É fácil dizer que eu desenvolvi um amorzinho muito grande pela Marie Lu. Apesar das minhas criticas eu me apaixonei pela trilogia Legend e ela se tornou uma das minhas favoritas do gênero. Então quando vi sobre Jovens de Elite fiquei bastante ansiosa para saber o que esta autora iria trazer de novo para os leitores, já que ela tem características únicas e mais uma vez fui surpreendida com sua capacidade. Marie Lu não tem capacidade de escrever apenas uma boa história, mas ela tem a capacidade de me fazer mudar de opinião sobre suas obras em questão de segundos. Durante boa parte da leitura eu odiei a história e odiei a personagem sem nem ao menos saber direito o motivo, entretanto após finalizar a leitura e me senti tão vazia pude entender que aquele sentimento era um reflexo do que a obra realmente deve passar ao leitor. Jovens de Elite não é só um livro de fantasia ambientada na era medieval, mas um livro que nos mostra personagens tão humanos quanto podemos ser.

Eu preciso dizer que Adelina não foi uma personagem fácil de gostar. Mesmo com suas dificuldades e sofrimento eu ainda sentia uma antipatia muito grande pela menina e não compreendia suas atitudes. Eu não vi esse amor que ela quer demonstrar sentir pela irmã, interpretando apenas como algum tipo de obrigação pela garota somente ser sangue do seu sangue e menos ainda os sentimentos que ela pensar ter pelos novos amigos, os jovens de elite. Adelina é uma personagem que vai se desenvolvendo ao longo do livro mas a forma como ela se desenvolve é questionável, dependendo do ponto do vista de cada leitor a interpretação positiva ou negativa. Eu, honestamente, não sei o que esperar dessa personagem nos próximos livros, mas eu espero que a autora não seja covarde com Adelina assim como foi covarde com o final de Legend. Apesar da minha opinião eu acredito que ela merece um grande desenvolvimento de acordo com sua proposta (a mesma que a própria autora comenta nos agradecimentos) e que seu final seja marcante. Eu juro que não espero nada menos de quem vai escrever um livro sobre Batman. haha
O medo cria as ilusões mais fortes. Todos têm a escuridão dentro de si, por mais escondida que seja. 

Gosto dos personagens secundários do livro. Eles trazem um equilíbrio necessário par a protagonista durante boa parte da obra e suas passagens ajudam o leitor a compreender melhor o universo criado pela autora. O livro tem capitulos narrado em primeira pessoa por Adelina e nestes segue o padrão de que o narrador tem poucas informações para compartilhar e então o leitor vai aprendendo junto com ela sobre os jovens que tem poderes, sobre como a sociedade vive e é governada e porque algumas coisas precisam mudar. Alguns capítulos são narrador em terceira pessoa por outros personagens que ganham destaque na obra, mas honestamente eu não achei que foi tão necessário assim. Alguns pontos acabaram servindo para acabar com algumas surpresas. O livro trás um pequeno romance, mas que não chega ser de verdade um romance. Sabe quando você sente aquele clima de sentimento no ar? Bom, é mais ou menos isso.

Devo dizer que fiquei bastante triste com o final do livro. Claro que achei incrível o que a autora fez e o gancho que deixou para o próximo volume. Tudo está conectado de uma forma que me deixou muuuito na vontade de ler logo e espero que não demore muito. No geral não é um livro que pode agradar de cara, mas depois quando tu passa a refletir sobre ele acaba curtindo muito pensar e pensar "que f#da", sabe? Vale muito a pena a leitura, mesmo que no inicio seja frustrante continue lendo pois a história é bem mais do que mostra sua sinopse e sua capa.