Slider

Resenhas

Listas

Maratona Oscar

TAGS

Postagens recentes

Resenha: Um conto de Natal

17/01/2022

Estou um pouco atrasada para livros natalinos, eu sei! Mas final do ano foi um pouco corrido por aqui e a leitura atrasou um pouco. Mas enfim trago a minha resenha de Um Conto de Natal, um clássico da literatura mundial e clássico natalino que até hoje serve como referencia para algumas outras histórias.

Scrooge é um velho ranzinza e mão de vaca, muito mal visto pela cidade e para completar odeia o Natal. Faz questão de deixar a véspera de todos infeliz, mas acaba recebendo 3 visitas inesperadas nessa noite que para ele é solitária: 3 fantasmas. Seu passado, seu presente e o seu futuro. Quais são as coisas que esses fantasmas tem para mostrar a um homem não insuportável?

Eu já assisti a animação muitas vezes e por isso que tinha vontade de ler o livro e não tive nenhum arrependimento. Primeiro fiquei bastante contente, pois o filme é muito fiel ao clássico (inclusive com alguns diálogos e frases) e segundo é tão bom ler uma história como essa, que pode nos trazer várias reflexões diferentes.

Muitas vezes não conhecemos uma pessoa e por isso não entendemos o seu mal humor, ou qualquer traço de personalidade negativo e por tantas vezes o seu passado pode ter alguma grande influencia nisso. Um gatilho que nunca mais é desativado e faz com que alguém seja assim. Aqui iniciamos o livro odiando o personagem, mas seu fantasma do passado nos mostra que sua história é longa, que sua solidão vem desde a infância e suas perdas fizeram ele pegar ranço do Natal.

Ao visualizar o presente é importante ver como que as pessoas reagem a esse comportamento tão negativo. Será que as pessoas o odeiam? Sentem pena? Acham que ele poderia viver de forma mais feliz e rodeado de amigos? E no seu presente como pode mudar o seu comportamento?

Quando eu era criança via essa história somente como uma lição para mudança de atitude, mas ela reflete muito sobre o que é o espírito natalino de verdade e que esse espirito deve prevalecer durante o ano inteiro. O exemplo disso é Bob Cratchit  e sua família. O funcionário de Scrooge é tem uma família grande que mal consegue sustentar o salário que o velho paga a ele e ainda assim faz questão de comemorar o Natal com sua família aproveitando cada momento alegremente. Da mesma forma durante o ano ele vive feliz mesmo diante das dificuldades. Não romantizando a miséria, mas a característica do seu humano em sempre buscar o melhor das piores situações enquanto outras que tem tudo tem a pior personalidade.

A história possui momentos cômicos, mas que não ofuscam o drama que busca mostrar durante a trama. Como já diz no próprio título é um conto, tem cerca de 100 páginas, dependendo da edição que você ler e é de indicação livre. Já pensando antecipadamente para o próximo Natal é um ótimo presente.

📚

Título: Um Conto de Natal (A Christmas Carol) • Autora: Charles Dickens
Editora: Principis
Compre o livro aqui
Faça suas compras na Amazon

TAG: A Família Madrigal (Encanto)

14/01/2022

 

Família Madrigal de Encanto
Olá, leitoras.

Depois que assisti Encanto fiquei apaixonada pela trilha sonora da animação e escuto o dia inteiro. Fala sério, como não ficar cantarolando "We don't talk about Bruno" para tudo? Nesse clima me deu vontade de criar uma TAG literária relacionando os personagens da Família Madrigal com alguns personagens.

Se você gostar da TAG fique livre para fazer em seu blog ou Instagram e me marque, vou adorar ver as respostas.

Mirabel

A protagonista do filme é Mirabel Madrigal, que além de sua avó é a única da família que não possui um dom. É constantemente vista de forma negativa por alguns membros de sua família. Qual a(o) personagem parecia insignificante e ganha um propósito ao longo da história?

Mirabel Madrigal
Mais uma vez eu aqui falando de algum personagem de "Uma Chama entre as Cinzas", né? Pode entrar, dona Helene Aquilla. Parecia que ia ser uma antagonista e se tornou tudo aquilo que eu mais amei. Infelizmente pouco valorizada, mas uma personagem incrível.

Camilo

Ele é o primo mais engraçado da família e adora deixar todos felizes. "My primo Camilo won't stop until he makes you smile today." Seu dom é poder ter a forma de qualquer pessoa que ele queira. Qual personagem está sempre disposto(a) em deixar todos ao seu redor alegre mesmo nos piores momentos?

Falou em personagem que quer animar todo mundo até quando as piores coisas acontecem eu só consigo lembrar do Kenji de "Estilhaça-Me". Ele sempre procura tirar o melhor das situações e deixar o clima mais leve, por isso combina bem com o jeitinho do Camilo.

Dolores

"Cousin Dolores can hear a pin drop". Dolores tem a audição super aguçada e pode ouvir coisas a milhares de distância. Qual a personagem mais fofoqueira que você conhece?

Dolores Madrigal
Conheço poucas personagens fofoqueiras, infelizmente. Mas logo me veio na cabeça a Miss Marple das histórias de Agatha Christie. Eu li apenas "Mistério no Caribe" com essa personagem, mas logo já fiquei com essa impressão.

Antônio

Ele é o mais jovem da família e o último a receber o dom (se comunica com os animais) e por ser o caçula é o mais fofinho e mais apegado com Maribel. Um(a) personagem criança que está sempre próximo(a) do(a) protagonista.

Antonio Madrigal
Sempre que falam de criança que seja próxima a protagonista eu lembro de Kitty, de "Para Todos os Garotos que Já Amei". Eu não adoro ela, mas seu papel é importante para toda a trama.

Isabela

É irmã de Mirabel e aquela que é vista como a perfeita. "She's a perfect golden child". Seu dom é criar flores das mais lindas. Qual a personagem mais "princesinha/patricinha" que você conhece?

Kiera Cass é a dona das personagens patricinhas, né? Lady Hollis de "A Prometida" infelizmente é uma dessas, toda princesinha e patricinha junto. Chega a irritar, igual a Isabela no começo do filme.

Luisa

O dom de Luisa é a super força, mas por dentro ela é um neném que está começando a ceder a pressão. Sua música Surface Pressure é muito significativa e fala justamente sobre isso. "Under the surface I'm prеtty sure I'm worthless if I can't be of sеrvice". Um(a) personagem que por fora é forte, mas por dentro está um turbilhão de emoções.

Luisa Madrigal
Abigail do livro "Os Tais Caquinhos" faz parte uma família disfuncional, com uma irmã vivendo em negação e um pai acumulador. Ela parece lidar bem com isso, mas conforme as páginas vão passando nós conseguimos conhece-la tão bem a ponto de entender que psicologicamente nada está bem.

E ai, gostaram da TAG? Como vocês podem ver fiz somente dos netos da Abuela, que são os meus personagens favoritos. <3

Você já assistiu Encanto? Me conta qual seu personagem favorito!

Desafio dos 100 filmes - 11

12/01/2022

 

Desafio dos 100 filmes
Olá, meninas. Ainda falta metade da lista do desafio dos 100 filmes e já quero iniciar 2022 dando continuidade nesse pequeno projeto. Bora lá?

51 - Um filme para assistir a dois


"Loucamente Apaixonados" talvez não seja exatamente o filme perfeito para assistir a dois, mas por contar a história de um romance com todas as suas camadas e nuances de forma realista ele acaba sendo um filme legal para assistir juntos (para quem já namora há alguns anos).

52 - Um filme cult


Particularmente não entendo muito bem a definição de culta e há tantas controvérsias por ai que, por enquanto, prefiro nem me aprofundar muito nisso. Então para facilitar a minha vida escolhi um cult bem conhecido e adorado pelo público: "Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças".

53 - Algum filme com mérito pouco reconhecido 


"A Vastidão da Noite" é um filme de ficção cientifica simples e muito bem feito. Tem tudo aquilo que amantes do gênero ama: referências. Ele é distribuído pela Amazon Prime Video, mas infelizmente o streaming nunca se deu ao trabalho de divulga-lo.

54 - Um filme cujo personagem principal é um animal 

Okja
"Okja" é um filme bem bacana da Netflix e apesar de ela não ser um animal real o propósito do filme diz que ela é um animal.

55 - Um filme de enredo simples

O meu queridinho do momento é "CODA - No Ritmo do Coração". Está disponível na Amazon e ele é simplesmente perfeito. Uma história tão simples e linda que você pode assistir sozinha e chorar muito ou assistir com as amigas e chorar mais ainda.

🎥

Notas sobre o luto, por Chimamanda Ngozi Adichie

11/01/2022


Chimamanda perdeu seu pai, James Nwoye Adichie, no dia 10 de Junho de 2020 e em um período como esse em que estamos vivendo o luto de um falecimento não está apenas na casa dessas famílias, mas em todos os lugares. Cada falecimento é sentido mesmo por aqueles que são de outras famílias e muitas vezes pessoas que nem se conhecem. Então um livro como este, que aborda o luto de uma maneira tão intima e dura, acaba sendo um pequeno refugio para quem procura saber lidar com ele sob a ótica de alguém que está passando por isso justamente enquanto as palavras estão sendo escritas.

Com o sofrimento da perda de seu pai, neste pequeno livro a autora celebra todas as boas lembranças de quem ele foi para ela e lida com o seu sofrimento ao perceber que nunca mais irá sorrir com ele, nunca mais irá vê-lo com sua filha, sua mãe e seus irmãos. Ao ler suas palavras podemos sentir o orgulho que ela sentia dele e de ser filha dele, de ter sido criada por esse homem com princípios que ela respeita e que era respeitado pela sua comunidade na Nigéria.

Particularmente eu adoro esses livros de não-ficção da autora, pois eu sinto que ela procura falar com as leitoras de uma forma íntima como se fossemos conhecidas que não se encontravam há alguns anos e agora estamos tomando um café enquanto ela desabafa sobre uma perda. Não tem como não se sentir triste ao ler e relembrar uma perda, mesmo as mais antigas. Aquela pessoa que nunca mais iremos poder ver o sorriso, ouvir a voz e até um xingamento que hoje nos faz rir. Nesta obra ela nos diz que tá tudo bem sentir raiva ao perder alguém e que sentir que o mundo não é justo por levar alguém tão especial não é errado. Aqui é permitido todos os sentimentos tristes e rancorosos que envolvem a morte.

"(...) o quanto o riso faz parte do luto. O riso está profundamente entranhado no linguajar da nossa família, e nós agora rimos ao lembrar do meu pai, mas em algum lugar por trás desse riso existe uma névoa de incredulidade."

📚 

Título: Notas sobre o luto (Notes on grief) • Autora: Chimamanda Ngozi Adichie
Editora: Companhia das Letras • Tradução: Fernanda Abreu
Compre o livro aqui
Faça suas compras na Amazon

3 autores para ler em 2022

07/01/2022


Todo inicio de ano há uma certeza neste blog: eu faço listas de leituras que serão cumpridas apenas pela metade. Claro que 2022 não será diferente e eu decidi fazer uma lista muito singela com apenas 3 autores que eu quero ler neste ano.

João Guimarães Rosa

Em 2021 eu recebi dois livros do autor em parceria com a Editora Global e acabei não lendo a tempo até o fim da parceria, mas fiquei muito feliz com o recebidinho já que há algum tempo eu estava esperando uma oportunidade de ler algo do autor.

Esse desejo aumentou bastante após uma visita remota ao museu com a turma da faculdade. Conhecer toda a história e importância do autor só me deixou curiosa para saber como ele "homenageou" o Brasil em suas histórias.

Livro escolhido: No Urubuquaquá, no Pinhém

Angie Thomas

Há um boooom tempo comprei dois livros da Angie Thomas e eles acabaram ficando parado na estante pois eu sempre procrastinava com outras leituras e consequentemente estou até hoje sem assistir a adaptação de "O ódio que você semeia", pois quero ler o livro primeiro. Está mais do que na hora de conhecer essa autora tão elogiada pelos leitores mais jovens.

Livro escolhido: O ódio que você semeia

Ian McEwan

Há alguns anos assisti a adaptação do livro Reparação e desde então tenho vontade de ler e durante esse tempo fui conhecendo outros livros do autor através de resenhas e sinopses. Por acaso recebi seu último lançamento no Brasil em parceria com a Companhia das Letras e claro que já coloquei na minha pseudo-TBR para este ano.

Livro escolhido: Cães negros

📚

Ainda tem muitos outros autores e autoras que eu quero conhecer esse ano, mas não vou ficar fazendo uma TBR gigante esse ano :P

Maratona Oscar: 1984 e 1985

05/01/2022


Olá, leitoras. Como passaram de virada?

Antes de mais nada quero saber: Gostaram do novo template do blog? Esse vai ser definitivo em 2021 e eu estou super apaixonada.

Mas agora vamos ao que interessa após meses enrolando para dar continuidade nesse desafio eis que eu volto na maratona (que não é bem uma maratona, né?) Oscar. Desta vez trago dois filmes que concorreram em 1984 e 1985. Escolhi assistir apenas alguns filmes, pois foram os que mais me interessaram.

1984

  1. Terms of Endearment (Laços de Ternura) 🏆
  2. The Dresser (O Fiel Camareiro)
  3. The Right Stuff (Os Eleitos)
  4. The Big Chill (O Reencontro)
  5. Tender Mercies (A Força do Carinho)

The Big Chill (O Reencontro)

O Reencontro conta a história de sete colegas de faculdade que se reencontram após anos para o velório de um amigo que se suicidou. Durante um final de semana eles ficam em uma casa colocando todas as conversas em dia, despejando suas frustrações com a carreira, relacionamentos, família e tudo mais.

Particularmente gosto dessa proposta do filme, ainda mais com personagens já adultos e maduros. É quase como se o Clube dos Cinco se encontrassem uns quinze anos depois daquele sábado, sabe? Ali naquele casa além de dividir a dor de perder um amigo eles acabam dividindo a dor da vida adulta, pois sabemos muito bem que ela não é fácil e muitas vezes da vontade de desistir.

O Reencontro concorreu em três categorias — melhor filme, melhor atriz coadjuvante (pela atuação de Glenn Close) e melhor roteiro original — mas não levou em nenhuma delas.

Terms of Endearment (Laços de Ternura) 

Laços de Ternura foi o grande premiado da noite com 11 indicações e levando o Oscar de melhor filme, melhor direção (James L. Brooks), melhor atriz (Shirley MacLaine), melhor ator coadjuvante (Jack Nicholson) e melhor roteiro adaptado.

O filme mostra o relacionamento de uma mãe viúva e super protetora e sua filha lidando com a vida de casada contra a aprovação de sua mãe. Se encaixa naquilo que hoje colocam como dramédia, mas eu vi muito mais o tom de drama do que comédia com o tom que o filme ao relacionamento das duas ao longo dos anos. Como só assisti dois filmes da categoria principal não posso fazer muitas comparações para opinar se achei merecido ou não, mas o filme mostra esse relacionamento de um jeito que fica fácil nos identificarmos com a filha ou com a mãe, além dos percalços da vida adulta que a personagem Emma passa.

Quanto aos prêmios de atuação, particularmente, não vi nada de excepcional nos vencedores. Ainda que Shirley faça o papel da mãe (e concorreu com Debra Winger, que faz a filha, na mesma categoria) acredito que ela acabou vencendo pelo "finalmente" da coisa, já que ela havia concorrido a estatueta algumas vezes e ainda não tinha ganho. O prêmio de Jack Nicholson, mesmo ele sendo um grande ator, foi o mais sem sentido considerando o seu papel no filme. Inclusive até a própria indicação de John Lithgow (que concorreu na mesma categoria de Nicholson) foi um tanto quanto estranha, já que o ator tem menos de 10 minutos de tela. Mas enfim, o Oscar sendo Oscar.

1985

  1. Amadeus 🏆
  2. A Passage to India (Passagem para a Índia)
  3. The Killing Fields (Os Gritos do Silêncio)
  4. Places in the Heart (Um Lugar no Coração)
  5. A Soldier's Story (A História de um Soldado)

Amadeus

Na premiação de 1985 eu optei por assistir somente Amadeus que venceu a principal categoria da noite. Esse filme é a cinebiografia do compositor Wolfgang Amadeus Mozart "contada" pelo ponto de vista do seu considerado inimigo Antonio Salieri.

É um filme bem interessante principalmente para quem gosta de música clássica. É interessante ver a forma como o compositor trabalhava em suas obras, no quanto ele se envolvia enquanto apresentava. Inclusive as melhores cenas do filme são justamente quando acontecem as apresentações das óperas e ele ficava muito empolgado gesticulando e cantando. Quanto mais o filme avançava melhor essas cenas ficavam e vale destacar o quanto Mozart estava perturbado na apresentação de Don Giovanni

Ao total o filme venceu 40 prêmios dos 53 indicados, incluindo os Oscars de Melhor filme, melhor direção (Milos Forman), melhor ator (F. Murray Abraham), melhor roteiro adaptado, melhor figurino, melhor maquiagem, melhor som e melhor direção de arte.


🎥

📢 Faça suas compras na Amazon com este link e ajude o blog 📢

Os melhores de 2021

31/12/2021


Olá, leitoras.

Chegamos aqui no último post da retrospectiva 2021 para falar dos melhores livros de 2021. No caso as minhas melhores leituras, então tem alguns livros que não são tão novinhos assim, mas que foram os melhores deste ano.


Uma Chama entre as Cinzas - Sabaa Tahir [resenha]

Quem acompanhou o blog neste ano com certeza já sabia que essa leitura entraria como a melhor do ano. Não apenas o primeiro livro, mas toda a tetralogia que eu me apaixonei de tantas formas por todos os personagens.

O que eu mais amo neste livro é a força de Laia, que no inicio é praticamente nenhuma e que aos poucos ela vai adquirindo. Todo o seu sofrimento, a vida, a realidade do mundo real vai ensinando para ela tudo que ela precisa saber. Além de tantos outros personagens que amadurecem tanto nesses quatro livros.

Nada - Janne Teller [resenha]

O principalmente motivo de eu colocar esse livro na lista é pela imprevisibilidade dele. Desde a primeira impressão, com essa capa que passa uma impressão errada da história, até a própria trama que a cada página me deixa mais e mais chocada. Você já imaginou ler um livro onde um grupo de adolescentes querem provar que as coisas importam? Bom, ao ler esse livro você não precisa imaginar.


S - J. J. Abrams e Doug Dorst / O Navio de Teseu - V. M. Straka [resenhas]

Eu sabia que iria amar esse livro desde a primeira vez que vi sua divulgação na internet, mas fui compra-lo apenas em 2019 e demorei esses 2 anos para começar a ler. Este é um livro que demanda tempo, atenção e dedicação, então é importante estar preparada para ler sem muitas preocupações além dele. Não é a toa que para fazer essa leitura eu levei quase um mês e quero ler novamente um dia, já que mesmo assim é como se eu tivesse deixado algumas coisas passar.

Ele se tornou meu favorito por toda sua complexidade, mas principalmente pela proposta do livro dentro de uma livro, uma história com tantas coisas nas entrelinhas e que eu torço para que um dia aja alguma adaptação com tantos mistérios a serem resolvidos quanto o próprio livro.


A casa dos espíritos - Isabel Allende [resenha]

Esse livro me despertou diferentes emoções e é justamente por isso que ele está nessa pequena lista. Por momentos eu odiei tantos personagens, mas em outros eu adorei alguém tanto que sofria muito com tudo o que estava acontecendo. A casa dos espíritos além de ser um livro que você pode ler apenas como um romance também pode ser lido como um registro histórico e biográfico da autora.

O avesso da pele - Jeferson Tenório [resenha]

Esse livro eu acho que nem preciso falar tanto, pois o histórico dele neste ano fala por si só. Esse foi o único livro que me fez chorar este ano e sua história é tão real, tão Brasil que dói.

Menção honrosa

Esse ano eu li tantos livros maravilhosos que se eu fizesse uma lista ela ficaria enorme. Mas quero mencionar aqui alguns que amei muito, como a Autobiografia do Rob Halford ("Confesso") e Garotas em Chamas da C. J. Tudor que não decepcionou em nenhum momento.

Me conta aqui quais são os seus livros favoritos de 2021

✨E quero desejar a todas vocês um feliz ano novo. Desejo que 2022 seja um ano excelente, com muitas leituras, saúde e alegrias. ✨ ♥

As decepções de 2021

29/12/2021


Olá, leitoras.

Nesse segundo post de retrospectiva 2021 vou falar sobre os livros que me decepcionaram neste ano e aproveito também para falar daqueles que foram abandonados.

Particularmente me sinto sortuda, pois de modo geral eu fiz ótimas leituras neste ano. Me permiti sair da zona de conforto diversas vezes e li livros bem diferentes dos que estava acostumada. Então o número de decepções foram bem pequenos.

Nessa lista eu deixei apenas livros de editoras grandes e que de alguma forma eu coloquei alguma expectativa. Mesmo que eu não tenha gostado de algumas leituras não vou colocar na lista por ser livros nacionais de autores(as) independentes (que eu já resenhei dando a minha opinião sincera, mas não acredito que seja bacana colocar em uma lista tão negativa).


As Musas - Alex Michaelides [resenha]

Depois de ler A Paciente Silenciosa e ter me surpreendido com a história eu fiquei bastante ansiosa para ler o que esse autor faria com As Musas. O enredo do livro é bem interessante e até gosto como ele cria os mistérios, mas não consigo deixar de pensar que ele foi uma decepção. O plot twist não é bom, além de ser bastante previsível quando o livro começa a chegar na sua metade.

A Letra Escarlate - Nathaniel Hawthorne [resenha]

Esse clássico da literatura mundial já foi referenciado em alguns filmes e, de fato, tem uma trama muito interessante e que eu gostei. Uma mulher marcada, uma criança que cresce a margem da sociedade, um padre que esconde um segredo, entre outras coisas. O meu problema com essa obra foi a forma lenta como as coisas são conduzidas e que eu ficava enrolando dias e dias para ler por pura preguiça.



Mistério no Caribe - Agatha Christie [resenha]

Agatha Christie com certeza é uma das autoras favoritas de qualquer fã de suspenses, mistérios e investigações, né? Como eu gosto muito desses gêneros eu decidi que 2021 seria o ano em que eu finalmente leria algo dessa autora e, por fim, acabei lendo dois livros dela. Infelizmente não é um mistério que funcionou bem para mim. Gostei que as tramas não são previsíveis, mas os personagens são mal abordados e tenho a impressão de que ela buscava confundir os leitores com as informações dadas durante as investigações.

O Morro dos Ventos Uivantes - Emily Brönte [resenha]

A minha resenha deste livro ficou enorme de tanto que eu me revoltei com este livro e eu ainda fico muito inconformada quando eu vejo as pessoas elogiando essa "história de amor". Não me surpreende que a Bella (Crepúsculo) gosta tanto desse livro hahaha, inclusive ele foi uma péssima influencia para ela.

Os flops e os abandonos


O principal flop de 2021 foi a minha TBR dos 30 livros antes dos 30 anos. Até consegui ler alguns, mas entre focar em 30 livros até setembro e ler umas coisas das parcerias e lidar com ressaca literária eu acabei é deixando vários títulos dessa TBR para trás.

Eu vou falar melhor dos livros dessa TBR que eu consegui ler e que gostei, mas não posso deixar de citar que meus únicos abandonos deste ano, por acaso, faziam parte dessa lista.



O Lobo da Estepe - Hermann Hesse

Damian do Hermann Hesse é um dos meus livros mais queridos da vida, então quando vi essa nova edição lindíssima de O Logo da Estepe eu quis logo ler já que muitas pessoas me falaram que este é o melhor livro do autor. Bom, infelizmente para mim eu fiquei estagnada nas cem primeiras páginas e com uma baita ressaca literária. Vai ficar abandonado por algum tempo, até eu sentir que é a hora de tentar novamente.

O Vermelho e o Negro - Stendhal 

Coloquei este livro na TBR sem muita pretensão, mas achei que deveria tentar ler por ser um livro importante. Logo nas primeiras 40 páginas eu já sabia que este livro não seria para mim com tantas descrições de lugares e personagens, além de ambientação que me deixavam um pouco desconcentrada.

Agora eu quero saber de você: Quais suas decepções e flops de 2021?