Resultado: Melhores do Ano

30/01/2016


Olá Leitores!

No fim de 2015, os blogs Os blogs Livroterapias, Por Uma Boa Leitura, Literalizando Sonhos, Equalize da Leitura, Milkshake de Palavras, Pausa Para um Livro, La Garota, Livros & Tal e Estilhaçando Livros se uniram num projeto super legal e inovador para junto com os nossos leitores para elegermos o Melhores Livros do Ano de 2015.

Conseguimos a participação de centenas de leitores e chegou a hora de divulgar os resultados!
Confira se o seu favorito venceu!

Desafio fotográfico: Um livro e....

29/01/2016

Foto: Silviane Casemiro | Estilhaçando Livros

Olá, pessoal. Tudo bem?
Sei que é um pouco tarde para lançar desafios para 2016, mas é que a ideia em si surgiu um pouco tarde, então vai ter que ser agora mesmo. rs

Eu gostaria muito de participar de um desafio fotográfico este ano, para tentar dar uma agitada no meu Instagram e tudo mais. O problema é que a maioria dos desafios que vi por aí são tão comuns e genéricos que eu não me senti nada animada em faze-los. Como eu tenho um amigo blogueiro mega criativo e que abraça todas as ideias ele acabou criando esse desafio para nossos blogs. Claro que o  blogueiro em questão é o Alisson, do blog Re.View. ♥

Não tem nenhuma regra obrigatória para o projeto, mas seria MUITO legal se vocês marcassem nas fotos a hashtag #UmLivroE para nós podermos ver quantas pessoas estão participando e tudo mais. O desafio deve ser feito ao longo do ano na ordem que você desejar (mas não esqueça de colocar na legenda da foto qual está fazendo), mas só não pode postar mais de uma foto por dia. Se quiserem nos marcar na foto também iremos adorar (@EstilhacandoSil e @Re.View). 
  • Um livro e você
  • Um livro e um óculos
  • Um livro e um CD/Vinil
  • Um Livro e um relógio
  • Um livro e uma pena
  • Um livro e uma bebida
  • Um livro e mimos
  • Um livro e marcadores
  • Um livro e uma peça de roupa
  • Um livro e um perfume
  • Um livro, você e sua cama
  • Um livro e seu amigo
  • Um livro e um bicho de estimação
  • Um livro e lápis de cor
  • Um livro e o seu titulo manuscrito por você
  • Um livro e uma fotografia sua
  • Um livro e um presente
  • Um livro e um símbolo festivo (Páscoa, Natal, Carnaval, São João)
  • Um livro e a sua colcha predileta
  • Um livro e o restante de sua série
  • Um livro e um ingresso de cinema
  • Um livro e o pôster de sua adaptação
  • Um livro em um banco de praça
  • Um livro e um muro
  • Um livro e um jardim
  • Um livro e a praia (ou piscina)
  • Um livro e o por do sol
  • Um livro e um dia de chuva
  • Um livro e o céu azul
  • Um livro e uma árvore
  • Um livro e a livraria
  • Um livro e brigadeiro
  • Um livro e seu sorvete predileto
  • Um livro e uma fatia de bolo
  • Um livro e biscoitos
O desafio é aberto para quem tem blog e para quem não tem; Mas caso você seja blogueiro(a) seria muito legal se colocasse o banner do projeto no seu blog direcionando para o post de apresentação, para assim outras pessoas também conhecerem. Deixei duas opções de tamanho de imagem (886x886 ou 236x236).

Agora é usar os livros e a criatividade. ♥

Tag: De Tudo um Pouco

27/01/2016



Já falei por aqui que adoro tags? Bom, então tô falando. Tô adorando ser indicada por vocês para as tags <3. Quem me indicou para esta foi o blog Caverna Literária. Demorei um pouco para fazer, me desculpa! mas tá aqui agora.

A tag não tem relação com literatura, mas mesmo assim decidi fazer para vocês poderem me conhecer um pouco mais.

Regras

  1. Responder todas as perguntas.
  2. Indicar, no minimo 11 blogs com quantidade menor de 500 seguidores.
  3. Colocar o selo da tag.
  4. Colocar o link de quem indicou.

1. Qual seu estilo musical preferido?

Gosto de rock e alguns de seus subgêneros (por exemplo: metal).


2. Qual peça de roupa é sua queridinha do momento? 

Pijama sempre.


3. Qual/quais dos seus esmaltes é/são os mais divos? (Marca e cor) 

Eu não sou muito de usar esmaltes e mesmo quando uso para mim é tudo "azul", "rosa", "roxo" e etc.


4. Shorts ou saia? 

Shorts.


5. Cabelo liso ou enrolado? 

Liso.


6. Brigadeiro ou sorvete? 

Brigadeiro com sorvete, ou vice-versa.


7. Doce ou salgado? 

Doce!!! 


8. Como você define seu estilo? 

Estilo noite. Tipo hora de dormir rs (falei do pijama lá em cima).


9. Você é do tipo mulher consumista ou compra só o básico? 

Depende. Se for roupa eu sou muito consumista, o mesmo com sapato ou outras coisas. Só que se o assunto for livros e eu tiver $ acabo me descontrolando.


10. Considera-se vaidosa? 

Em alguns momentos sim, mas são bem raros.

Indicados

Eu sou um pouco conhecida por burlar regras de tags, por isso que não vou indicar ninguém. rs

Beijinhos

Resenha: Efeito Dominó - Parte 1

25/01/2016

Quando vi o post no blog da Alana falando sobre esse livro fiquei bastante interessada na leitura, pois a premissa é ótima. Meu único receio era não ler tão prontamente, já que na época eu estava atolada de livros de parceria e metas mas conversando com ela acabamos chegando em um acordo. Aí então chegou a hora da famigerada leitura.

Não vou dizer que o livro me desagradou, pois é mentira. Ainda acho a premissa dele excelente e estou bem curiosa para saber o que acontece na segunda parte da história, principalmente depois daquele final que me deixou bastante surpresa (não digo apenas na cena final, mas o final no modo geral). Mas foi uma leitura um pouco... complicada. Primeiro que achei Cora uma personagem extremamente chata. Tentei diversas vezes me colocar em seu lugar e entender suas atitudes, mas sinceramente eu acaba ficando com mais raiva dela do que a compreendendo. A menina é bastante mimada, não gosta de ser contrariada e tive impressões que ela adora arrumar uma briga à toa (com todo mundo), mas por outro lado ela também é bem insistente e é graças a esta característica da menina que a história foi para frente.

Eu não sou o tipo de leitora que se da muito bem com histórias em terceira pessoa. Claro que as vezes acredito que algumas histórias realmente combinem com esse tipo de narração, mas não acredito que seja o caso de Efeito Dominó. Por mais que tenha minha implicância com Cora preferia muito mais saber dessa história pela perspectiva dela do que de diversos personagens, principalmente por ter tantas mudanças de personagens durante o livro. Talvez eu mistério iria prevalecer muito mais, a ansiedade pelo desfecho e etc. Outro ponto negativo na narração são alguns termos que a autora escolheu usar. Muitas vezes lendo um livro onde os personagens ou a protagonista é tão jovem fica um pouco difícil aceitar palavras tão formais para contar ao leitor como eles estão se sentindo (e às vezes até durante os diálogos). Lendo no Kindle é muito fácil consultar o dicionario no próprio dispositivo, mas é um pouco chato ter que ficar fazendo isso durante o livro inteiro.
Há segredos que não se pode confiar a alguém, porém há segredos que devem permanecer escondidos para proteger alguém.

Eu gostei bastante do sequestrador de Cora (não sei se citar ou não o nome dele é uma boa ideia na resenha, então vai assim que irei me referir a ele). Tá, eu sei que falando assim soa absurdo mas ele é um personagem que vai tendo um bom desenvolvimento na história e ajuda a personagem a descobrir várias tretas que envolve pessoas muito próximas a ela. Gosto do seu jeito sarcástico, frio e em alguns momentos até engraçado. Como sempre eu fico esperando por momentos entre "mocinha e vilão" na história e agradeço a Alana por ter me proporcionado isso, mesmo que os momentos deles juntos não sejam tãaaao longos assim eu gostei bastante. Quando Cora esta com ele parece que toda aquela birra chata desaparece e ela nos mostra um outro lado de sua personalidade que faria com que eu até gostasse dela como protagonista.

Apesar de ter tido os meus incômodos com o livro eu indico sim para quem gosta de um romance policial, com bastante suspense e mistério. Mesmo nos dando várias pistas o final ainda surpreende e pode te deixar ansioso para a segunda parte dessa história.
̶ Pode tentar se esconder da realidade, mas um dia você terá que abrir os olhos e quando abri-los vai estranhar a luz forte e penetrante. E isso será um risco porque você poderá ficar cega de vez por relutar a realidade e preferir as sombras. É melhor permanecer lucida, Cora
.

The Strain - 2ª Temporada

22/01/2016

Olá, leitores(as). Tudo bem com vocês?

Mês passado eu fiz uma maratona da segunda temporada The Strain e quase morri de tanto eps direto que vi (a temporada tem 13 eps) e hoje vou falar um pouco do que eu achei e também tentar explicar um pouco da série, já que não teve post sobre a primeira temporada (que eu vi há bastante tempo).


Bem, para começar The Strain é uma série de terror/horror baseada na Trilogia da Escuridão, escrita por Guillermo del Toro e Chuck Hogan. Basicamente conta a história de uma NY que foi tomada por vampiros através de um parasita, que são controlados pelo Mestre (nome auto explicativo). Esse é um resumo bem grosso kkkk Eu ainda não li os livros, mas pretendo pegar em breve (torçam por mim). Além dos três livros também tem algumas HQs (ou Graphic Novels, eu nunca sei a diferença) lançadas. Na primeira temporada da série temos toda uma introdução do que são os vampiros, como eles se espalharam para a cidade, como são controlados; além da introdução dos personagens principais e como eles acabam se unindo em uma única causa (ou causa semelhante). Já na segunda temporada a luta pelos personagens continuam. Setrakian ainda possui um desejo cego de simplesmente acabar com o Mestre e seus discípulos, acreditando que assim irá cortar o mal pela raíz e Ephrain trabalha com Nora para encontrar uma vacina ou cura para o vírus.

Eu acho que nunca poderia imaginar o caminho que a série tomaria a partir da segunda temporada, com a primeira acabando da forma que acabou. Eles quase pegaram o Mestre mas infelizmente algumas teorias de Setrakian estavam erradas e a chance foi perdida. Isso causou muita ira no homem, mas em contrapartida isso o influenciou ainda mais em sua caça partindo agora para outros meios: Um livro muito antigo que conta a origem do Mestre e a unica forma de derrota-lo. Vou confessar que essa parte da série eu achei bem arrastada. Ele ficou cerca de dez ou onze episódios atrás desse livro e aí, claro, quando o encontra surgem duzentos mil pedras no caminho. Sei que um artefato desse porte não vem fácil, mas mesmo assim eu acredito que poderiam ter outros elementos para colocar também; principalmente se esses elementos contasse com mais encontros entre Setrakian e o Mestre, mas isso não acontece pois o vilão que complementa Setrakian não é o Mestre e sim Eichorst, um ex-soldado nazista (inclusive, Setrakian é judeu sobrevivente do holocausto e ai já imagina o motivo dos dois ser inimigos, né?). E olha, Eichorst é um cão que só late. Fico mega irritada quando tem uma situação de confronto ele foge rapidinho, morrendo de medo. Ele é muito bom quando sua vitima é uma pessoa qualquer, um ignorante, ou quando esta presa, mas na hora de enfrentar a coisa toda ele sai fora! Sinceramente... rs

Google Imagens
Enquanto Setrakian fica atrás do tal livro, além de tentar encontrar uma cura ou vacina para o vírus Eph também tem que enfrentar Kelly, sua ex-esposa vampira que está atrás de seu filho. E aí que entra o pior de tudo na temporada: Zach. Um dia eu vou entender o porque de todo apocalipse, seja zumbi, vampiro, aliens ou qualquer coisa as crianças tenham que atrapalhar TUDO. Sério. O menino faz tudo errado, o tempo todo e no final eu fiquei torcendo para ele morrer. Chegou uma hora que até o pai perdeu a paciência com o menino e tentou jogar umas verdades na cara dele, meio que literalmente. É até compreensível que ele fique daquele jeito, perder a mãe dessa forma é horrível mas ele tem idade o suficiente para compreender as coisas, entender o que esta acontecendo ao seu redor. 


Tirando essas coisas eu adorei a temporada, a forma como os personagens passaram a se relacionar uns com os outros definindo assim as amizades e relacionamentos. Além desses temos os secundários e principalmente Gus <3 que é meu querido. Um cara com um passado ruim que acaba sendo arrastado para o meio de umas criaturas que não se sabe se é vampiro ou humano ou que sei lá. Desde a temporada anterior eu curti Gus, pois o acho engraçado e com um senso de lealdade muito grande, por mais que ele não tenha percebido isso nele mesmo ainda. E o que dizer daquele que apareceu poucas vezes e se tornou meu personagem favorito? The Born, como é chamado ou Quinlan <3 [foto]. Pelo que eu li por ai ele também é um dos personagens mais queridos da galera que leu os livros e sério, espero que na terceira temporada tenha mais dele na série. Eu gosto muito dessa interação dos vampiros com os humanos e melhor ainda quando se trata dos híbridos. Tem hora que os humanos cansam com toda a sua ladainha e a praticidade faz falta, sabe? 

Como eu disse anteriormente a temporada foi morna, mas não deixou de conquistar. Adoro essa forma de abordagem dos vampiros e do Mestre. Estou curiosa sobre a sua origem. Fiquei bastante contente com a escolha dele para o próximo receptáculo *-* não é tão horrivel quanto o primeiro, não causa medo ou algo do tipo mas tem uma coisa mais... natural, sei lá. A intenção não seria essa, mas acho que fica até mais real em algum aspecto. As cenas de transformações e ataques continuam nojentas, portanto se você pretende assistir a série e tem estomago fraco é melhor nunca fazer na hora do almoço ou da janta, muito menos se o prato escolhido for macarrão ou miojo. Sério! É beeem nojento, causa bastante horror. O final da temporada me deixou com raiva e triste ao mesmo tempo, mesmo não gostando da tal personagem que morre eu achei que ainda não era a hora dessa pessoa morrer :( Mas tudo bem, vamos ver o que a próxima temporada nos reserva. 

Ao curiosos confira o trailer da primeira temporada da série.



Beijos.

Resenha: Ps.: Ainda Amo Você

20/01/2016

Eu, literalmente, acabei de terminar a leitura desse livro. Eu sei que é praticamente um erro escrever uma resenha quando a emoção da obra ainda está fervilhando na cabeça mas eu vou tentar fazer um texto legal. Não prometo ser imparcial. Sinceramente isso vai ser impossível perto do tanto que eu amei esse livro (tanto é que terminei a leitura em algumas horas). Mas vamos lá: confira o que eu achei de Ps.: Ainda Amo Você, a sequencia de Para Todos os Garotos que já Amei.

Antes de começar deixo avisado que essa resenha é livre de spoilers, então pode ler tranquila(o), okay?

Bom, depois da tortura que foi o final do primeiro livro eu finalmente consegui ler o segundo e MEU DEUS! Eu não imaginava muita coisa que iria acontecer até porque eu não li a sinopse; Cada página foi uma surpresa maior do que a outra e eu sentia meu coração batendo forte cada vez que algo importante acontecia com Laranjinha (adoro esse apelido rs).

Ela, com certeza, é uma das minhas personagens favoritas da vida inteira e é muito mais fácil explicar meu amor por ela agora que a história está fechada. Lara Jean é uma adolescente tipica mas com suas diferenças. Eu a acho mais real do que outras personagens de livros YA. Seu modo de pensar, mesmo sendo uma menina sonhadora (principalmente no primeiro livro) ela ainda consegue ser muito pé no chão. Com ela não tem ilusão, entende? Aquilo é aquilo e pronto, sem maiores dramas (nesse caso eu falo das coisas da vida e não apenas do romance, que ai já é outro ponto que eu explico logo mais). Depois de tudo que houve com seu relacionamento familiar em Para Todos os Garotos ela se mostra muito mais madura e esse aspecto nós vemos principalmente no fato de que ela não é mais aquela menina que chora por tudo. No que diz respeito ao amor, bom, é um pouco mais difícil ser tão madura já que é a primeira vez que ela tem um relacionamento de verdade e tudo é tão novo. Achei que Lara Jean pecou bastante nesse aspecto, sendo um pouco ciumenta, paranoica e algumas vezes mesquinha. Não fiquei com raiva dela por causa disso, e sinceramente acho até que me identifiquei com alguns aspectos relembrando um pouco da Silviane de 16 anos e etc. rs

Peter continua aquela coisa que eu adoro. HAHAAH Ele tem aquele jeito só dele, todo engraçado e uma forma não séria de levar a vida, mas que sabe (pelo menos até certo ponto) as consequências de seus atos. Não vou puxar o saco dele dizendo que eu fiquei feliz com ele o tempo todo no livro, pois eu o odiei por alguns momentos mas não teria como ser de outra forma. De qualquer maneira mesmo com esses momentos não tem como negar que ele é um garoto muito fofo com seu jeito estranho de demonstrar sentimento, já que tudo é tão novo para ele quanto para Lara (sim, ele tem mais experiencia em relacionamentos, mas o novo no caso ganha um outro significado que fica claro no final do livro). 
Gosto tanto de você que não sei o que fazer a respeito. Meu coração bate muito rápido quando sei que vou ver você de novo. E aí, quando você me olha, eu me sinto a garota mais sortuda do mundo.

O livro nos trás um quarto elemento para esse romance (afinal, nunca podemos esquecer de Genevieve): John. Ele é um dos garotos que Lara Jean escreveu uma carta (inclusive, caso você não se lembre, ele aparece rapidamente no primeiro volume). Não vou me estender falando sobre ele para não acabar falando o que não devo, mas de modo geral eu devo dizer que John é muito ♥. rs Sim, gostei dele tanto quanto gosto de Peter. Um é o oposto do outro e claro que essa acaba sendo a graça, seja de suas interações ou dos momentos em que ele aparece sem a presença de Peter. 

Sobre os personagens secundários eu devo admitir que Kitty está muito melhor neste volume. A menina ainda é o alivio cômico da história, mas seus momentos sérios acabam sendo importantes para as reflexões de Lara Jean. Fiquei com raiva dela em alguns momentos, mas ela é apenas uma criança e acaba agindo somente de acordo com sua vontade. Não cabe a ela ser responsável e algo do tipo. Stormy (uma senhora da casa de repouso onde Lara Jean é voluntária) da as melhores dicas para a menina e principalmente: Algumas lições sobre feminismo (mesmo que ela não se considere uma feminista). E bom, por falar em feminismo no inicio do livro existe um certo debate (bem curto, confesso) sobre um dos temas tratados pelo movimento. 

Foto: Silviane Casemiro | Estilhaçando Livros
Enfim, a resenha já está gigante, mas é que eu acho que poderia falar tanta coisa sobre o livro que ficaria horas conversando. Tudo que me agradou, tudo que me deu raiva e os detalhes mais fofos que me fizeram suspirar; Além daqueles momentos que eu fiquei bem triste e praticamente chorei. Sim, quase chorei da metade do livro para frente inteiro. Tudo que acontecia me deixava apreensiva e olha... realmente sofri tanto que eu lia dois parágrafos e parava, e então voltava a ler. 

Para Todos os Garotos que já Amei e Ps.: Ainda Amo Você são dois livros YA que fogem um pouco de comum e nos mostra uma realidade diferente do romance adolescente. A ilusão do primeiro amor que na verdade não é bem uma ilusão, sabe? A forma como a autora retratou esse romance entre jovens foi tão real que, tirando a loucura das cartas, poderia acontecer com qualquer adolescente. Provavelmente já aconteceu com você, e caso você seja uma garota muito nova então provavelmente irá acontecer algo semelhante. A realidade dos fatos, dos sentimentos e principalmente das atitudes deixa essa história sendo algo tão lindo que, para mim, é impossível não amar a dualogia. Com certeza ambos os livros estão nos meus favoritos da vida inteira e eu vou acabar relendo outras vezes, além de indicar para todo mundo que pedir um YA.

LEIA MAIS SOBRE PARA TODOS OS GAROTOS QUE JÁ AMEI

Sorteio: Amamos Nacionais

18/01/2016


O ganhador desta promoção irá se emocionar com a fuga de cinco jovens na tentativa de salvarem suas vidas (FUGITIVOS), compreender como funciona a cabeça dos homens (VERME! / ROYAL 47), lutar contra a dominação das máquinas (CONDÃO), torcer pelo amor de um triângulo amoroso (CORAÇÃO SEM FIM), rir com as brigas de um casal apaixonante (RETRATOS DE UMA VIDA), tentar descobrir o responsável por uma série de assassinatos (JOIA RARA), viajar entre o presente e o passado nos  delírios de um jovem (O COLECIONAR DE BORBOLETAS), se aventurar entre criaturas fantásticas e deuses poderosos (A PROFECIA DE SAMSARA), ajudar um delegado beberrão e mulherengo a solucionar um complicado crime (MORTE NA FLIP) e se assustar com as mortes em um vilarejo afastado (O VILAREJO).

Uma lista sobre o tempo

Oláaa, galera. Tudo bem?
Eu vi esse post super fofo no blog da Nati Rabelo, o Planet Pink, e simplesmente adorei. Acho super legal relembrar coisas do passado (até as ruinzinhas) pois nos faz refletir o quanto mudamos e amadurecemos. Bom, eu estou escrevendo esse post no dia 23 de Dezembro, então ainda considero a data como 2015 mesmo que ele entre somente em 2016; Eeenfim, sem muito o que falar vou direto ao que interessa. 

Há 10 anos atrás

- Eu conhecia aquela que se tornaria a minha banda preferida (Slipknot )
- Ganhava meu primeiro computador e começava a acessar esse mundo legal chamado internet
- Fiz amizade com uma galera de uma comunidade no Orkut (do Slipknot) que duram até hoje (as amizades, mas o Orkut que é bom já morreu #rip)
- Eu adotava minha cachorra fofa e linda chamada Meg, que veio doente e depois que se curou da doença fez o favor de quebrar a pata D: 

Há 5 anos atrás
- Entrei para o cursinho pré-vestibular 
- Fui ao meu primeiro show em toda a vida (um festival chamado SWU que aconteceu em Itu). Vi uma das bandas que amo até hoje: Avenged Sevenfold
- Eu era bem porra louca

Há 2 anos atrás
- Morava em São Paulo
- Estava em um emprego legal, mas que acabei saindo dele por ser bem burra rs
- Mudei de turma na faculdade e acabei conhecendo pessoas legais (eu fiz duas turmas diferentes e por isso acabei conhecendo todo mundo e ganhando mais amizades/conhecidos)
- Fui de novo em um show do Avenged Sevenfold e foi INCRÍVEL
- Rolava a exposição de formatura da minha turma que eu não fui, mesmo que uma obra minha estivesse por lá 

Há 1 ano atrás
- Comecei a colaborar com um blog literário (Cantar em Verso)
- Pintei meu cabelo de roxo, que virou azul e depois roxo e rosa, e platinado e roxo e azul e....
- Voltei para Botucatu, minha cidade natal
- Terminei um namoro de 4 anos com um cara que é meu amigo até hoje
- Conhecia várias blogueiras legais ♥

Há 6 meses atrás
- Fui no show de uma das minhas bandas favoritas do mundo (Bullet for my Valentine) e pela segunda vez tive a oportunidade de vê-los, abraça-los, ganhar autografo e foto ♥
- Vi uns amigos que conheço desde a época do Orkut e outros novos, justamente nesse show e foi incrível

Ontem
- Fiz vários nadas

Hoje
- É tipo 2:35 da manhã, então eu fiquei fazendo nada na internet e agora tô escrevendo esse post bonito
- Vou tentar começar ler um livro

Vou fazer no feriado de Natal (original era "no fim de semana", mas tive a ousadia de trocar)
- Vou passar com minha família em Piracicaba

TAG: Opiniões Impopulares

16/01/2016

Olá, leitores! Eu sei que provavelmente estarei me jogando aos lobos por expressar várias das opiniões que irei colocar nessa postagem, mas estou aqui hoje para responder a TAG Unpopular Book Opinions ou Opiniões Impopulares que eu vi no canal PolandBananasBOOKS. Eu não tenho conhecimento sobre o criador dessa TAG, então quem souber por favor deixe nos comentários. Então, vamos lá!


1 - Um livro ou uma série popular que você não gosta.


Sussuro é o primeiro livro da série Hush Hush e ele foi publicado já há alguns anos, porém eu só me disponibilizei para ler no ano passado. Se eu tivesse lido esse livro quando ainda era adolescente provavelmente teria gostado da estória, afinal a cada página a leitura me fazia lembrar Crepúsculo (livro que eu amei ler na minha adolescência). Porém eu não gostei de Sussurro; achei  a estória previsível, os personagens vazios e o romance sem sentido. Eu sei que existe muita gente que gosta dessa série, mas eu nunca vou ser uma delas.







2 - Um livro ou uma série popular que todos parecem odiar, mas você ama.

Eu primeiramente considerei colocar Crepúsculo nessa lista, mas ele é um livro que muitas pessoas gostam também, então me decidir por A Moreninha. Literatura brasileira geralmente é ignorado ou mesmo odiado pelo público mais jovem, afinal no período da escola nós somos praticamente obrigados a lê-los. Eu entendo que como a linguagem é antiga, dificilmente os mais jovens conseguem  relacionar com o enredo.
Aos 15 anos eu fui introduzida ao mundo literário e A Moreninha foi um dos primeiros livros que li naquela época. Quase sempre vejo alguém dizer que odeia esse livro, mas eu simplesmente o adoro. Tenho um apego muito especial por ele.









3 - Um triângulo amoroso em que o(a) protagonista terminou com a pessoa errada.


Alerta de Spolers

Para muitas pessoas o final da série Fallen pode ter sido satisfatória, mas para mim foi bem agridoce. Eu não fiquei totalmente decepcionada pela personagem Lucy ter terminado ao lado do amor de sua vida Daniel, já que a estória estava caminhado para isso. Porém eu já estava de saco cheio desse casal meloso, grudento e dramático. Melhor que ela tivesse terminado com o Cam, que parecia ser muito mais pé no chão e alias melhor para ela.









4 - Um gênero literário popular que você raramente ler.




Livros YA ou jovem adulto é provavelmente o gênero literário que eu menos procuro ultimamente, não significa que eu odeie esse gênero só que eu não consigo mais me relacionar tão bem com personagens adolescentes.
Para simplificar isso eu coloquei uma imagem do livro A Culpa é das Estrelas - eu gosto desse livro, mas diferente das outras pessoas eu não morro de amores por ele. 










5 - Um personagem popular ou amado pela maioria que você não gosta.


Apesar de várias pessoas expressarem a sua preferencia quanto ao personagem Aspen, eu o odeio! Ele faz uma besteira com a protagonista America bem no começo do livro A Seleção que para mim só foi o começo de uma grande antipatia que foi somente se desenvolvendo livro após livro. Ele é arrogante e suas atitudes quase sempre egoístas, nunca considerando colocar em perigo a mulher que ele supostamente ama.
Team Maxon!











 6 - Um autor popular com o qual você não consegue se entender.


Eu nunca li mais de três livros da autora Meg Cabot, mas eu acho que já a conheço suficientemente bem para saber que seus livros e eu não fomos feitos um para o outro. Ela é uma autora bastante popular, mas eu não consigo gostar das suas protagonistas, nem mesmo torcer por elas, o que é um problema. Os romances são cheios de clichês irritantes e os personagens não tem muito carisma. O mais perto que eu cheguei de gostar dela foi com A Mediadora, mas acho difícil eu continuar com a série.











7 - Um enredo popular que você está cansado de ver.

Os enredos que mais estão me cansando ultimamente são aqueles que se assemelham com o livro Cinquenta Tons de Cinza. E, meu Deus! Esses livros só se multiplicam.
Eu não tenho nada quanto ao gênero erótico, eu até gosto, mas as pessoas tem que parar de copiar a estória desse livro. Sempre que leio uma sinopse que fala sobre "uma protagonista inocente que é seduzida por um homem sexy e bem sucedido", eu somente passo os olhos e vou procurar outro livro.  











8 - Uma série popular que você não tem interesse em ler.



Desde que eu vi várias e várias críticas negativas sobre esse livro, dificilmente eu vou começar a ler. O enredo não me atraiu e ele me parece bastante perturbador.
















9 - O ditado diz “O livro é sempre melhor do que o filme”, mas qual adaptação para filme você gosta mais que o livro?


Esse provavelmente vai ser um dos livros que as pessoas vão dizer: "O que? Por que você não gosta desse livro?". Eu achei o livro O Lado Bom da Vida muito chato, o protagonista Pat não me cativou, o romance é bem mais ou menos. Entretanto o filme foi bastante divertido e eu me apaixonei pelos personagens, acredito que boa parte disso tenha sido pela atuação dos atores do filme.  












Espero que tenham gostado da TAG! Até a próxima :D


Resenha: Métrica

15/01/2016

Métrica de Colleen Hoover

Na trama somos apresentadas a Lake e Will e no começo fiquei incomodada como logo aconteceu à conexão entre eles, e eu confesso que demorei até o segundo livro para me convencer de verdade desse amor (inclusive em Pausa esse amor é questionado pela própria personagem, mas enfim... Assunto para outra resenha). É claro que eu não posso em hipótese alguma negar que eles são uns lindos juntos e eu quero pegar eles no colo e ama-los.

Lake é uma garota que passou por uma grande perda e por consequências da vida teve que se mudar com sua mãe e seu irmão mais novo. Tão logo que eles chegaram à nova cidade seu irmão fez amizade com um garotinho simpático que mora na casa da frente. Ele é o irmão mais novo de Will e puf, o amor acontece. Will é um rapaz simpático, engraçado, inteligente e romântico. Como se bastasse todas as suas qualidades ele é um amante de poesia e logo nas primeiras páginas somos apresentadas a Poesia Slam, que fica presente durante toda a narrativa e deixa a história mais interessante. Os momentos onde as poesias slam estão presentes ou são extremamente lindas/dramáticas ou engraçadas. Eu acho que a autora poderia ter usado mais slam durante o livro, pois realmente é um diferencial.

Em um livro como Métrica é difícil ficar se prendendo apenas nos personagens principais, pois eu acredito que ele vai além do amor entre uma garota e um garoto. Ele nos mostra (e muito) o amor entre família, assim como a sua importância e o seu valor. Não vou ficar falando o motivo disso no livro, pois só lendo para entender; E isso realmente me tocou de uma forma como nenhum outro livro já tenha tocado. O que eu mais gostei nesta obra foi que o romance e os dramas que envolvem a história, apesar de clichê, não é nenhum pouco chato. Apesar de Will ser o primeiro amor verdadeiro de Lake ela não faz um drama exagerado em cima disso, apesar de ela ainda ser nova é responsável e tem os pés no chão. Um exemplo de que para ser protagonista não precisa ser chata/sem graça; Assim como o Will é um exemplo de que para ser o amor da vida da protagonista ele não precisa ter pinta de badboy, ser maromba, esquentadinho e tatuado.

(...) será que as cinco fases do luto só se aplicam à morte de um ente querido? Será que elas também não se aplicam à morte de algum aspecto de sua vida? Nesse caso, estou bem no meio da fase dois: a raiva.

Ele a trata com respeito o tempo inteiro? Essa é a primeira pergunta. A segunda é: se, daqui a vinte anos, ele fosse exatamente a mesma pessoa que é hoje, você ainda assim se casaria com ele? E, finalmente, ele faz com que você queira ser uma pessoa melhor? Se conseguir responder “sim” às três em relação a uma pessoa, então encontrou um homem decente.

Tag: Oscar Literário (2015)

13/01/2016

Olá, olá, olá!

2015 acabou, eu sei, mas acabei não fazendo essa tag antes pois na ultima semana do ano é meio ruim ficar fazendo post e não receber visitas ou comentários. Então acabou ficando só para agora a tag Oscar Literário. 


Essa tag foi criada pela Camila do blog Vida Complicada Demais e eu adorei (principalmente porque o Oscar é uma caveira hahahah) então resolvi fazer por aqui. Essas são as regras da tag:

  • Ninguém vive apenas de lançamentos, portanto clássicos e livros mais antigos poderão entrar nessa votação. A ordem é o que foi lido NO ANO em questão
  • Lidos em 2014 
  • Uma obra pode ser indicada mais de uma vez e podem ganhar mais de uma também
  • Apenas 3 livros deverão ser indicados por categoria e, sempre que possível, deve-se incluir o link das resenhas feita pelo blog
  • As escolhas são pessoais e cada premiação deverá ter sua justificativa. Que fique bem claro que isso é o que o blogueir@ acha e não uma verdade universal
  • Livros independentes concorrerão ao lado dos publicados por editoras. Basta ser bom para ser indicado
  • Obras finalizadas até o dia 31 de dezembro poderão ser indicadas. Isso poderá ser conferido com o site do SKOOB se possível
  • O post com as indicações e premiados deve ir ao ar nos primeiros dias do ano seguinte
  • Os blogs que aceitarem, devem usar o molde das indicações (imagem com espaço para as indicações e para o vencedor) para seu post
  • Deve também o Blog Vida Complicada como criadora da TAG
  • Se você, que não foi indicado e quiser participar, fiquei à vontade, mas (por favoooor), siga as regrinhas acima

Resenha: Champion

11/01/2016

Não triste quando após dias lendo uma trilogia você finalmente termina a leitura? Sim, com certeza. Mas ao final desta trilogia eu me senti um pouco... aliviada. Talvez até mais do que um pouco. Apesar de todas as minhas criticas a trilogia eu dei o ♥ para todos os livros. De fato eles se tornaram um dos meus favoritos da vida, não apenas por ser uma das distopias mais legais que já li mas também pelo quanto ele me conquistou e toda a experiencia que eu tive ao ler. Sempre que tiver que indicar para alguém uma trilogia distópica com certeza Legend estará nas minhas indicações, mas sempre irei pontuar tudo que me incomodou nos livros. Algumas coisas mudaram outras permaneceram, portanto vou ignorar algumas coisas para não ficar uma resenha tão repetitiva.

Foto: Silviane Casemiro | Estilhaçando Livros
Aqui a autora criou uma nova perspectiva dos fatos que podem ou não fazer os leitores mudar de opinião em relação a um personagem ou a causa politica deles ou do livro de um modo geral. June passou a se culpar muito mais pelo que aconteceu com a família de Day, este por sua vez passou a olhar para a garota com um pouco mais de rancor. Isso não é algo que fica extremamente evidente no livro, mas os leitores vão perceber nos pequenos detalhes das atitudes deles. Neste volume a autora optou por evidenciar muito mais o romance entre o casal que está bem conturbado no meio de toda a guerra. A guerra é um dos pilares deste terceiro livro, mas foi algo que me incomodou em alguns aspectos. Gostei da forma como ela se desenvolveu e como Day foi jogado para lá e para cá no meio de tudo, já que ele é o garoto propaganda da República e sendo assim muito mais influente do que o próprio Eleitor, mas por outro lado isso foi criando uma proporção muito grande da guerra para no final acabar beeeem morna. Eu imaginei que seria muito mais sangrenta, definitiva e com mais baixas, mas acabei criando uma grande expectativa que infelizmente não foi atendida. Como eu citei anteriormente o romance acabou sendo muito mais exaltado do que a própria guerra. Eu vi a trilogia Legend como uma distopia que trata muito mais do lado politico da coisa do que o romance, então não compreendi muito bem a escolha da autora em terminar com essa pegada de amor, sabe?

Gostei bastante da forma como a autora colocou neste livro as Colonias e a República. Eu já tinha um pouco disso com os livros anteriores, mas aqui ficou muito mais forte: Não existe o lado do bem ou o lado do mal. Assim como a República as Colonias também tem seu jeito totalitário de governar mas a diferença é que eles não mostram isso para o publico ou até mesmo para seu próprio povo. Chega num ponto que eu ficava torcendo para um acordo de paz ou que alguma outra nação tomasse posse para tentar resolver a coisa toda. Claro que essa não seria a melhor solução, mas parecia ser até o caminho mais fácil. 
­̶ Às vezes o sol se põe mais cedo. Os dias não duram para sempre, não é? Mas vou lutar com todas as forças, eu te garanto.

Anden, o Eleitor, tem bastante destaque também neste livro e podemos conhecer um pouco mais sobre o seu modo de governar. Acho que ele tem uns traços bem semelhantes ao seu pai mas vi isso como algo que ele odeia em si mesmo e sempre trava uma luta interna para se controlar. Thomas tem umas duas aparições nesse livro e uma delas é capaz de fazer o leitor odia-lo mais ou sentir pena. Como vocês sabem desde o primeiro livro eu gostei bastante dele e por isso eu acabei sentindo pena dele, não pelo que acontece mas somente pela pessoa que ele é (mesmo que ainda tenha aquele sentimento de admiração). O arco dos outros personagens se mantem estável ate final do livro, até o momento em que todos tem seu fim digno. Acho que quanto a isso não houve muitas surpresas. 

O final do livro não agradou tanto quanto eu gostaria como deu para notar em comentários anteriores, mas debater sobre isso no post de resenha não é viável por conta dos spoilers. Mas ficaria muito feliz em conversar com alguém que já leu no privado e ter outros pontos de vista. Às vezes eu que sou chata demais, vai saber. Mas na minha opinião a autora pegou o caminho mais fácil para finalizar a coisa toda e por isso que ele ficou sendo um final bem morno, sem muitas surpresas e até um pouco decepcionante. Entretanto é uma ótima trilogia que vale a pena ser lida, principalmente para os fãs de distopia e literatura young adult.

+ Quotes
Poder absoluto é poder absoluto; não importa o nome que ele tenha.
Invejo sua capacidade de tomar decisões com o coração. Todas as escolhas que ele faz são sinceras, e o povo o ama por isso. Ele pode se dar ao luxo de usar o coração.
É esse o futuro da República? De repente me sinto nauseada, porque não posso afirmar se o povo ficaria em melhor situação na República ou nas Colônias.
Toda conquista é acompanhada de um sacrifício.  

Filme: Star Wars - O Despertar da Força

09/01/2016

Escrevo essa crítica como uma completa leiga da franquia Star Wars - quase completamente, já que me disponibilizei a assistir o filme Star Wars Episódio IV: Uma Nova Esperança, dias antes de ir ao cinema. Fui ao cinema dia 19 de dezembro para conferir Star Wars - O Despertar da Força e confesso que fui surpreendida por um filme de completo entretenimento, com cenas engraçadas, personagens carismáticos e um enredo extremamente atraente.


Hoje compreendo a paixão que tantas pessoas tem por Star Wars e me sinto feliz por me somar a esse público. Star Wars: O Despertar da Força é muito mais do que um tributo a uma das maiores franquias do cinema, é a renovação de uma formula que continua a arrastar milhões de pessoas aos cinemas.

Assim como os filmes anteriores, em Star Wars: O Despertar da Força vemos mais uma vez a galáxia ser ameaçada por um vilão enigmático, com objetivos ainda obscuros; uma heroína órfã com carisma e habilidades impressionantes; além de vários outros personagens memoráveis que exitem para divertir e emocionar o público.

Apesar de Star Wars não ser uma franquia destinada para mim, fui apanhada por um sentimento de nostalgia que é impossível de descrever com palavras. Pode ter sido a famosa trilha sonora John Williams, ou as frases de efeito que de tanto ouvir citarem, ou simplesmente por está ao lado de tantas pessoas apaixonadas por esse universo; eu sinceramente não sei explicar! Star Wars: O Despertar da Força é impressionante desde sua apresentação ao desenvolvimento de enredo e personagens.




A protagonista Rey é o fruto de uma geração que não aceita mais mulheres em papeis irrelevantes e submissos, o que me agradou completamente nesse filme. Ela é independente e forte, que nunca é colocada em uma posição de "princesa em perigo", encontrando sozinha os meios para se salvar. Assim como Rey, personagens como Finn, BB-8 e Poe surpreendem pelas personalidades icônicas, que dificilmente vão deixar de arrancar do telespectador um sorriso durante o filme.

Finn tem os olhos e as ações de uma criança que se surpreende a cada minuto com o mundo a sua volta; seu passado como stormtrooper ainda é bastante nebuloso, mas trazem revelações adicionais sobre o universo de Star Wars. 

BB-8 não é o novo R2D2, na verdade esse pequeno dróide é provavelmente o personagem que possui a personalidade mais marcante do filme  Star Wars: O Despertar da Força. Se você não sair do cinema amando BB-8, eu nunca vou te entender.

A minha única infelicidade quanto ao personagem Poe foi ele não ter aparecido mais vezes no filme, ele tem um carisma tão natural que um dos meus primeiros pensamentos sobre ele foi de achar sua personalidade parecida com a do Han Solo - um dos meus personagens favoritos de Star Wars.
Apesar de algumas pessoas terem expressado a sua decepção quanto ao vilão Kyle Ren, eu simplesmente adorei esse personagem - ele é jovem, com um temperamento forte e descontrolado, sua instabilidade emocional me intrigou a ponto de me sentir ansiosa para descobrir mais sobre ele nas continuações. É claro que ainda falta muito para que ele chegue aos pés do poderoso Darth Vader, mas a passos curtos eu acredito que ele vai surpreender muitas pessoas nos próximos filmes.



Sobre o antigo elenco de Star Wars não tenho muito o que falar. Como já disse não conheço todos os filmes da franquia, então meu julgamento vai ser baseada apenas pelo que sei. Han Solo continuou tão charmoso e carismático quanto antes e a atuação de Harrison Ford trás mais sensibilidade aos olhos desse personagem, retratando os vários anos que se passaram desde o encerramento da trilogia original. A dinâmica entre Han Solo e Chewbacca continua incrível, são personagens que realmente se completam quando se trata de divertir o público.

Carrie Fisher trás mais uma vez a princesa Leia para a vida, porém a sua atuação é inconsistente; eu percebi o quanto a atriz tentou trazer mais profundidade e emoção para a personagem, mas não funcional para mim. Talvez tenha sido a única personagem que eu não tenha gostado em Star Wars: O Despertar da Força.

C3PO e R2D2 também voltam em Star Wars: O Despertar da Força - as cenas em que eles estão presentes são pontuais; e o único objetivo delas é fazer a ligação entre esse e os antigos filmes da franquia. Mesmo que pouco, a presença deles trás cenas engraçadas e cheias de significado para os fãs.


A reciclagem da franquia Star Wars aos cinemas tem sucesso garantido. Ele não só agrada os mais antigos fãs de Star Wars, como também atrai uma nova geração de jovens para conhecer esse universo que nunca perde a simpatia do público. Estou animada para acompanhar o destino desses personagens que não conheço a tanto tempo, mas que já considero pacas.

Meta 2016: Ler Harry Potter

08/01/2016


Oláaaa!

Hoje vou apresentar para vocês mais um "desafio" ou meta, melhor dizendo, para 2016: ler e resenhar (acho que seria mais comentar, já que o livro é tão passado e todo mundo conhece que não seria realmente uma resenha rs) Harry Potter.

Quem sempre recebe visita minha no blog em algum momento eu já soltei que nunca li a saga Harry Potter completa (li apenas A Pedra Filosofal há mais de dez anos) e com tantas referencias, amor, sentimentos e etc etc etc eu ando me sentindo obrigada a ler essa saga. Sem falar também que em 2013 eu comprei a saga completa na Black Friday no impulso e até hoje os livros estão no saquinho. Então além de finalmente ler a saga vou eliminar sete livros não lidos da minha estante.

Foto: Divulgação
Minha coleção é igual essa
Além de ler os livros vou aproveitar para rever os filmes, que aliás até hoje nunca vi o último e por mais que tenha váaaarios spoilers por aí sobre ele eu sempre acabei nem reparando muito nisso e confesso que não sei muito sobre o final. Juro! Então a leitura vai ser uma surpresa bacana. Apesar que eu não lembro quase nada dos filmes, pois eu só assisti na época que eles eram lançados em DVD (exceto dois que vi no cinema mas não lembro o nome, é um dos últimos mas não o último kkkk) e isso faz quantos anos?

Enfim, espero acabar gostando da saga tanto quanto a maioria dos leitores. Se não gostar tá tudo bem também (eu acho).

Beeeijos.

Lidos & Assistidos: Dezembro 2015

06/01/2016

Olá, galera! Hoje é dia de balanço por aqui e vou listar como foi Dezembro no que diz respeito as leituras e etc. Pensei em colocar as coisas que recebi, igual fiz no mês passado mas não tirei foto de nada (bom, talvez eu tire mas enfim...). Vamos lá!

Desafio 2016: Relendo e Resenhando

04/01/2016



Sempre que chega final do ano todo mundo começa a participar de desafios, projetos, etc e nos primeiros três meses tá tipo "UHUL VAMOS LÁ" e quando chega no final e analisa vê que a coisa foi um fracasso total. Eu mesma tentei participar de dois desafios que acabaram indo por água abaixo. Mas tudo bem, 2016 está chegando e com ele novos desafios e eu vou tentar - mais uma vez - participar.

O desafio Relendo e Resenhando eu vi no blog Re.View do querido Alisson e achei a ideia espetacular. Eu sempre digo que nunca fui uma leitora compulsiva desde novinha, mas na minha adolescência eu li alguns livros que acabei gostando bastante e sempre tive vontade de reler. O desafio não vai ser tão difícil pois eu li poucos livros. 

Acho que o maior desafio mesmo será encontrar alguns deles que eu nunca achei para comprar nas lojas (geralmente pegava livros na biblioteca da escola ou da cidade). Vou ter que ir no sebo ou procurar no Estante Virtual mesmo. Caso alguém ai tenha o livro e ele esteja completamente parado na estante, ou você achou chato e queira vender, doar... Eu aceito. Ou até empréstimo, assim já rola um pseudo-booktour. :P Brincadeirinha. Mas se souberem de algum lugar que vende pode me avisar que vou ficar super feliz.  

REGRA
As regras do desafio consiste em reler os livros que não possuem resenha no blog, e postar uma foto da releitura (ao iniciar, ao finalizar, na metade da leitura vocês quem decidem) no Instagram contendo a hashtag #RelendoeResenhando2016. A ordem de leitura fica por conta de cada leitor, pode ser uma releitura por mês, um mês apenas de releituras, uma releitura a cada três meses, vocês é quem decidem!!
 Então confira os livros que coloquei na listinha! Espero que gostem.


O Simulador de Sonhos :: Antônio Carlos Olivieri

Um dos primeiros livros que li na vida é um nacional e sim! eu amei. Lembro que quando li esse livro achei tudo estranho e confuso mas que no final acabei gostando dele. Para ser bem sincera eu não lembro de nada dele e agora é a hora. Espero continuar gostando, né?!
Sinopse: Levando a realidade virtual a limites jamais imaginados, o simulador de sonhos é uma invenção que deveria contribuir para o tratamento de doenças mentais. Mas Luciano Luchetti, um estudante de engenharia que só queria sonhar com meninas bonitas, descobre que o aparelho interessa a um poderoso esquema internacional de criminalização da informática - e de informação do crime. Com ajuda de Stefania, uma garota que talvez só exista em sonhos, Luciano terá de achar um meio de distinguir entre os fatos e a fantasia, única forma de desfazer o pesadelo que se envolveu. Mas Luciano Luchetti, um estudante de engenharia que só queria sonhar com meninas bonitas, descobre que o aparelho interessa a um poderoso esquema internacional de criminalização da informática - e de informatização do crime. Com a ajuda de Stefania, uma garota que talvez só exista em sonhos, Luciano terá que achar um meio de distinguir entre os fatos e a fantasia, única forma de desfazer o pesadelo em que se envolveu.

Feliz Ano Velho :: Marcelo Rubens Paiva

Este foi um daqueles livros que eu peguei por indicação de amiga e estava odiando tudo mas no final acabei amando tudo. Não sei muito bem o motivo, já que o pouco que me lembro dele é que a história é bem consistente sem muitas reviravoltas e tal. Coloquei na lista pois até quero ler outros livros do Marcelo mas acho que não posso sem antes reler este. 
Sinopse: A partir do acidente que sofreu ao dar um mergulho e bater a cabeça, Marcelo vê sua vida mudar radicalmente. Seus dias no hospital, as visitas que recebeu, as histórias que viveu são relatadas sob uma nova perspectiva: a de um jovem que sempre fez tudo o que podia e queria, e que, agora, sentado em uma cadeira de rodas, vê-se impotente diante dos acontecimentos, dependendo da ajuda de amigos e familiares para reaprender a viver.

Transgressão :: Pat Barker

Este foi o primeiro livro que eu li e me apaixonei pelo personagem e até hoje não esqueço seu lindo nome (Danny Miller). Mas vai la me perguntar do que se trata o livro e eu não vou saber de nada. Então o jeito é reler (e quem sabe me reapaixonar pelo Danny).
Sinopse: Este livro que mostra as batalhas travadas entre a razão e a emoção e o quanto ambas podem nos enganar. Abrange questões morais de intenso valor: a infância e inocência, que geralmente são consideradas em conjunto, mas nem sempre são complementares e a tênue fronteira entre o bem e o mal, que nem sempre é percebida e compreendida.


Marley & Eu :: John Grogan

Eu acho que nem preciso falar nada, né? Esse livro é lindo demais e minha cópia já passou nas mãos de todos os meus familiares pois todos somos amantes de cachorros e apesar de ser uma história com um final triste eu ri muito durante o resto do livro.
Sinopse: John e Jenny eram jovens, apaixonados e estavam começando a sua vida juntos, sem grandes preocupações, até ao momento em que levaram para casa Marley, "um bola de pêlo amarelo em forma de cachorro", que, rapidamente, se transformou num labrador enorme e encorpado de 43 quilos.
Era um cão como não havia outro nas redondezas: arrombava portas, esgadanhava paredes, babava nas visitas, comia roupa do varal alheio e abocanhava tudo a que pudesse. De nada lhe valeram os tranqüilizantes receitados pelo veterinário, nem a "escola de boas maneiras", de onde, aliás, foi expulso. Mas, acima de tudo, Marley tinha um coração puro e a sua lealdade era incondicional. Imperdível.

O Enigma do Quatro
:: Ian Caldwell & Dustin Thomason

Este foi um livro que me marcou bastante pela quantidade de frases que eu lia e ficava parada olhando para o nada absorvendo. Acho que se nessa época eu tivesse post-it (e o livro fosse meu, claro) com certeza eu teria feito várias marcações. Acho que coloquei umas duas ou três passagens dele no meu Tumblr e até hoje não tive coragem de apagar.
Sinopse: O Hypnerotomachia Poliphili é um dos livros mais preciosos e menos compreendidos dos primórdios da imprensa ocidental. Dele sobraram menos cópias do que da Bíblia de Gutenberg. Os estudiosos continuam a discutir a identidade e o intento do misterioso autor do hypnerotomachia, Francesco Colonna. Somente em dezembro de 1999, quinhentos anos depois da impressão do texto original, e meses depois dos eventos descritos em O Enigma do Quatro, apareceu a primeira tradução completa em inglês do Hypnerotomachia.

Coraline
:: Neil Gaiman

Acho que não tenho muitas palavras para descrever minha experiencia na época com esse livro. Achei ele bem macabro e acho que falei mal dele para todas as minhas amigas (haeuioheuheuie) mas depois de anos quando vi o filme acabei gostando e desde então pretendo reler.
Sinopse: Coraline acaba de se mudar para um apartamento num prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome do jeito certo, mas encorajam sua curiosidade e seu instinto de exploração. Em uma tarde chuvosa, a menina consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento ‘vazio’ no quarto andar do prédio. Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários.

Bom, esses são os livros que escolhi. A lista não está tão grande assim, então dependendo de como as coisas rolarem é bem capaz de eu burlar a regra e ler até mais de um por mês. Como eu disse o maior problema é que eu não tenho eles em casa e alguns são bem difíceis de achar. Mas vamos lá com ~força, foco e fé~. 


Promoção: Ano Novo, livros novos


Nada como começar o ano com livros novos para ler. Ou então, renovar aquela coleção que você ama, mas que já está velhinha, prontinha para ir para uma outra estante, e, no lugar, colocar uma acabada de ser lançada! ;) Assim, o GETTUB convidou 20 blogs amigos para criar este sorteio para vocês!

Feliz 2016 + Apresentação + Pesquisa

01/01/2016

Oláaa, pessoal. Tudo bem com você? Antes de tudo: Feliz Ano Novo! e vários blá, blá, blá que todo mundo diz nesse dia e vocês já estão cansados de ouvir/ler. Mas desejo tudo de bom para todos vocês.

Em segundo lugar quero agradecer a todos os leitores do blog; Seja aqueles passam de vez em quando ou aqueles que todos os posts batem carteirinha com comentários e etc. Vocês que me dão aquela motivação para continuar. O blog tem apenas quatro meses e ele acabou superando todas as minhas expectativas. Ainda falta mais só que essas coisas vão melhorando aos poucos e para começar esse novo ano eu vou apresentar a vocês o(as) novo(as) colaborador(as) do blog.


Leandro Moura

Leandro é meu amigo de longa data. Desde 2013 ele tem um blog onde escreve poemas e além de escrever ele também gosta de fotografia. Inclusive no Instagram dele tem fotos muito boas ♥. Ai eu chamei ele para vir postar aqui na zuera, ele curtiu a ideia e agora ele vai colocar suas ideias por aqui também.

Ana Karolyne

A Ana é uma das colaboradoras do Cantar em Verso e gosta de falar de livros, filmes e séries. Eu estava procurando alguém para colaborar por aqui e ela ficou interessada, como já conheço o trabalho dela claro que aceitei na hora.

Confira os posts de Ana no Cantar em Verso [@]
Viviane L. Ribeiro

Convidei Viviane para colaborar com o blog pois pelas poucas vezes que conversei com ela vi que ela pode falar de muita coisa legal por aqui; Além de, claro, admirar o trabalho dela como autora (Viviane é autora dos livros Coração Artificial e Senhora de Dois Mundos).

Confira o blog da autora [@]




Também quero aproveitar e pedir para vocês responderem esse pequeno formulário! Eu juro que vai ser bem rapidinho e é para o bem do blog. rs Quero saber a opinião de vocês sobre o que tá dando certo e o que tá dando errado por aqui. Todas as respostas são anônimas, portanto pode ser sincero(a).


Enfim, por enquanto é isso! Espero um 2016 cheio de coisas legais por aqui e que as visitas e comentários continuem bombando.
Beeeiijos.