu quero é outra atriz para poder olhar e dizer cara, essa menina é boa... vou assistir outros filmes dela e etc, saca? O resto do elenco tá bem okay... mediano. rs

Sei que o filme é baseado em um livro, porém eu não li a obra original e mesmo assim o intuito do post não é comparar um e outro. É um filme engraçado e divertido, se você procura um teen sem muito o que dizer vai acabar curtindo bastante.

Faça uma maratona: The Librarians

17/06/2016

Recentemente a Netflix {♥} liberou no seu catalogo a primeira temporada de The Librarians uma série de aventura do canal TNT. E hoje vou falar para vocês o porque essa série vale tão a pena ser assistida. Mas primeiro veja do que ela se trata:

A série se passa em torno da vida de quatro pessoas, sendo Eve Baird (a escolhida pela biblioteca para ser a nova guardiã) e Ezequiel, Cassandra e Jake que foram convidados a juntar-sem à Biblioteca para se tornarem os bibliotecários (entendeu o nome?), entretanto eles não foram escolhidos para ajudar Flynn Carsen (o atual bibliotecário).Flynn está à procura da Biblioteca (que se perde no tempo e no espaço durante o piloto), os quatro tornaram-se a nova equipe de Bibliotecários, a fim de resolver mistérios impossíveis, recuperar artefatos poderosos, e lutar contra ameaças sobrenaturais, especialmente as forças do Serpent Brotherhood, liderado pelo misterioso Dulaque.

  

A série tem tudo a ver com nós leitores

Pois é, como o próprio nome sugere a série conta com uma equipe de bibliotecários que devem proteger uma biblioteca, mesmo que ela esteja perdida. De qualquer maneira, a missão ainda é recuperar os artefatos desta biblioteca que geralmente são de histórias clássicas. Então não preciso dizer que a série tem muitas referencias de livros, certo? 

Aventura

Então é claro que eles acabam se aventurando em cenários improváveis e situações de risco. Por cada personagem ter sua própria personalidade a série fica muito mais gostosa de assistir e não cansa o expectador. A sensação de que tá sempre acontecendo algo é recorrente e muito boa. 

Personagens ♥

Cada personagem tem sua própria personalidade dentro da proposta da série e todos eles conseguem ser amados. É difícil escolher um favorito pois a cada episódio algo diferente é abordado sobre eles. Ezekiel é o mais novo e também mais engraçado, Cassandra é a fofinha e Jake é o cara mais machão mas que vai se demonstrando cada vez mais sensível. Eve é uma mulher com o esteriótipo durona e apesar de ser uma coisa ruim também se torna legal conforme ela vai demonstrando seu lado mais humano no decorrer da temporada. Flynn, apesar de ser bibliotecário ele não é recorrente na série o que é uma pena pois é um personagem muito divertido.

É derivada de um filme

Um não. Na verdade acredito que são três filmes. Sob o título em português de O Guardião os filmes mostram um pouco sobre como foram os anos de Flynn sendo o único bibliotecário. Achei bem legal a TNT lançar a série baseando-se na premissa do filme. Ainda não consegui assistir mas tá na lista (infelizmente não tem na netflix). 

Então é isso, pessoal. Para assistir a série basta clicar no link a seguir que vai direto para a página dela na Netflix [www]. 

Lançamentos de Junho: Gente & Única


Olá, leitores. Tudo bem com vocês? Sei que vocês gostam de saber as novidades das editoras, então hoje vou mostrar as novidades da Editora Gente e Única, as novas parceiras do blog. Mas antes de qualquer coisa, leia um pouco mais sobre essa parceria no post de apresentação clicando aqui.

Resenha: Além-Mundos

15/06/2016




Sabe quando você vê uma editora falando de um livro de um autor que você curte e pensa EU PRECISO DESSE LIVRO? Foi exatamente assim que eu estava me sentindo em relação a Além-Mundos. Vocês nem imaginam a minha felicidade quando o carteiro entregou o livro aqui em casa... *-* Então sim, logo que terminei o que estava lendo fui ler Além-Mundos. E sim, expectativas estavam altíssimas e não, eu não me decepcionei. Scott é um autor que sabe como levar o leitor para a sua história sem ser chato e maçante. De fato o livro é longo e por algum momento eu estava enjoada do Além-Mundos de Lizzie mas mesmo isso não deixou a história ruim.

Em Além-Mundos temos duas histórias. De Darcy, uma jovem de 18 anos que acabou de escrever seu primeiro livro. E Lizzie, uma jovem de 18 anos que estava no lugar errado e na hora errada: um aeroporto que sofreu um ataque terrorista. Ela é a única sobrevivente e como ela conseguiu isso a própria sinopse já nos conta. Sim, são duas histórias de duas personagens diferentes mas que ao mesmo tempo são tão iguais. E bom, caso você não tenha percebido ainda Darcy foi quem escreveu a história de Lizzie. Os capítulos são alternados e para diferenciar um de outro os capítulos com a vida de Darcy são narrados em terceira pessoa e os capítulos com a vida de Lizzie são em primeira pessoa.

A história que eu mais gostei foi de Darcy. Não sei o quanto daquilo tudo é verdade, mas parece que como leitora pude conhecer um pouco mais sobre o mercado editorial (mesmo que seja o americano) e de como é a roda de amigos dos autores. Na contracapa do livro tem até um citação de John Green um pouco engraçada dando a entender que algumas coisas que os autores falam no livro realmente podem ser verdade. Darcy é nova nisso tudo e acaba conhecendo autores de quem ela é fã, além de ter que lidar com algumas exigências para a publicação de Além-Mundos (é o nome do livro dela, entendeu?) e prazos. Além de tudo isso tem que passar por algo em sua vida pessoal que lhe é tão novidade quanto se mudar de cidade e tudo mais que envolve sua obra e carreira. O que mais achei engraçado em acompanhar a vida de Darcy é que eu não reparei (e nem ela) o quanto seu relacionamento amoroso afetou Além-Mundos. Ela tinha um foco, então as coisas foram mudando e depois ela passou a perceber isso mesmo que por causa de outra pessoa. Entretanto Darcy tem o caldo (vou começar usar esse adjetivo nas minhas resenhas de agora em diante rs).

Já sobre a história de Lizzie é difícil julgar. Parece que se eu for falar não estarei sendo... justa com a outra parte do livro. Além-Mundos (o livro que Darcy está escrevendo) é um YA sobrenatural, que trata principalmente da morte. Ele foi baseado no hinduísmo mesmo que não seja, exatamente, assim. No livro Darcy explica o porque de suas escolhas e o quanto elas a afligem (diga-se de passagem: a família de Darcy é indiana). Lizzie é uma jovem que após passar por uma experiencia de quase morte passa a ter acesso ao Além-Mundos, onde ficam os fantasmas e lá ela conhece Yamaraj, o deus da morte. Apesar da história ser boa, tem algumas coisas no Além-Mundos que me incomodou. Eu acho que se o livro fosse inteiro assim eu iria falar dele de forma negativa, pois teve uns pontos que me incomodaram principalmente no final. Mas quando você está acompanhando o dia a dia do autor parece que é mais fácil entender as escolhas que a levaram a tomar determinadas decisões. É uma coisa estranha, acho que não sei explicar muito bem. Mas tipo... como fazer uma resenha do livro que está dentro de livro, sabe? haha De qualquer maneira fiquei curiosa para saber como seria a continuação de Além-Mundos que Darcy está escrevendo, pois parece que ela fez um final tão fechadinho que não consigo imaginar a continuação. Mas como o Além-Mundos de Darcy é tão ficção quanto o Além-Mundos de Scott é provável que nunca aja, de fato, a continuação.
O sono era só um pedacinho da morte e eu já tinha comido a minha parte.

Enfim, a resenha já ficou gigante e mesmo assim parece que eu não falei muita do coisa do que eu queria. Além-Mundos é aquele tipo de livro que seus amigos tem que ler e comentar juntos, sabe? Da vontade de debater junto com Darcy sobre suas duvidas e certezas, e algumas vezes até falar miga, menos. Leitura maravilhosa que me fez gostar mais de Scott.

+ quotes
Se você não acreditar no que viveu, as mudanças somem, como cicatrizes.
— Serial killers são como deuses da morte do mundo moderno — explicou Kiralle. 

Sorteio: Primeiro aniversário do Gettub


Vou ser sincero e dizer que, no início, não esperava que o GETTUB durasse mais do que alguns meses. Achei que não teria tempo para manter algo tão trabalhoso, mas que dá muito gosto em fazer. Felizmente, consegui. Em julho, o blog completa UM ANO, com planos para durar muitos mais. 

Então, vamos logo conhecer o que preparamos para vocês? 

TAG: Namorado Fictício

13/06/2016


Olá, pessoas lindas! Vocês estão bem?
Já faz um tempão que o Alisson me indicou para essa tag e agora finalmente irei responde-la. Deixei para responder agora, pois ontem foi dia dos namorados e eu como encarei a sofrência sozinha vou é listar os meus namorados da ficção que são os melhores. ♥
A tag consiste em escolher os melhores namorados para cada categoria.
O namorado mais romântico
Até o momento eu só li o primeiro livro da série e acompanhei a primeira temporada. Por mais que Jamie tenha seus costumes de acordo com a época em que vive não da para negar que ele é um romântico e fofo e tudo. *-* A forma como ele foi conquistando Claire ao longo do livro e principalmente após aquele acontecimento (quem leu/assistiu vai saber o que é) realmente me fizeram crer que ele é romantico e que acima de tudo quer ver a pessoa que ele ama bem. Espero que continue assim nos próximos livros. Jamie.
O boy misterioso que no fundo é bonzinho
Acho que o Lukas acaba tendo essa coisa de misterioso pela forma como ele aparece na vida de Jackie. De qualquer forma, ele é um lindo e tem todo o estilo que eu curto com tattoos e piercings e é muito bonzinho. Lukas. 
O namorado paranormal
Eu acho que sempre esqueço do Jesse de A Mediadora e olhando a lista para escolher um para a tag eu fiquei pasma. Ele foi um dos meus primeiros crushs literários e como que eu sempre esqueço dele? ¬¬ Mas enfim, ele é um lindo, às vezes irritante mas não da para resistir. Jesse
O namorado que você quer domar
Todo mundo sabe que o Warner é meu favorito de todos. Quem acompanha o blog há bastante tempo deve estar até cansada de ver que sempre que eu tenho a oportunidade cito esse personagem. rs Ele é o tipo de namorado para se domar, apesar de eu particularmente preferir ser domada. Mas se tivesse que ser ao contrário com certeza é ele. Warner
O cara da friendzone
Eu acho que não posso citar o nome do personagem desta trilogia que eu amo e ficou na friendzone pois seria considerado spoiler para quem ainda não leu. Mas ele é um fofo e o tipo de pessoa que faz tudo por quem ama. Acho que da para fazer uma leve comparação entre este personagem e o Gale de Jogos Vorazes, pois ambos acabaram fazendo certas coisas por amor e foram deixados de lado... A diferença é que ao meu ver o relacionamento de Cassia com este personagem é muito mais profundo.
Sua alma gêmea
A minha alma gêmea é uma menina! Agatha foi a escolhida, por motivos de: tem tudo a ver comigo. Sua forma de pensar, de ver o mundo, tratar as pessoas e de se relacionar com elas. Eu acho que foi praticamente uma das únicas personagens que eu me identifiquei a este ponto e mesmo que ela seja heterossexual porque não, né? Ela mesma provou que alma gêmea pode até ter outros conceitos (eu sei que não é o objetivo da tag, mas não ligo). Agatha.
Um namorado com quem você fugiria
Eu fugiria com Noah para qualquer lugar. Acho super aceitável tudo o que Mara fez para ficar com ele e vice-versa. Ele é o tipo de namorado que qualquer garota gostaria de ter, pois olha... precisa ter muito amor para aguentar tudo o que ele aguentou durante os três livros. rs Noah
Namorado que você arriscaria ir para qualquer lugar
Com Paul eu iria para qualquer lugar do mundo, em qualquer dimensão, qualquer planeta. Se tivesse que trocar de universo ou sei lá o que eu iria também. Esse garoto é simplesmente uma perdição. O seu jeito, sua personalidade... em todos os universos abordados no livro ele é um lindo. Sério, leiam esse livro que é muito bom. Paul
O namorado que você gostaria que estivesse em uma ilha deserta com você
Acho que também não é segredo o quanto eu adoro o Holder. Ele é o tipo de namorado que se preocupa com a companheira acima de tudo e sempre quer vê-la bem; então eu tenho certeza que ele cuidaria muito bem de mim numa ilha deserta. Mas eu facilmente poderia trocar o Holder pelo Sawyer, de Lost (mas tô dando prioridades para os literários kkk). Holder
O namorado fodão
Para encerrar: APENAS. Daemon.

Beeeijos

Cadê meu Fone? #3

10/06/2016

Oi mores, tudo bem com vocês? Hoje o Cadê meu fone? vai ter uma playlist especial antecipando o dia dos namorados que é no próximo domingo. Na real não vou colocar aqui músicas pra ouvir agarradinha com o boy (ou com a mina), mas sim aquelas músicas de foça para todos as(os) solteiras(os) que visitam este espaço. Afinal, eu não tenho namorado e pra que deveria ouvir música de love sendo que não tô no climão, né? Vamos mesmo é pra sofrência. rs

The Killers - Mr. Brightside

It started out with a kiss
How did it end up like this?
(It was only a kiss) It was only a kiss.

Papa Roach - Scars

Drunk and I'm feeling down
And I just wanna be alone

Killswitch Engage - Rose Of Sharyn

What would I give to behold
The smile, the face of love
You never left me
The rising sun will always speak your name

R.Sigma - O Mito do Insubstituível

A verdade meu amor, a triste verdade
É que não existe saudade, nos braços de outro alguém

Bullet For My Valentine - Worthless

You can keep all your apologies
Those words are worthless to me
And I don't wanna hear that you're sorry
Your words mean nothing to me

Essa então foi a playlist foça para o dia dos namorados. Tem pra todos os gostos, então aproveitem. Pra quem tem namoradinhx então tenha um ótimo dia dos namorados.

Beeeeijos. 

Tag: Híbrida

08/06/2016


Olar *emoji da lua*
Hoje vou fazer para vocês a TAG Híbrida que consiste em indicar um livro de acordo com os personagens deste livro. Antes de iniciar vamos as informações importantes sobre a pré venda:

Você pode comprar o livro nas seguintes lojas: Sairava e Amazon. No dia 11 de Junho terá um evento em São Paulo com a autora e vocês podem ter mais infos sobre ele no seguinte link.

Elizabeth

Um livro que você leu (emprestado ou alugado) e nunca mais achou outro exemplar
O livro que eu li (e amei, diga-se de passagem) e nunca achei para comprar chama-se Transgressão. Eu tenho muita vontade de reler este livro, mas como nunca achei para comprar e não me lembro quem me emprestou acaba que vai ficar difícil conseguir reler. 

Ellene

Um livro que você estava indeciso se seria uma boa leitura, mas foi até o fim para descobrir
Acho que o livro que mais se encaixa nesse perfil para mim é Mentirosos, pois por mais que eu soubesse que o final ia me deixar de boca aberta foi um pouco difícil ler o livro todo em si. 

Heidy

Um livro com um vilão que você detestou e torceu para que ele morresse
Já manifestei meu ódio mortal por Kendra das Cronicas de Myríade, né? Então... 

Nicolae

Um livro com um personagem secundário importante para a trama e de quem você não sabia se confiava ou não

Aaah, escolho Paul do livro Mil Pedaços de Você. É uma luta até saber quando ele é ou não confiável ainda mais com alguns universos a serem explorados. 

Milosh

Um livro com um protagonista destemido, porém depressivo
Eu gosto muito de Bea, de Uma História de Amor e TOC. Acho que ela combina com essas caracteristicas apesar de ela não ser tãaaao depressiva assim.

Jacó

Um livro com um irmão mais velho ciumento
Não consigo lembrar de nenhum irmão ciumento, mas acho que os irmãos da família Bridgerton podem se encaixar nesse perfil. Dos livros eu só li O Duque e Eu até o momento.

Carol

Um livro que te deixou curioso e você deseja ler em breve

Aaah, eu tô louca para ler Azeitona do Bubarim. 

Tomás

Um livro que você amou e te decepcionou no final
Esse vale para toda a trilogia Legend. O final me decepcionou bastante, mas o restante da história é muuuuito boa. 

Para fazer a TAG eu indico os blogs Na Prateleira de Alice, Resenha Atual e Momento Crivelli.

Pré-Venda: Hibrida

06/06/2016


Oi, oi! A autora parceira Mari Scotti está promovendo a Semana Hibrida junto com seus parceiros. Serão alguns posts e novidades sobre o livro Hibrida, que agora está saindo pela editora Novo Século. Saiba mais sobre o livro no restante desse post e não deixe de adquirir seu exemplar.

Resenha: Anna Vestida de Sangue

03/06/2016

Esse é aquele livro que de jeito nenhum imaginei que iria gostar tanto. Eu não conhecia esse livro até alguns colegas blogueiros comentarem vagamente sobre ele nos grupos e então fiquei um pouco curiosa. Quando o recebi fui logo lendo (e também porque a galera escolheu ele através de uma votação no meu twitter). Já nas primeiras páginas fui surpreendida com a qualidade do livro e extremamente feliz por isso. Ele tem esse clima tenso de terror e angustia, mas não é por causa disso que deixa de ser um livro leve. A leitura foi tão rápida que poderia ter acabado com ele em uma única sentada, mas eu me controlei bastante pois sabia que ao final da leitura me sentia assim: triste e ansiosa pelo próximo volume. rs

Theseus Cassio (amei esse nome) é um rapaz de dezessete anos que tem uma profissão diferente. Ele caça fantasmas e por isso está sempre se mudando por diversas cidades e países. No começo achei estranho essa semelhança com a série dos dois irmãos lá, sabe? Supernatural pra quem não entendeu E talvez tenha sido essa a inspiração da autora, não sei; De qualquer forma esse não é um aspecto negativo da obra. Mesmo que o básico seja semelhante o livro é bem diferente do que vemos na série. Cas é um garoto que não demonstra muito seus sentimentos aos leitor mas ao mesmo tempo fica muito óbvio saber o que ele está sentindo, sabe? Pelas suas atitudes e palavras. Acho que gostei bastante dele por causa disso pois assim ele fica um personagem mais espontâneo no que diz respeito as suas atitudes.

Uma das melhores coisas do livro é na forma como a autora trabalhou com os personagens secundários. Eu, pelo menos, adoro obras em que eles ganham destaque tanto quanto os protagonistas. Thomas é engraçado e leal, Carmel apesar de ser a tipica garota popular se prova muito mais durante a história e a mãe de Cas trás uma simplicidade que ajuda o livro ficar mais leve do que a história em si pede. Mas e Anna? Bom, Anna é uma personagem que acaba surpreendendo o leitor durante toda a narrativa. É difícil falar sobre ela já que tanta coisa pode descrever essa personagem (e o quanto eu a amei), mas garanto que todos os leitores vão acabar gostando de Anna e se comovendo com sua história.

O livro tem romance? Bom, até tem mas ele demora taaaanto tempo para acontecer que nem de longe esse é o foco da história. Então se você procura uma leitura focada nisso talvez o livro não seja pra ti, mas de qualquer maneira acredito que o aspecto romântico da obra irá agradar aqueles leitores que gostam de algo natural, sabe? Nada apressado e tudo mais. Lembre-se que eu disse que Cas é de esconder seus sentimentos e como ele é o narrador da história vemos tudo pela sua perspectiva. Mas a autora fez muito bem em focar a história no sobrenatural e terror do que qualquer outra coisa. Ah! E para as pessoas mais medrosas não se preocupem pois o livro não da medo em nenhum momento. Talvez aquela angustia pela curiosidade do que irá acontecer mas nada de medo. Leitura mais do que indicada.

Lidos & Assistidos: Maio 2016

01/06/2016

Olá, olá! Mais um mês se foi e com ele algumas leituras bem prazerosas. x)
Esse mês vi bastante filme em um final de semana que meus primos posaram aqui em casa, então ficamos na Netflix tipo o dia inteiro. rs Venham conferir o que eu li e assisti de bom (ou não) nos últimos 31 dias.

Lidos




Assistidos



Gente, o que falar da segunda temporada de iZombie? A primeira eu quase abandonei na época e acabei gostando no final, mas essa segunda temporada foi maravilhosa! A season finale me deixou tipo NÃO FAÇAM ISSO! Ainda tô pensando se faço um post falando sobre essa temporada, ainda preciso colocar as ideias no lugar. Enfim, dos filmes da lista os únicos que eu ainda não tinha assistido é The Call e Blue-Eyed Butcher, este segundo é bem ruinzinho mas da para passar o tempo. Recomendo muito Se7en para quem nunca viu, é muito foda. E o que falar da terceira temporada de Vikings? Agora vou ter que dar um jeito de assistir a quarta, porque não vou aguentar esperar pela Netflix. :(

Quanto aos livros a maioria já foi resenhado por aqui ou nos blogs que colaboro, você pode clicar na capa para ir direto para a resenha. No caso de Namorado de Aluguel quem resenhou aqui foi a Viviane, a minha resenha irá sair no Cantar em Verso.

------------------------------------  ------------------------------------  
Gente, tem enquete de pesquisa de qualidade. Isso vai ajudar muito o blog a crescer. Responde rapidinho? Só clicar AQUI. E aproveitando para falar que, apesar de não ser profissional, eu faço uns layouts para Blogger. Então caso você queira um layout bonitinho para seu cantinho pode falar comigo, entrar em contato pelo Facebook e tal. :3